O Departamento Suíço de Instrução Pública implementa o “Princípio de Precaução” no que diz respeito aos dispositivos Wi-Fi e outras tecnologias Inteligentes

Em Julho de 2017, a República e Cantão de Genebra, Departamento de Instrução Pública, Cultura e Desporto, Serviço de Saúde para Crianças e Jovens da Suíça fez algo bastante invulgar, mas extremamente pró-activo, para fazer cumprir o “Princípio da Precaução”.

Fonte: [1]

O Departamento Suiço de Instrução Pública

“Emitiu uma nota sobre os riscos da tecnologia digital para a saúde, que deve ser transmitida a todos os professores no início do ano lectivo. O Serviço relembra-nos que as telas também afetam o sono e a visão e favorecem o desenvolvimento de doenças como diabetes do tipo 2, doenças cardiovasculares e obesidade. A nota menciona brevemente a radiação eletromagnética (no contexto do risco de cancro e as recomendações de precaução do Escritório Federal de Saúde Pública sobre o uso de Wi-Fi-WLAN). Esperamos que esta nota também seja enviada a todos os médicos, em particular aos pediatras” conforme a tradução do Editor do livro “Rumo a uma saúde melhor “. [2]

A informação apresentada pelo Departamento Suiço de Instrução Pública [1] descreve como são “terríveis” os problemas de saúde associados e que ninguém na indústria tecnológica ou nas suas associações profissionais, aparentemente, quer divulgar ao público, já que ao conhecerem essas informações legitimamente questionariam a “aceitação universal e confiança nas tecnologias “inteligentes” emissoras de radiação eletromagnética prejudicial”!

De acordo com a tradução [1],

“Este documento analisa os efeitos observados, questões emergentes e algumas medidas cautelares a seguir [recomendações no final do documento] e promove o uso adequado dos ecrãs e tecnologias digitais”.

No “uso por crianças”, encontramos isto:

Aos 7 anos, uma criança nascida hoje já passará um ano da sua vida a olhar para ecrãs. Aos 18 anos, essa duração é estimada ser de 3 anos e aos 80 anos, cerca de 18 anos da vida de uma pessoa passada à frente de um ecrã.

Nos “Efeitos sobre o Desenvolvimento”, temos isto:

Os Jogos e filmes de acção têm um efeito marcadamente negativo na tomada de decisões das crianças.

Observamos que a dopamina, um neurotransmissor essencial para manter a atenção, é segregada de forma significativa em jovens adultos a jogar jogos online. A dopamina também é um componente cerebral do sistema de recompensa e, portanto, estará implicada no desenvolvimento e manutenção de um vício desses jogos e na exibição em ecrãs em geral. O problema do vício afeta relativamente poucos jovens, mas pode constituir um verdadeiro problema de saúde, justificando uma terapia adequada.

Vários estudos mostraram claramente que o uso de ecrãs por crianças foi associado a um atraso no discurso. Cada hora diária de vídeo, denominados adaptados, e mostrada às crianças mais jovens, com idades entre os 8 meses e 16 meses, traduz-se num empobrecimento do vocabulário na ordem dos 10%. Duas horas de TV diária para crianças entre os 2 e 4 anos triplica o risco de atraso na fala. A razão para isso é essencialmente a redução significativa das trocas verbais intrafamiliares.

Para desenvolver, cognitiva e emocionalmente, a criança precisa de interações com outras crianças e adultos. Ela aprende a necessidade da comunicação pela exploração, toque e imitação. A visualização de imagens bidimensionais e a interação com uma tela de um ecrã não favorece essa aprendizagem. Mesmo a exposição passiva à TV (a criança não assiste mas brinca na mesma sala) tem um efeito negativo no desenvolvimento da criança.

Em “Efeitos físicos na saúde”, para além do “tempo de exposição às telas de ecrãs e muitas doenças prejudiciais à saúde”, lemos:

O sedentarismo induzido pela exposição prolongada a telas certamente desempenha um papel importante, mas não explica tudo. O stresse gerado pelo uso de TICs (tecnologias da informação e comunicação) durante um longo período persiste mesmo durante a noite e perturba o ciclo do cortisol e a secreção de insulina, aumentando a pressão arterial quer a pessoa se dedique ao exercício físico ou não.

Note que o ciclo cortisol afeta

O equilíbrio dos níveis de cortisol que estão presentes no corpo a qualquer momento que são extremamente importantes para a nossa saúde em geral. Ter muito e muito pouco cortisol no seu sistema pode causar uma série de problemas que variam de ligeiros a graves. Os efeitos de ter muito cortisol no seu corpo podem incluir ganho de peso rápido, pressão arterial elevada, fraqueza muscular e mudanças de humor severas que se manifestam em ansiedade e depressão. [3]

Nos “Efeitos sobre a Visão”,

Os efeitos da luz azul nos olhos foram estudados, em particular, juntamente com o uso de iluminação LED. Para além do efeito sobre o sono, a luz azul pode causar lesões retinais. […]

Sabemos que as crianças são mais sensíveis à luz azul e a absorvem-na com mais facilidade, o que é outro motivo para limitar a exposição às telas, em particular dos smartphones, e selecionar dispositivos digitais com filtros.

O uso prolongado de telas de ecrã também pode causar secura e irritação dos olhos e fadiga ocular. Sabe-se que isso também está a contribuir para a epidemia de miopia que observamos há já vários anos, mesmo que outros factores também causem isso.

No “Risco de cancro” informa que

Os campos eletromagnéticos gerados por dispositivos digitais estão a causar preocupação pelos possíveis efeitos cancerígenos dessa radiação. Com base no conhecimento científico actual, não há nenhum risco importante identificado, excepto um eventual risco pequeno de tumor cerebral observado em pessoas que usam significativamente o telefone celular a longo prazo (um dispositivo que emite mais ondas e é usado mais perto do cérebro). Isso levou a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Cancro da Organização Mundial da Saúde a definir a exposição a essas ondas eletromagnéticas como possivelmente cancerígena para os seres humanos.

Os campos gerados por dispositivos sem fios estão abaixo dos padrões definidos e são considerados sem risco. No entanto, ainda sabemos pouco sobre os eventuais efeitos a longo prazo. A questão continua a suscitar preocupação e controvérsia e a ser objecto de estudos. É importante respeitar certas regras como medida de precaução.

Nas “Recomendações Gerais”, encontramos inúmeras sugestões, mas destas destacam-se, na minha opinião:

Os dispositivos nos quartos de dormir devem ser limitados: sem TV, computadores, tablets. Os telefones celulares devem ser banidos ou desligados, dependendo da capacidade da criança ou do jovem de se responsabilizar. […]

Seguem-se recomendações do Escritório Federal de Saúde Pública destinado a limitar a exposição à radiação:

  • Apenas ligue sua WLAN [dispositivo sem fios] quando precisar. Com os laptops, em particular, é uma boa ideia desligar a WLAN, caso contrário, o dispositivo tentará ligar-se repetidamente a uma rede, levando à emissão de uma radiação desnecessária e a uma vida útil mais baixa da bateria.

  • Não segure o laptop perto do seu corpo enquanto estiver conectado a uma WLAN.

  • Sempre que possível, instale o ponto de acesso a um metro de distância dos lugares onde trabalha, sente-se ou descanse por longos períodos de tempo.

  • Posicione o ponto de acesso centralmente para que todos os dispositivos da rede tenham boa recepção.

  • Escolha o padrão WLAN g em detrimento do padrão b. A exposição à radiação é menor com este padrão porque transmite dados de forma mais eficiente.

  • Se for possível ajustar a potência da rede, a potência de transmissão deve ser optimizada no ponto de acesso para a área que precisa de ser fornecida.

  • Um transmissor WLAN só deve ser usado com uma antena fornecida para esse fim pelo fabricante. Se uma antena inadequada com um ganho de antena excessivo for usado, a potência de transmissão máxima permitida pode ser excedida.

Encorajo os leitores a estudarem toda a tradução, pois não posso incluir tudo o que foi afirmado.

Para além disso, eu encorajo todos os departamentos de Educação de todos os países a implementarem o Princípio de Precaução imediatamente, já que as crianças estão sendo sobre-expostas a ondas de radiação electromagnética prejudiciais, ou seja, ondas de radiação não-térmica, em particular na escola durante o horário escolar devido aos aparelhos de WIFI, pelo que os agentes reguladores, as indústrias de tecnologias e as suas associações profissionais devem ser processadas por não revelarem os factos científicos verdadeiros – em vez da “ciência consensual” – relativos à EMF prejudicial e RFs.

Referências:

[1] “Usos da tecnologia digital: saúde” pelo Dr. C.-A. Wyler, julho de 2017 – Tradução do editor de Towards Better Health

https://mieuxprevenir.blogspot.ch/2017/09/switzerland-note-issued-by-child-and.htm

[2] Email encaminhando as informações acima

[3] https://adrenalfatiguesolution.com/cortisol-levels-change-throughout-day/

Recursos:

5 biliões de utilizadores de telefones celulares no mundo: quantos usuários estão expostos a níveis de radiação de microondas para além dos padrões regulatórios

http://mieuxprevenir.blogspot.com/2017/07/5-billion-mobile-phone-users-in-world.html

Documento Original em Francês

http://edu.ge.ch/ssj/spip.php?article916

Por Catherine J. Frompovich

Catherine J Frompovich (site) é uma nutricionista natural aposentada que obteve títulos avançados em Ciências da Saúde Nutricional e Holística, Certificação em Teoria Ortomolecular e Práctica e em Estudos Paralegais. O seu trabalho foi publicado em revistas nacionais e do sector da aviação desde o início dos anos 80. Catherine redigiu numerosos livros sobre questões de saúde, juntamente com trabalhos de co-autoria e monografias com médicos, enfermeiros e profissionais holísticos de saúde. Ela tem sido investigadora de saúde do consumidor desde há 35 anos até agora.

O último livro de Catherine, publicado a 4 de Outubro de 2013, é O Voodoo da Vacinação, o que não sabe sobre vacinas, disponível na Amazon.com.

Seu livro 2012 Uma Resposta para o cancro, gestão holística do cancro da mama, um guia para tratamentos eficazes e não tóxicos, está disponível na Amazon.com e como ebook Kindle.

Dois dos livros mais recentes de Catherine em Amazon.com são o As nossas vidas químicas e o sequestro de nosso DNA, uma investigação sobre o que provavelmente nos faz ficar doentes (2009) e o Senhor, como posso viver após a minha perda, um guia inspirador sobre o Processo de Luto (2008).

Source: https://www.naturalblaze.com/2017/09/swiss-dept-public-instruction-implements-precautionary-principle-regarding-wi-fi-smart-tech-devices.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+naturalblaze+%28Natural+Blaze%29

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: