As 3 Corporações que Controlam o Mundo: a City de Londres, Washington DC e a Cidade do Vaticano

Os eventos mundiais, a maioria dos quais “artificialmente criados”, deixam um rasto que nos leva até aos arquitectos. Posteriormente descobrimos que existem 3 cidades na Terra que não estão sob nenhuma autoridade nacional, têm leis separadas, não pagam impostos, têm sua própria força policial e até possuem sua própria bandeira de “independência”.

Por Shenali D Waduge

Estas 3 cidades controlam a economia, os ataques militares e os seres espirituais desses poderes. As 3 cidades são, na realidade, corporações e elas são a City de Londres, o Distrito de Colúmbia e o Vaticano.

Juntos controlam os políticos, os tribunais, as instituições educacionais, o abastecimento alimentar, os recursos naturais, as políticas externas, as economias, os meios de comunicação e o fluxo de dinheiro da maioria das nações, bem como 80% da riqueza total do mundo.

O Sistema Funciona porque você trabalha.

O seu objectivo final é o de construir um governo totalitário à escala global onde as pessoas serão divididas em governantes e governados, após terem despovoado o mundo para números que desejem dominar.

O que precisamos de entender é que o mundo não funciona da forma que fomos levados a crer. Estamos afogados em desinformação.

No centro de cada estado-cidade estão os gigantescos monumentos de pedra em forma fálica chamados obeliscos.

O Obelisco de Londres (também conhecido como “Cleopatra’s Needle”): Localizado nas margens do rio Tamisa, este obelisco foi transportado para Londres e erguido em 1878 durante o reinado da rainha Vitória.

O obelisco estava originalmente na cidade egípcia de On, ou Heliópolis (a Cidade do Sol).

A terra dos Cavaleiros Templários estendeu-se a esta área do Tamisa, onde os templários tinham as suas próprias docas. Cada lado do obelisco é cercado por uma esfinge, mais simbolismo que remonta ao mundo antigo.

Em Washington D.C. o obelisco é conhecido como o monumento de Washington e foi dedicado a George Washington pela irmandade secreta da loja da maçonaria livre do distrito de Colúmbia, em 1848.

Eles também contribuíram com 22 pedras maçónicas. 250 lojas maçónicas financiaram o obelisco do monumento de Washington, incluindo a ordem maçónica dos cavaleiros templários.

O Obelisco do Vaticano: Localizado na Praça de São Pedro, foi transferido do Egipto para a sua localização actual, em 1586.

O círculo no chão representa a vagina feminina, enquanto o obelisco em si é o pénis. Isso é vulgarmente conhecido como simbolismo oculto.

O Império Romano prevalece através da:

  1. A CITY DE LONDRES INC

A City de Londres foi formada quando os romanos chegaram à Grã-Bretanha há 2000 anos e fundaram um posto comercial no rio Tamisa.

Exactamente mil anos depois William, o Conquistador (Rei Guilherme III), deu o estatuto soberano à Cidade dos londrinos em 1694, permitindo-lhes continuarem a disfrutar de direitos e privilégios separados, desde que o reconhecessem como Rei.

A rainha Elizabete II é da linhagem directa dos Césares romanos por sangue!

Os Reis que sucederam William, no entanto, decidiram construir uma nova capital e nomearam Westminster como tal. Existiram vários casos de conflitos entre o rei e o prefeito da cidade .

O que é peculiar é que as leis aprovadas pelo Parlamento britânico não se aplicam à City de Londres.

No entanto, a City de Londres não é uma nação independente como o Vaticano.

Hoje a City de Londres é uma cidade de 1,6 quilómetros quadrados. As 2 Londres têm prefeituras separadas e elegem prefeitos separados, que colectam impostos de forma separada, para financiarem autoridades separadas que aplicam leis separadas.

A City de Londres tem a sua própria bandeira e crista distintas, enquanto a cidade de Londres não. O prefeito da cidade de Londres tem o extravagante título de “o honorável e certo senhor prefeito de Londres” e desloca-se numa carruagem dourada até ao Guildhall enquanto o Mayor de Londres usa um terno e desloca-se de transportes públicos.

O prefeito de Londres não tem nenhum poder sobre o senhor honorável e certo Mayor de Londres (da City de Londres).

O que é único é que a cidade de Londres é uma corporação mais antiga do que o Reino Unido, mas tem um representante no Parlamento do Reino Unido através de uma pessoa conhecida como o “Remembrancer“, que está presente lá para proteger os interesses da cidade.

A casas da City de Londres:

A cidade de Londres é controlada pelo Banco da Inglaterra, uma corporação privada propriedade da família Rothschild, depois de Nathan Rothschild ter manipulado o mercado de acções Inglês em 1812 e assumido o controlo do Banco da Inglaterra.

A lista completa de BANCOS de propriedade ou controlados pela família Rothschild.

A Rainha refere-se à corporação da City de Londres como a ‘Firma’, mas também é conhecida como “The CROWN” [A Coroa] (mas não representa a aristocracia da Grã-Bretanha). O palácio de Buckingham está em Londres, mas não na City de Londres e a cidade não faz parte da Inglaterra.

A City de Londres controla directa ou indiretamente todos os prefeitos, conselhos, conselhos regionais, bancos multinacionais e transnacionais, corporações, sistemas judiciais (através de Old Bailey, Temple Bar e Royal Courts of Justice em Londres), o FMI, o Banco Mundial, o Banco do Vaticano (através da subsidiária italiana Torlonia da NM Rothschild & Sons Londres), Banco Central Europeu, Reserva Federal dos Estados Unidos (que é de propriedade privada e secretamente controlada por oito bancos accionistas britânicos), o Bank for International Settlements (também conhecido como Banco dos Acordos Internacionais) na Suíça também é controlado pelos britânico e supervisiona todos os bancos centrais de todo o mundo, incluindo o nosso) a União Europeia e da Organização das Nações Unidas.

“A Coroa” controla o sistema financeiro global e dirige os governos de todos os países da Commonwealth, e muitas nações não-Commonwealth ‘ocidentais’ também (como a Grécia).

A coroa tem origens no Vaticano, que é liderado pelo Papa (que é dono da American Express).

Na sua essência, a corporação da City de Londres tornar-se-ia a “One World Earth Corporation” [Corporação Mundial da Terra] e seria a proprietária do mundo.

A Trindade do Controlo Globalista: A Cidade do Vaticano (Religião), A City de Londres (Finanças) e Washington D.C. (Militar). TODOS estes 3 são estados separados, completamente independentes dos seus respectivos países.
  1. Washington DC (Distrito de Colúmbia)

Washington DC não faz parte dos EUA. O District of Columbia está localizado em 16 quilómetros quadrados de terra. DC tem sua própria bandeira e possui uma constituição independente. Esta Constituição opera sob uma tirânica lei romana conhecida como Lex Fori.

A Constituição de DC Constituição não tem nada a ver com a Constituição Americana. A Lei de 1871 aprovada pelo Congresso criou uma corporação separada conhecida como ESTADOS UNIDOS & o governo corporativo para o Distrito de Colúmbia.

Dessa forma, DC actua como uma Corporação através da Lei. A bandeira do distrito de Colúmbia de Washington tem 3 estrelas vermelhas (as 3 estrelas que denotam DC, a Cidade do Vaticano e a City de Londres).

Um olhar nos vários tratados levanta a pergunta de se os EUA permanecem sendo uma colónia da coroa britânica.

O fundamento para isso remonta à primeira Carta da Virgínia, em 1606, que concedeu à Grã-Bretanha o direito de colonizar a América e deu ao rei / rainha britânicos a autoridade soberana sobre a América colonizada e seus cidadãos.

A América foi criada depois de roubar América dos índios nativos. Se a América foi colonizada com colonos britânicos, essas pessoas são súbditos do governo britânico.

A negar isso temos o Tratado de 1783 que declarou a independência da Grã-Bretanha. No entanto, este Tratado identifica o Rei / Rainha da Inglaterra como o Príncipe dos Estados Unidos. (Consulte http://www.treatyofparis.com)

No entanto, de acordo com o dicionário da lei de Bouviers em “governos monárquicos”, um sujeito deve lealdade permanente ao monarca, em cujo caso os súbditos britânicos na América colonizada devem fidelidade permanente ao monarca.

O contrário é aplicável ao direito constitucional, onde a lealdade é devida ao soberano e às leis de um governo soberano, e os nativos são simultaneamente sujeitos e cidadãos.

A questão é se uma guerra foi travada em 1781 e a América venceu  porque é que a Grã-Bretanha precisaria de assinar um Tratado em 1783? Quando os EUA ganharam a guerra, os Estados Unidos não deveriam precisar que o monarca britânico cedesse a terra e se refirisse a si mesmo como Príncipe do Sacro Império Romano e dos Estados Unidos?

Existe também a questão do uso do termo “Esquire”, dado que é um título de nobreza, novamente a demonstrar a lealdade à Raínha / Rei e quando Benjamin Franklin, John Jay Esquire e John Adams assinaram em nome dos EUA usaram o nome “Esquire”, sendo que isso levanta a questão do quão válido é o Tratado de 1783.

John Jay assinou o Tratado de 1794 entre a Inglaterra e os EUA, levantando novamente a questão do porquê de 13 anos depois do Tratado de Paris, os EUA precisarem de assinar um tratado com a Inglaterra se os EUA fossem realmente “independentes”.

O que precisa de ser investigado mais a fundo é porque é que os EUA continuam a pagar impostos à City de Londres se são uma nação livre?

O Tratado de 1794 assinado entre a Inglaterra e os EUA foi negociado por John Jay Esquire, que negociou o Tratado de 1783.

A questão é porque é que os EUA precisavam de assinar o Tratado com a Inglaterra 13 anos depois do Tratado de Paris de 1783, declarando os EUA como independentes? Porque é que o artigo 6 e o ​​artigo 12 continuam a ditar os termos a uma América “independente”?

Mais, uma leitura da história dos EUA revelaria o que aconteceu com a América quando cancelou a Carta do Primeiro Banco Nacional em 1811 e logo depois 4500 tropas britânicas chegaram e incendiaram a Casa Branca, ambas as Câmaras do Congresso, o Departamento da Guerra, o Departamento de Estado dos EUA e a Tesouraria, e destruíram os registos da ratificação (assinados pelos 12 estados dos ESTADOS UNIDOS) da constituição dos ESTADOS UNIDOS em que a 13.ª alteração era impedir que qualquer um que recebesse um título da nobreza ou honorário, de servir no governo dos EUA.

A guerra de 1812 durou três anos e a Carta Bancária foi restabelecida em 1816 após a ratificação do Tratado de Gante em 1815. Nota: A décima terceira emenda, que foi ratificada em 1810, não aparece mais nas cópias actuais da Constituição dos Estados Unidos.

Em 1913, a Reserva Federal foi aprovada pelo Congresso dos EUA, entregando as reservas de ouro e prata da América e o controlo total da economia americana, aos banqueiros criminosos Rothschild.

A Reserva Federal Americana é um sistema bancário de propriedade privada que não pertence à América ou aos americanos.

Não existe melhor momento para questionar se os EUA são um país ou uma corporação, e se o presidente dos EUA e os funcionários do Congresso estão a trabalhar para essa Corporação, e não para o povo americano.

Parece que a Corporação dos EUA é propriedade do mesmo país que possui o Canadá, Austrália e a Nova Zelândia, cujos líderes estão todos a servir a Rainha na sua terra da Coroa, e os EUA também tem sido e continuam a ser uma colónia da coroa que pertence ao Império das 3 Cidades-Estados – a City de Londres, a Cidade do Vaticano e Washington DC.

O presidente dos Estados Unidos é nada mais do que uma figura de proa para os banqueiros centrais e para as corporações transnacionais – ambas controladas pela Alta Maçonaria Eclesiástica da cidade de Londres, sede do sistema financeiro global.

  1. A Cidade do Vaticano

A Cidade do Vaticano não faz parte da Itália ou de Roma. O Vaticano é o último remanescente verdadeiro do Império Romano. O Estado de Israel também é considerado um posto avançado romano.

A riqueza do Vaticano incluiu investimentos com os Rothschild na Grã-Bretanha, França e EUA e também com corporações de petróleo e armas.

Dos biliões do Vaticano diz-se que estão guardados no “banco de Inglaterra”, propriedade dos Rothchilds, e na Reserva Federal Americana.

O dinheiro possuído pelo Vaticano é mais do que o dos bancos, corporações ou até mesmo de alguns governos, e questiona-se o porquê da riqueza não ser usada para ajudar pelo menos os pobres cristãos quando pregam sobre dádivas.

A riqueza do Vaticano tem sido acumulada ao longo dos séculos taxando indulgências, e alguns papas venderam ingressos para o céu. Hoje, eles estão a colher almas na Ásia, como um objectivo para o terceiro milénio.

Juntas, as 3 Cidades têm sob as suas asas várias sociedades e grupos implementados globalmente, com os seus próprios representantes, para que ninguém conteste o seu plano global e aqueles que… bem todos os assassinatos vão explicar o que acontece.

A Sociedade Fabiana é uma dessas entidades que, fundada em 1887, é uma mistura de fascismo, nazismo, marxismo e comunismo. Não é difícil agora imaginar que todas essas “ideologias” também tenham sido projectadas pelas mesmas pessoas.

Não deverá constituir nenhuma surpresa então descobrir que à Sociedade Fabiana é creditada a criação da China comunista, do fascismo na Itália e na Alemanha, e o Socialismo global também.

Isto explica até que ponto as pessoas foram enganadas e também explica o papel desempenhado pela Sociedade Fabiana na formulação de políticas para o Império Britânico descolonizado.

Significaria também que a um grande número indivíduos nativos e educados na Grã-bretanha, a quem foi dada a tarefa de liderarem as novas nações independentes, também teriam sido membros da sociedade Fabiana.

A tomada do poder comunista da Rússia também é dito ter sido obra da Sociedade Fabiana Britânica, financiada pelas famílias bancárias da City de Londres.

Um olhar mais atento sobre entidades como o Banco dos Acordos Internacionais (BIS), o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Clube de Roma, o Comité dos 300, a Agência Central de Inteligência (CIA), o Conselho de Relações Exteriores, A Comissão Lateral, os Grupos Bilderberg, o Sistema da Reserva Federal, a Receita Federal (Agência privada de Cobrança de Impostos dos EUA), a Goldman Sachs, Israel e o lobby israelense, o Vaticano, a City de Londres, Bruxelas, as Nações Unidas, a Mossad israelita e a Associated Press (AP), vai revelar que todos eles fazem parte da Sociedade Fabiana, que também controla a União Europeia.

Uma citação digna de nota é a do senador australiano Chris Schacht, que disse em 2001:

“Vocês provavelmente não estavam cientes de que nós, os Fabianos, controlamos a CIA, o KGB, o M15, a ASIO (Organização Australiana de Inteligência de Segurança), o FMI, o Banco Mundial e muitas outras organizações.”

Por tudo isso devemos compreender que NADA ACONTECE ISOLADAMENTE. Portanto, cada evento, mesmo pequeno, é projectado e orquestrado por um punhado de pessoas que controlam o mundo e o que se passa no nele.

Juntos, eles foram responsáveis ​​pelo:

  1. Aquecimento Global / Alterações Climáticas – criando uma catástrofe ambiental e ganhando o Prémio Nobel, eles criaram uma consciência pública para um “governo global” que lhes dá o direito de agir sobre os governos nacionais. Conhecida como a Agenda 21 das Nações Unidas, uma análise mais detalhada das suas cláusulas revelará como as pessoas precisarão de obter permissão para tudo o que fazem – por outras palavras, ela está a ser usada para controlar as pessoas.
  1. O sistema bancário da Reserva Federal Americana – A Sociedade Fabiana criou a Lei da Reserva Federal em 1913 para entregar a economia dos EUA a um cartel de financiadores internacionais.
  2. As grandes farmacêuticas – são responsáveis por tornarem o Terceiro Mundo dependente de drogas.
  3. O Sistema de governos locais – promoção da descentralização e do novo conceito de conselhos regionais, numa tentativa de aumentar o sistema gerador de receitas. Faz parte do plano global para abolir os governos nacionais independentes e soberanos.

A Grã-Bretanha está dividida em 9 regiões separadas da UE. Os britânicos ficarão chocados ao descobrirem que as leis da UE têm precedência sobre as leis britânicas e se eles têm dúvidas, eles precisam de se perguntar porque é que a rainha e os PM britânicos todos assinaram Tratados a entregarem o poder.

  1. Abolição dos direitos de propriedade – em 1974, na Conferência Habitat, a propriedade privada foi identificada como uma ameaça à Paz e à igualdade do ambiente.

Usando o “ambientalismo” como um estratagema, a missão era controlarem os recursos da terra e colocá-los sob uma autoridade central (ONU), e emitirem licenças para pagamento. Quem são os donos da ONU?.. as mesmas famílias bancárias.

Em 1987, o World Wilderness Congress foi organizado pelo Banco Mundial de Conservação dos Rothschild, que foi criado no mesmo ano.

É provável que o Banco Mundial seja substituído pelo Banco Mundial de Conservação – o objectivo será o de desmembrar os bancos nacionais e os seus activos, que também serão desviados para o novo banco, razão pela qual há um objectivo de fundir as moedas em dois ou três grandes grupos monetários e substituí-las por uma nova moeda eletrónica que se diz ser chamada de “dólar da Terra”.

A Nova Zelândia, aparentemente, transferiu mais de 34% da sua área de terra para áreas de Património da ONU e Parques de Conservação, e estes serão todos propriedade das mesmas famílias bancárias.

Em 1992, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento no Brasil foi presidida por Mikhail Gorbachev, responsável pela divisão da União Soviética e Maurice Strong, o agente da Rothschild London.

O tema era o da Agenda 21, que conferia aos homens direitos superiores aos dos animais, peixes, plantas, árvores e florestas.

  1. O Patriot Act, a Lei dos Direitos Humanos, a Constituição da União Europeia, e a Parceria de Segurança e Prosperidade estão a ser manipulados para colocarem o poder nalgumas mãos apenas.

Os seus planos são planeados anualmente através do Grupo de Bilderberg e os seus agentes lideram inúmeros grupos de discussão que orientam a política governamental, que são financiados pelos banqueiros criminosos que, em termos reais, dirigem o mundo.

Dessa forma, as 13 famílias bancárias que controlam o mundo controlam os bancos centrais do mundo que imprimem o dinheiro e concedem empréstimos com juros, o que explica o porquê da dívida nacional nunca diminuir.

As crises económicas, a crise do petróleo (simplesmente para aumentar os preços), as Primaveras Árabes, foram todas fabricadas tal como são as guerras. Existe uma expressão popular que afirma que todas as guerras são guerras dos banqueiros. O perigo surge também quando se trata de alimentos visto que o controlo está a ser colocado na Monsanto e nos OGMs (Organismos Geneticamente Modificados).

A Monsanto é a mesma empresa que introduziu o Agente Laranja, pelo que vale a pena ler o Codex Alimentarius da ONU e perceber os seus perigos subjacentes.

Fonte: http://humansarefree.com/2017/01/3-corporations-run-world-city-of-london.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+humansarefree%2FaQPD+%28Humans+Are+Free%29

 

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: