Compreendendo o controlo da Mente

A capacidade de controlar a mente de outra pessoa e, por consequência, o seu corpo e a sua Consciência, tem sido desejada e utilizada por grupos nefastos. Os últimos 10.000 anos da história humana têm sido influenciados por uma agenda coordenada, e mantida de geração em geração dentro das sociedades secretas, das famílias dinásticas e organizações criminosas, utilizando o controlo da mente.

Os Grupos Criminosos ou Sindicatos da cabala

Esta agenda tem sido descrita por delatores como sendo a tenebrosa Nova Ordem Mundial, promovida por nada menos do que a chamada cabala ou os Illuminati. Em boa verdade, esta rede ou sindicato do crime está longe de ser iluminada, como o próprio termo Illuminati implica. Em vez disso, eles são uma organização dispersa de indivíduos psicopatas que competem entre si pelo poder sobre os outros.

Para o propósito desta discussão, vamos referir-nos a este subconjunto da sociedade humana como a cabala, mas um termo mais preciso para eles seria o de ocultistas tenebrosos, aqueles que promovem a ignorância na Humanidade para o seu ganho pessoal.

O elo comum que une estes sindicatos pode ser descrito pelo antigo ditado: o inimigo do meu inimigo é meu amigo. Mas quem é o inimigo a esses grupos? É a própria vida, a Criação, Harmonia e todos aqueles que anseiam por ela. Para todos os efeitos, o inimigo da cabala é a verdade, a liberdade e o bem. Portanto, a Humanidade e a nossa busca da prosperidade, capacitação pessoal e cooperação são os inimigos dos obscuros ocultistas.

A agenda da cabala é múltipla, uma vez mais diversificada por hostes de pequenos grupos que compõem as suas fileiras. Mas no geral, eles querem reduzir a população humana em 90%, completamente escravizar a restante numa forma tecnocrática de total controlo, e promover o trans-humanismo ou o fim da vida orgânica e a eventual fusão com I.A. e máquinas.

Para qualquer pessoa com um pingo de senso comum, esta agenda é uma insanidade total. Ninguém no seu perfeito juízo iria de bom grado participar em tal loucura, e é por isso que o controle da mente foi originalmente desenvolvido. Por outras palavras, alguém deve ter a sua mente fracturada ou manipulada, para que se tornem fantoches da cabala.

A necessidade da cabala de Controlar a Mente

A fim de garantir que os planos da cabala são mantidos ao longo dos séculos, um método de forçar a conformidade nos novos membros e iniciados era necessário. Apesar de, ser criado no seio da cabala poder levar alguém a continuar o trabalho familiar, a tendência para a moralidade pode afirmar-se como um problema, mesmo para membros das famílias da cabala.

Como nós acabamos de descrever, qualquer pessoa com um mínimo de moralidade e compaixão nunca participaria de boa vontade nestes planos e, a maioria das pessoas, mesmo as pessoas criadas na cabala, não o devem querer também. Isto por si só é um ponto extremamente encorajador a considerar. Ele sugere que há uma tendência para a positividade e para a moral no Universo, pois a cabala tem de efectuar esforços incríveis para garantir que os seus membros cumpram a agenda. Mais uma vez, porque ninguém Consciência sã iria concordar com uma coisa destas. Portanto, uma técnica para dissuadir qualquer um que actue fora dos planos da família, como eles supostamente se referem a si mesmos, foi desenvolvido.

Os fundamentos de psicologia no controle da mente

A base psicológica para todo o controle da mente é a força de vontade de uma pessoa em relação a outra. Para suprimir a mente consciente, a manipulação ou coacção são usadas para que a mente inconsciente possa ser controlada por outra. Isso pode ser feito combatendo directamente a mente consciente através do controle da mente baseado no trauma, ou indirectamente usando condicionamentos subtis e / ou sugestão subliminar.

Mente consciente 10%: – força de vontade – memória a longo prazo – pensamento lógico – pensamento crítico Mente Subconsciente 90%: – crenças – emoções – hábitos – valores – reacções protectoras – memória a longo prazo – imaginação – intuição
Fonte.

A mente consciente é onde fazemos sentido de nossa experiência, a ferramenta que usamos para organizar os dados sensoriais em significados. O produto deste processo é uma crença, ideia ou perspectiva que se instala na mente inconsciente como um programa totalmente formado. Os estímulos encontrados mais tarde, que se correlacionam com a memória, accionam o programa e influenciam a mente consciente como um impulso, instinto ou desejo.

Você já deu por si na situação em que, após uma refeição, quer comer mesmo não tendo fome? As tendências e impulsos viciantes são exemplos de programas no subconsciente que se tornam activos e influenciam a mente consciente.

Considere que se você comer sempre em frente à TV, isso cria um programa no inconsciente que é activado pelo subconsciente quando estimulado – a experiência de sentar-se na frente da TV fornece estímulos correlativos. Este ambiente desencadeia o programa e você sente o desejo de mastigar alimentos, mesmo que não esteja com fome. Nós normalmente referimo-nos a estas coisas como hábitos, o que é o mesmo que a programação mental.

Por exemplo, as nossas primeiras impressões sobre pessoas ou coisas muitas vezes geram uma tendência para nos obrigar a reforçar a escolha ou ponto de vista iniciais. Se não gosta de um determinado tipo de comida após a primeira exposição a ele, então, no futuro, nossa tendência inicial provavelmente será reforçada. Eventualmente, esse filtro pode-se tornar tão automático que é sentido como instinto – como nós sempre pensamos desta ou daquela maneira mas, na realidade, ele sempre foi um programa dentro da mente inconsciente.

A boa notícia é que temos o poder de escolher de forma diferente, mesmo sendo influenciados pela programação.

A própria mente é programável, com a mente consciente a ter o maior poder de alterar ou criar novos programas. Mas, quando a mente consciente adormece, quando nos retraímos a partir da experiência devido a traumas e entramos em um estado de transe, ficamos abertos à sugestão. Esta é uma dinâmica binária, o que significa que ou está ligada ou desligada, quer estejamos envolvidos no que estamos a fazer ou não. Estamos conscientemente a programar a nossa mente através da atenção e cognição concentradas, ou estamos a ser subliminarmente programados devido à nossa falta de foco. Uma mente desprogramada internamente torna-se programada pelo mundo exterior, ou é controlada pela Consciência de outra pessoa.

Esta verdade simples é a base para os métodos de controle da mente.

O Controlo Subtil da Mente

As formas mais suaves de controle da mente empregam mensagens subliminares ou a sugestão subtil, que são baseadas em distrair a mente consciente para que o subconsciente possa ser manipulado. Estes métodos subtis geralmente são auto-impostos, como a doutrinação social ou a pressão pelos pares.

Na sua essência, o controle subtil da mente é uma forma de sugestão que é experienciada como um impulso, que pode ser ignorada ou executada. Mas quando agimos sobre esses impulsos, formamos novos programas ou hábitos que estão em harmonia com a sugestão, e nós literalmente tornamo-nos participantes dispostos a fazer com que as nossas mentes sejam mais facilmente controladas. Quanto mais falta de Consciência tivermos desses impulsos, mais facilmente nos sentimos impelidos a agir automaticamente por eles.

Portanto, sempre que a mente consciente não puder reconhecer a experiência e convertê-la em conhecimento coerente, a mente subconsciente é alterada (programada) por via da falta de Consciência. O que não conseguimos tornar consciente nas nossas vidas controla-nos subconscientemente como um programa ou impulso.

jung “Até que você torne o inconsciente consciente, ele vai dirigir a sua vida e você vai apelida-lo de sorte” ― C.G. Jung

Fonte.

Esta é uma das razões pelas quais os sistemas educacionais empregam técnicas de memorização (educação baseada no desempenho), porque ele confunde a mente consciente e impede que um entendimento coerente ocorra. Isso, consequentemente, obriga a mente a entrar num estado de transe devido ao trauma ligeiro, porque não entender algo é confuso. Quando não conseguimos um desempenho como o dos nossos pares, sentimo-nos inadequados (trauma mental auto-imposto que causa dissociação) e desempoderados – uma forma de controle da mente auto-imposto e socialmente promulgado.

Para além disso, qualquer coisa da qual não conseguimos fazer sentido ou compreender de forma holística (conscientizar), despoleta estados emocionais intensos, que podem levar à dissociação e nos deixam vulneráveis à sugestão. Esta é uma das razões pelas quais as instituições académicas desenvolvem escolas sofisticadas e excessivamente complexas de pensamento ou métodos de entendimento. A sintaxe destas formas-pensamento ou estruturas mentais suprime a gestação do conhecimento holístico, substituindo-o por factos memorizados que não podem ser intrinsecamente entendidos de novo, causando a dissociação.

A institucionalização como resultado da exposição ao sistema educativo é, sem dúvida, uma das formas mais destrutivas de controlo da mente baseada no trauma subtil, que existe no planeta. A educação baseada no desempenho centrada nas técnicas de memorização leva o indivíduo a entrar em estados de transe que levam à formação de programas de auto-destrutivos. Tudo isso os torna mais vulnerável à sugestão de outros, voluntariamente abdicando da Consciência daquilo que estamos a experimentar.

Os políticos, os meios de comunicação, os publicitários e o sistema educacional empregam técnicas de condicionamento subtis para alterar o inconsciente através do subconsciente o que, posteriormente, faz com que o indivíduo voluntariamente aja em harmonia com a sua programação. Uma vez doutrinada, a pessoa vai comprar um produto tal como anunciado, aceita as crenças oferecidas pelos meios de comunicação, e rejeita qualquer informação que não venha de fontes confiáveis – ele estará sob controlo mental. No entanto, a personalidade original é mantida, embora manipulada via engodo.

O Controle da Mente Baseado no Trauma

Mas o controle da mente baseado em trauma vai um passo mais além. Em vez de manipular subtilmente a subconsciente, mantendo a personalidade como um todo, as técnicas baseadas em traumas são completamente voltadas para fracturar a personalidade original, de modo que pode ser substituído por uma série de altares.

Estes métodos combatem a mente consciente e dissociam-na por qualquer meio necessário, em vez de tentar contorna-la ou manipula-la usando as técnicas subtis. A vantagem deste método é que o treinador ou manipulador pode construir muitas personalidades diferentes após a original ser destruída, garantindo que o desvio ao rigoroso conjunto de instruções é quase impossível. Por outras palavras, a vítima torna-se um escravo do controlo da mente perfeita, mas isso requer uma quantidade incrível de energia e dedicação por parte do manipulador.

Fonte.

No livro abaixo citado, da autoria por Fritz Springmeier e Cisco Wheeler, na fórmula Illuminati usada para criar um escravo mental totalmente controlado, eles meticulosamente detalham uma das técnicas mais perturbadoras jamais inventada. Ela envolve a utilização do trauma intensa, provocada por vários métodos diferentes para forçar um indivíduo a dissociar a Consciência. Uma vez feito isso, a personalidade divide-se em várias peças, chamadas Alters, o que pode, posteriormente, ser programado por um manipulador para realizar qualquer número de tarefas. Eles poderiam ser programados para sere escravos sexuais, um assassino ou simplesmente moldados para actuar como um membro leal da cabala. Este último propósito é o que os membros da cabaça usam contra a sua própria família.

Este método de controlo da mente é como uma forma de hipnose, excepto que em vez do indivíduo, de bom grado, escolher entrar num estado de transe (ou inadvertidamente fazê-lo por meio de técnicas mais suaves) eles são forçados a dissociarem-se usando métodos especificamente concebidos para causar dor intensa, ansiedade e trauma. Por exemplo, o eletrochoque é muitas vezes usado para causar dor extrema, drogas que causam alucinações intensas são utilizadas, e / ou pessoas são brutalmente torturadas à frente da vítima, todos concebidos para forçar a dissociação ou um estado de transe.

O objetivo do controle da mente baseado no trauma é o de devastar tão completamente a sensação de serenidade até que eles dissociem ou tornem-se completamente dóceis – um tipo de desamparo aprendido que transfere o controlo da mente subconsciente para o programador ou manipulador da vítima. Todas as formas de vida animais parecem desenvolver esse desamparo aprendido ou dissociação, como resultado da resposta ao trauma.

Como exemplo perturbador, durante a circuncisão, à criança não é dado nenhum anestésico e está completamente imobilizada durante o procedimento. Em muitos casos, a criança pára de chorar pouco depois do início do procedimento, dissociando a dor extrema da experiência, e agindo de forma completamente dócil. Este efeito é tão prevalente que o estabelecimento médico conclui que os recém-nascidos não podem sentir dor física e, como tal, nunca são administrados anestésicos para o procedimento. Isto poderia ser indiscutivelmente um exemplo de técnicas de controlo da mente baseado em trauma, emprege em massa na sociedade.

A vontade da vítima de estar presente com o seu próprio corpo esmorece, e isso permite que um manipulador programe a mente subconsciente, produzindo potencialmente muitas personalidades diferentes, cada uma com seu próprio conjunto de instruções. Camadas de Alters são usadas para armazenar programas e informações para que eles só possam ser acedidos ou desencadeada pelo manipulador ou por outros agentes da cabala ou sindicatos criminosos. Mas eles também podem ser programados com gatilhos, como objectos normais colocados num local contextual específico, o que activa a programação.

Aparentemente, até os seres desencarnados (conhecidos como entidades anexas ou “demónios” na Antiguidade) podem ser invocados e estão ligados à vítima para diversos fins. Uma das utilidades do uso dessas entidades é o de causar intensa ansiedade ou confusão ao tentar aceder à Consciência inicial. Neste sentido, a forma contemporânea de controlo da mente baseada no trauma é uma mistura de antigos rituais mágicos, tradições ocultas e conhecimento científico. Como evidência disso, os exorcismos estão a ser realizados a cada ano a um ritmo crescente, o que sugere que a dissociação via controlo da mente subtil ou explícita pode deixar uma porta aberta para a influência dessas entidades obscuras.

Despoletar Estados Alterados

Dentro dos métodos baseados no trauma, actos brutais de violência ou de coisas que causam trauma (tais como experiências que causem asco) são forçadas à vítima, levando-as à dissociação. Esta experiência é então ancorada no Alter (dupla personalidade) que actua como um guarda para a personalidade original, memórias ou informações que o manipulador precisa de manter escondidas. Se a vítima aceder acidentalmente às informações ou isso for despoletado por outra pessoa sem o protocolo apropriado, uma lembrança do evento traumático será recordada causando uma quebra. Isto obriga a vítima a procurar o seu manipulador ou a regredir para um estado alterado de modo a não divulgar quaisquer segredos.

Um exemplo do desenrolar de um estado alterado poderá ser uma entrevista com Britney Spears e Diane Sawyer há vários anos. Observe como Spears reage quando recorda algo na sua memória devido ao tipo de questões que Sawyers coloca.

Spears parece estar a recordar uma memória, olhando para a esquerda e, de seguida, algo desencadeia o seu sentido olfativo; no ponto em que ela cobre seu nariz como se estivesse a cheirar algo nojento. Ela fica obviamente muito aflita com o que aconteceu. Este parece ser um exemplo de uma passagem para um Alter desencadeado por uma memória traumática para obrigar a mente consciente a não investigar mais. Spears estava tão perturbada com o que recordou, que ela pediu a Sawyer para parar a entrevista.

O despoletar do estado Alter-ado também ocorre em métodos de controlo da mente subtil activando programas latentes. A televisão é uma tecnologia excepcional para esta finalidade. Poucos minutos depois de se sentar na frente de programação de TV, a mente muda de ondas beta para ondas alfa, um estado de consciência para um relaxamento profundo ou devaneios. Em outras palavras, um estado de transe é produzido em que a mente consciente torna-se, em grande parte inativo, deixando a mente subconsciente aberto a influências.

Mas a TV não é a única maneira de despoletar um estado de transe de consciência. Música e certos tipos de imagens e combinações de cores (como a cor azul), e a experiência de vida em geral, pode causar a dissociação e a redução da função cognitiva. As probabilidades são de que haja um oceano de programas subconscientes não reconhecidos, abaixo da superfície da Consciência na mente consciente. Mas se alguém procurar tornar consciente o que não o está, grandes coisas podem ser realizadas.

O uso do controlo da mente baseado no trauma, pela cabala, nos seus próprios membros

Mark Passio e Jay Parker são dois ex-membros com o ocultismo obscuro. Passio era um sacerdote escolhido a dedo do satanismo Levayan que testemunhou pessoalmente as figuras de alto escalão na sociedade a discutirem a sua agenda nefasta. Parker foi criado numa família geracional satânica, que foi pessoalmente submetida ao controlo da mente baseado no trauma usado na cabala. Tanto Passio como Parker estão agora a revelar as suas experiências num esforço para alertar outras pessoas para a natureza nefasta destes grupos.

Parker diz que, dentro dessas famílias geracionais da cabala, cada membro é submetido a técnicas de controlo da mente baseado no trauma, imediatamente após o nascimento. A sua história pessoal é um conto de abusos sexuais, estupro, assassinato e trauma, tudo à mão dos seus próprios pais, familiares e amigos, que afirmavam ser membros do Culto do Sol Negro

Parker não está sozinho no seu testemunho. Outra fonte, Svali afirma ter sido um programador e um instrutor numa antiga família Illuminati. O seu testemunho confirma o que os outros têm sugerido, que nascer nessas famílias significa tanto ser forçado a um agenda ou sofrer a dor da morte. E ainda existem dezenas de outros que afirmam ter sido vítimas de abuso ritual satânico geracional.

Conclusões

Apesar da natureza séria desta informação, pode ser incrivelmente capacitante para a compreensão. A cabala há muito tempo que mantém o conhecimento escondido da Humanidade, e sem dúvida o conhecimento mais importante é o da nossa própria Consciência. Eles empregaram uma forma de psicologia antiga para manipular as massas, incluindo os seus próprios membros da família, numa visão insana para o futuro, a agenda da Nova Ordem Mundial.

Fonte.

Mas, como discutimos acima, ninguém de consciência sã jamais iria participar nestes planos e ir ainda mais longe, ninguém no seu perfeito juízo pode ser manipulado pelo controlo da mente. Com isto quero dizer que quem tenha uma Consciência devidamente disciplinada e dominada (o que poderia ser chamado de um estado de iluminação) fica imune a todas as formas de controlo da mente, incluindo a dos métodos baseados no trauma.

Isso ocorre porque uma Consciência iluminada procura integrar, compreender e entender toda a experiência holística, mesmo as chamadas experiências negativas ou traumáticas. Mas visto que à maioria da população humana falta auto-controle (não iluminada), estamos a trabalhar sob alguma forma de influência mental ou controle da mente em quase todos os momentos.

Na verdade, a pessoa que nós pensamos que somos, a nossa sensação do Eu, foi programada durante os primeiros 6 anos de vida, porque a mente consciente ainda não estava activa. Durante esses primeiros anos, formamos a maior parte dos nossos padrões de comportamento ou programas subconscientes que compõem 95% de todos os nossos futuros hábitos e impulsos. E uma vez que a maioria das pessoas nunca desenvolvem a capacidade de se auto-programarem, e muito menos tornarem-se iluminadas, nós pensamos que somos apenas um pálido reflexo de quem estamos realmente destinados a ser.

Esta é uma das verdades mais potentes sobre as informações aqui contidas. Todo o controlo da mente baseia-se na supressão da mente consciente ou em contornar o livre-arbítrio. Portanto, quanto mais a força de vontade tivermos, combinada com o conhecimento holístico, mais imunes nos tornamos ao controlo da mente. E uma vez que nós finalmente começamos a auto-programação ou ganhamos autodomínio, todos os hábitos e impulsos que se identificam como sendo contra-produtivos são eliminados, deixando uma personalidade profundamente habilitada e capaz no seu lugar.

Se não controlar a sua mente, outra pessoa o fará.
Fonte.

Quanto mais se conhecer a si mesmo, mais autodomínio e actualização alcançarmos, mais força teremos para superar sugestão e o controlo da mente, o que potencia simultaneamente as capacidades mentais ou psíquicas melhoradas.

Em última análise, mesmo as formas mais intensas de controlo da mente podem ser desfeitas com o poder da mente consciente, assim como todos os impulsos podem ser reprogramados.

O que se segue é uma explicação detalhada de controlo da mente baseado em trauma também conhecido como programa Monarch, intimamente associado ao projecto MKULTRA.

Aviso: As informações apresentadas a seguir são altamente gráficas e descritivas. Considere deixar de lado essa informação caso o processo se torne demasiado desgastante. Além disso, lembre-se de que, uma vez que as primeiras reacções fluam, a mente consciente pode concentrar-se novamente na informação, a fim de compreendê-la de forma holística. Isto é essencial para transcender qualquer negatividade associada ao livro e ao material nele apresentado.

PS – No início de 2012, COBRA partilhou este livro no seu blog. Na época, eu já era um ávido estudante da verdadeira psicologia e estava começando a pesquisar o controlo da mente. Eu já tinha formado uma compreensão sobre como a mente consciente influencia o inconsciente através do subconsciente, mas ainda assim eu não tinha certeza de como essas dinâmicas funcionavam.

Eu fiquei profundamente comovido com a leitura deste livro, e embora tivesse de parar, por vezes, para processar a informação intensa, ele continua a fornecer-me uma visão sobre a Consciência regularmente.

Na minha opinião, isso reforça ainda mais a noção de que não há nenhuma informação verdadeiramente negativa lá fora, só o que fazemos através da nossa ignorância. E ao estudar o material abaixo, ganhei o conhecimento que me permitiu superar qualquer medo do controlo da mente, incluindo a magia negra e rituais ocultos.

A única coisa que temos a temer é o próprio medo, e dado que o medo provoca a dissociação, enfrentando os nossos medos pode ser um dos actos mais libertadores que nós poderemos fazer.

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: