Dependência do Açucar: porque é que acontece e como acabar com ela

A DEPENDÊNCIA DO AÇUCAR: O CICLO PERPÉTUO 1. Você come açucar – você gosta, você devora-o – tem propriedades adictivas 2. Os níveis de açucar no sangue disparam – a dopamina é libertada no cérebro levando à dependência. 3. Os níveis de açucar no sangue caem rapidamente – os níveis altos de insulina causam o imediato armazenamento de gordura – o corpo fica ansioso pelo “pico” de açucar perdido 4. Surge a Fome e o Desejo de Comer – baixos níveis de açúcar no sangue causam um aumento do apetite e desejo de comer – o que faz com que o ciclo se repita.

Independentemente do que tenha para escolher, você não consegue evitar as escolhas “adocicadas”. Você quer sempre a sobremesa, mesmo quando a sua refeição o deixou satisfeito. Para si, qualquer hora é hora de lanchar – e esse momento é apenas outra desculpa para deitar a mão a algo revestido de açúcar. Se isso ressoa consigo no que diz respeito à sua relação com os doces, é provável que seja viciado em açúcar.

A sua relação com o açúcar é como qualquer outra relação nefasta. Você provavelmente sabe que é nefasta mas simplesmente não consegue convencer-se a afastar-se dela. Talvez não possa convencer-se de que precisa de deixar o açúcar para sempre, mas a informação neste artigo pode ajuda-lo.

Olhemos para os diferentes tipos de açúcar, o porquê de estar tão convencido de que precisa de açúcar na sua vida e, mais importante, como você pode vencer seu vício em açúcar de uma vez por todas, e deixar os maus hábitos de vez.

Quantos tipos de açúcar podem existir, na realidade?

Existe muita confusão sobre a diferença entre carboidratos e açúcar. Vamos tornar isto um pouco mais fácil: o açúcar é um carboidrato. Os carboidratos são o que é conhecido por macronutriente, como as proteínas e gorduras. Nós obtemos carboidratos dos alimentos que comemos. Uma vez que comemos carboidratos o corpo decompõe-os em energia eventualmente, numa molécula chamada de glicose. (O termo glicose no sangue, ou açúcar no sangue, refere-se à quantidade de glicose no sangue depois de digerir os alimentos).

O que torna isso mais complicado é que há mais do que um tipo de carboidratos. Diferentes tipos de carboidratos comportam-se de forma diferente no seu corpo. A forma como eles são digeridos é completamente diferente. Portanto, nem todos os carboidratos são nefastos, e nem todos são benéficos também.

Vamos falar sobre os diferentes tipos de carboidratos e como o seu corpo os metaboliza.

Açúcar

Quando se lê a secção de um painel de factos sobre nutrição, com o título “açúcar”, este é o tipo de carboidratos a que se refere: conhecidos como açúcares simples ou carboidratos simples. Eles são compostos por uma ou duas moléculas de açúcar, o que os torna muito fáceis de digerir. O seu corpo digere carboidratos simples rapidamente, o que liberta grandes quantidades de glicose na sua corrente sanguínea. Essa inundação de glicose causa um pico acentuado no açúcar do sangue. Eventualmente, em indivíduos saudáveis, a insulina entra em acção e o seu açúcar no sangue diminui. As frutas e os vegetais, bem como os grãos refinados, alimentos processados e doces, todos contém açúcares simples. Nem todos os açúcares simples são maus para si – mas muitos são considerados prejudiciais.

Fibras

Fibra é o que é conhecido como um carboidrato complexo – e é constituído por muitas moléculas de açúcar, tornando-a mais difícil quebrar. O seu corpo digere-as muito devagar, o que significa que a absorção de glicose na corrente sanguínea também é muito mais lenta. Isso leva a um pico muito menor de açúcar no sangue, que é uma das razões pelas quais os alimentos ricos em fibras são tão saudáveis. Este é o tipo de carboidratos que encontrará em frutas, vegetais, feijão, produtos lácteos e grãos. Quanto maior o conteúdo em fibra de um alimento, em geral, melhor será o alimento para si. No entanto, isso também depende de outros benefícios nutricionais, como vitaminas e minerais.

Amido

Como a fibra, o amido também é um carboidrato complexo que liberta glicose na corrente sanguínea lentamente. Encontrará amido em muitos vegetais e grãos, bem como alimentos como o feijão, pães e cereais. O amido não é mau para si, se vier integrado num alimento altamente nutritivo. No entanto, tal como os açúcares simples, se está presente num alimento que de outra forma não é saudável, não lhe fará muito bem.

O que são os açúcares adicionados?

Às vezes, os fabricantes de alimentos extraem o açúcar dos alimentos saudáveis e adicionam-no aos alimentos durante o processamento – e é assim que eles se tornam açúcares adicionados. Os açúcares adicionados contêm todos os açúcares simples encontrados nas frutas e vegetais e em muitos outros alimentos saudáveis – mas sem a nutrição que acompanha esses alimentos. E é por isso que os alimentos com açúcares adicionados – todos, desde os doces aos biscoitos, batatas fritas, xaropes e refrigerantes – são tão maus para si. Eles contêm muito doce, mas quase não têm nutrição.

Para os propósitos deste artigo, quando nos referimos a “açúcar”, estamos a falar de açúcares adicionados – os produtos químicos altamente processados que não ocorrem naturalmente nos alimentos. Não tenha medo de alimentos que contenham açúcar natural. Em quantidades razoáveis, geralmente não causará danos da mesma forma que os açúcares processados causarão.

Porque é que não consegue parar de comer açúcar?

Se suspeita que é viciado em açúcar, é provável que use alimentos com altos níveis de açúcares simples, e extremamente baixos noutros nutrientes. Alguns dos alimentos mais viciantes do mundo estão carregados com açúcares adicionados e outros aditivos alimentares sintéticos altamente processados. A ciência que explica porque é tão fácil ficar viciado no açúcar é complexa, mas se você está familiarizado com o vício por qualquer substância ou actividade, não é um conceito estranho.

Como funciona a dependência

As diferentes partes do seu cérebro se comunicam através de neurotransmissores, que viajam entre neurónios para transmitirem mensagens diferentes. De acordo com o Instituto Nacional de Abuso de Drogas, muitas drogas interferem nesse processo, arruinando completamente os sistemas de comunicação normais do cérebro. Às vezes, isso acaba por provocar sentimentos de prazer. Se um medicamento acabar por inundar o seu cérebro com dopamina, ele engana o cérebro ao fazê-lo pensar que você consumiu algo benéfico. O seu cérebro, depois, vai querer mais desse produto “benéfico” – dessa forma, você começa a deseja-lo muito mais, mesmo quando você já não quer mais.

Esta é uma explicação extremamente simplificada de como as drogas podem interferir com a sua cabeça, mas é tudo o que você precisa saber para entender porque é que comer muito açúcar é tão perigoso.

O seu cérebro dependente de açúcar

O vício do açúcar não é muito diferente de um vício de qualquer outra substância. Embora o açúcar em si não seja uma droga no sentido tradicional, ele pode agir muito como uma. As drogas podem essencialmente estimular a superprodução de dopamina, o que faz seu cérebro sentir-se bem. Comer açúcar demais também aumenta os níveis de dopamina no seu cérebro – o mesmo que acontece quando se tomam muitas drogas, acontece quando se exagera no açúcar.

Fonte: http://www.healthfreedoms.org/sugar-addiction-why-it-happens-and-how-to-quit/

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: