Os factos perturbadores acerca do açucar refinado na dieta

rharhadhfd

O açúcar refinado tem aproximadamente zero valor nutritivo. Por causa dos processos industriais envolvidos na fabricação, o açúcar não tem practicamente nenhum valor nutricional: As vitaminas e enzimas tornaram-se desnaturadas (perdem sua forma molecular) e, assim, deixam de contribuir para os requisitos metabólicos do corpo. O açúcar refinado também é desprovido de conteúdo mineral.

É pura energia

Para aqueles que frequentemente consomem quantidades significativas de produtos com açúcar refinado, isso pode levar a muitos problemas.

Porque uma grande ingestão de açúcar causa um forte aumento da glicose no sangue, o pâncreas expele altos níveis de insulina como resposta súbita. A insulina converte a glicose em glicogénio para armazenamento no fígado.

No entanto, a reacção excessiva à insulina elevada converte mais glicose do que aquela em excesso. Isto resulta no sangue ficar com menos glicose do que o normal. Consequentemente, sentimos fome. Lembrem-se que um indivíduo nessas circunstâncias tem mais do que suficiente glicose, mas foi convertida e armazenada no fígado.

Assim, a necessidade de mastigar de novo é sentida (mais açúcar talvez?). Consequentemente a glicose em excesso dessa próxima compulsão alimentar faz com que o armazenamento de glicose se converta em gordura… As recorrências frequentes desta situação podem levar à obesidade e diabetes de tipo 2.

Está associado ao Cancro

As células normais usam o oxigênio para a respiração aeróbia e para os seus processos metabólicos. A célula cancerígena usa a glicose e a respiração anaeróbica. Assim, em particular, o consumo prolongado de alimentos com açúcar excessivo pode contribuir para o cancro.

Pode causar diabetes do tipo 2

A diabetes é a incapacidade do corpo para controlar os níveis de glicose no sangue. O tipo 1 de diabetes é aquele em que a insulina é insuficiente. Resulta da falta da insulina produzida pelo pâncreas, necessária para regular os níveis de açúcar. No caso dos diabetes do tipo 2 os níveis de insulina necessários são suficientes. No entanto, a insulina produzida é ineficaz: O que isto significa é que a insulina não é de forma defeituosas, mas é ineficaz na medida em que as células do corpo respondem não a ela.

Com referência ao ponto anterior sobre os níveis de ingestão de açúcar elevado e níveis constantemente elevados de insulina como reacção, esta é a forma como o corpo desenvolve diabetes tipo 2 ao longo do tempo. Demora cerca de 6 anos para se manifestar.

O triste é que existe agora um número recorde de crianças a desenvolverem esta doença desde tão jovens como seis ou sete anos de idade.

Será isto um suicídio em camara lenta?

A obesidade e a incapacidade de metabolizar carbohidratos eficazmente pode levar a doenças, tais como: má visão noturna, cegueira, doença renal, problemas cardiovasculares, insuficiências hepáticas, danos nos nervos, impotência, obesidade, incapacidade de sarar corretamente as feridas, para não falar do facto dos diabetes de tipo 2 poderem conduzir a uma série de efeitos secundários. Isto inclui: a doença de Alzheimer, disfunção sexual masculina com baixos níveis de testosterona… Não há dúvida de que a diabetes de tipo 2 anda de mãos dadas com a obesidade.

Hiperatividade, alterações de humor e depressão

Há muitas evidências que apoiam a ideia de que a “comida muda o humor”. Indivíduos que ingerem níveis elevados de açúcar regularmente não são excepção. Tomemos o exemplo do caso das crianças. Se você quiser ver algumas delas a não se atirarem contra as paredes e terem o seu estado hiperativo evitado ou muito reduzido, a solução pode ser mais fácil do que você pensa. Basta parar de lhes dar açúcar. Substituir isso por boa comida natural, saudável e vê-los mudar o seu comportamento.

As alterações de humor e depressões têm sido associadas a flutuações nos níveis de glicose no sangue. Quando os produtos de açúcar refinados são ingeridos, em primeiro lugar, há o “ímpeto” ou a sensação de “pico de energia” e, de seguida, o pâncreas compensa em excesso gerando mais insulina do que a necessária (montanha-russa) e, como já mencionado, isso resulta em excesso de glicose convertida em armazenamento. Então o baixo nível de glicose no sangue baixa. A ânsia de comer mais dessa coisa doce surge assim como o pensamento que fica obscurecido, deprimido ou de “estar na fossa”.

O açúcar alimenta microrganismos perigosos

Se alguma vez existiram circunstâncias em que é permitido à doença manifestar-se, é por meio de um ambiente com açúcar. Os microrganismos podem estar abundantemente presentes em regiões internas e sem saída do corpo. Por exemplo, eles podem estar em canais ou nodos linfáticos. Se os alimentar com a sua comida favorita, açúcar, eles vão crescer e multiplicar-se. Consequentemente, você poderá estar bem a caminho de uma doença devido ambiente tóxico que eles geram.

O açucar e o envelhecimento

Os produtos finais de glicação avançada (AGE ‘s), os compostos amarelo-acastanhados desagradáveis feitos de açúcar e proteínas de tecido corporal, agem como um precursor do envelhecimento. Na realidade, o corpo torna-se oxidado e depois envelhece, surgindo os cabelos grisalhos e as rugas prematuras… Os viciados em açúcar podem estar a oxidar-se a eles próprios e a adiantar a sua própria sepultura, pois as doenças degenerativas em breve surgem.

Lembre-se que o açúcar não tem nenhum valor nutricional próprio. Não tem nenhuma utilidade para as células do corpo: nenhuma contribuição para o crescimento ou mecanismo de reparação. Então, se o açúcar é consumido, o corpo fica esgotado de nutrientes por ter que lidar com isso. Por exemplo, como William Dufty aponta justamente no seu excelente livro “Sugar Blues”, através da ingestão de açúcar, o corpo fica esgotado de cobre, que é um elemento essencial na manutenção da elasticidade nas veias e artérias. Isto poderá levar a acidentes vasculares cerebrais ou aneurismas.

Outros elementos essenciais tais como sódio, potássio e cálcio são utilizados ao lidar com o ataque do açúcar. Se demasiado cálcio for consumido no metabolismo do açúcar posteriormente poderá dar origem à osteoporose. Nem todo o açúcar é desintoxicado pelo corpo. Os restos metabólicos são deixados para trás e acumulam-se como depósitos de gordura.

O açúcar também pode contribuir para o desequilíbrio ácido do corpo.

Evite açúcar e descubra as diferenças, para melhor, em si!

Fonte: NewParadigm

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: