Como identificar um autêntico professor espiritual – e evitar os falsos

Hoje em dia mestres espirituais parecem ser algo fácil de encontrar. Muitos deles estão pedindo grandes quantias de dinheiro em troca de ensinamentos espirituais que, historicamente, foram passados livremente de professor para aluno.

Muitos desses professores oferecem uma solução que envolve juntar-se a uma comunidade ou culto, como um grupo exclusivo que se forma em torno do chamado mestre espiritual. A mensagem é: “se se juntar à minha comunidade e pagar-me grandes quantias de dinheiro, a iluminação será certamente sua“. Quando, na verdade, trata-se uma armadilha que envolve a manipulação e controlo.

Pela minha experiência pessoal, sei que pode ser benéfico (por um período de tempo limitado) participar num grupo em que afirmam praticar a antiga arte de mente-corpo mas, no entanto, se uma pessoa fica presa sentindo que não pode sair de lá, então há o perigo de que a pessoa se identifique apenas com aquilo que lhe fora mostrado lá pelos seus co-criadores (o líder de culto ou professores) nesse grupo. Qualquer identificação doentia com o ego dos líderes do grupo/professores torna-se então um obstáculo no caminho para atingir a iluminação eterna.

É perfeitamente aceitável que os professores espirituais/profissionais possam receber compensações pelo tempo que oferecem aos seus alunos, mas temos de estar cientes de que há aqueles que se dizem mestres espirituais, quando na verdade não são mais do que sofisticados charlatões.

A intenção deste artigo não é minar as pessoas que hoje em dia leccionam aulas de asana ou aqueles que estão oferecendo workshops da nova era. A razão pela qual escrevo este artigo é para ajudar a esclarecer algumas percepções, para que os leitores possam ter uma maior capacidade de reconhecer os verdadeiros mestres espirituais. Se você é uma pessoa que busca a orientação de um profissional mais experiente, é a minha esperança que este artigo possa ser útil para pessoas como você encontrarem o seu caminho da felicidade e libertação.

Tendo isso em vista, coloquei o que considero serem as 14 características que descrevem um verdadeiro mestre espiritual nos tempos modernos. As primeiros cinco características foram derivadas da obra Mastery: The Keys to Long-Term Success and Fulfillment do Mestre de Ai-ki-do George Leonard. As outras vêm dos meus estudos, experiência e prática pessoal.

Então, se está procurando a orientação de um mestre espiritual, estas são algumas perguntas e um “teste decisivo” que pode ser aplicado, para discernirmos se a pessoa em causa serve como um autêntico mestre espiritual.

Será que receberam eles mesmos treino e formação com qualidade?

Quem é/foi o seu professor? É uma pessoa com experiência no domínio da consciência sem ego? O quanto é familiar a essa pessoa estados invulgares de consciência? Algumas habilidades podem ser aprendidas de forma independente. Mesmo assim, se você está procurando um caminho de auto-domínio ou auto-realização, o melhor que pode fazer em primeiro lugar é preparar-se procurando encontrar um professor experiente cujo seu mestre seja reconhecido. O conhecimento, experiência,capacidade técnica e as credenciais são importantes quando se busca a orientação de um mestre espiritual.

Será que o potencial professor pratica aquilo que ele/ela ensina?

Qual é a prática pessoal dessa pessoa? Será que ele/ela medita diariamente?

Muitas vezes um professor ouve de um aluno: “Como é que você faz isso? Como é que você faz aquilo?“, e a maior parte do tempo a resposta é: “Prática, prática, prática.” Juntamente com o não-apego, a iluminação (ou Yoga) é alcançada através da prática persistente ao longo de um longo período de tempo.

Será que Ele/Ela pratica o não-apego?

O professor é ou não apegado aos frutos do seu trabalho?

Não-apegado é estar bem com os resultados das nossas acções. Não-apego é deixar ir e render-se ao fluxo do Universo. Os verdadeiros mestres espirituais permitem que os seus seguidores tenham a liberdade de seguirem as suas próprias ideias. As pessoas que servem como verdadeiros professores vivem a vida centrada nos princípios de que tudo está bem na forma como as coisas se apresentam.

Será que o professor vive a sua própria vida com intenção?

Será que essa pessoa vive uma vida intencional? É uma pessoa consciente do que ele/ela come? É uma pessoa consciente dos produtos que ele/ela adquire?

A intenção é o porquê de estarmos a fazer uma determinada tarefa, actividade ou trabalho. Intenção é viver a vida com propósito. As pessoas que servem como verdadeiros professores estão conectadas com a sua intuição. Os autênticos mestres servem como veículos para a consciência mais elevada.

Prestam-se ao limite?

Os professores magistrais apaixonam-se regularmente por questões de prática. Os professores magistrais estão constantemente à procura de áreas em que possam melhorar, mesmo só um pouco. Pequenas melhorias numa quantidade diária e semanal são a base de grandes melhorias ao longo do tempo.

Há generosidade de espírito?

Um dos princípios éticos no hinduísmo e jainismo, especificamente no Ashtanga Yoga, aparigraha é uma palavra sânscrita que pode ser traduzida pelo significado de não-acumulação, não-possessividade, ou não-apego. Os atributos positivos de aparigraha são a generosidade.

Mestres e pessoas astutas sabem igualmente que o Universo é abundante. Mestres espirituais verdadeiros sabem que cada indivíduo tem acesso infinito a uma oferta abundante de prana, a energia vital. Mestres verdadeiros dão o seu amor livremente, isso inclui mesmo aquelas pessoas que não estejam a apoiá-los financeiramente.

Professores verdadeiros sabem que a nossa iluminação está interligada e, portanto, a intenção de que todos os seres possam ser felizes e livres. Manifestando-se em muitas formas diferentes, os verdadeiros professores dão livremente sem expectativa de reciprocidade.

Vivem de forma humilde?

A felicidade é um trabalho interior. Quando um professor vive humildemente é sinal de que ele é um verdadeiro mestre espiritual. Jesus ensina-nos sobre a importância da humildade. Um professor verdadeiro não tem necessidade de carros de luxo, uma mansão ou outros bens materiais. Mesmo que o professor, provavelmente, possa ser financeiramente independente, um professor verdadeiro vive uma vida modesta numa casa modestamente feliz.

São receptivos a comentários construtivos?

Ninguém é perfeito – somos todos humanos. Estar aberto ao comentário construtivo só pode tornar a pessoa um professor mais atento e magistral. Como todos nós somos uma consciência unificada experimentando-nos a nós próprios subjectivamente, quando uma pessoa oferece um comentário construtivo e bem-intencionado, este é um aspecto da nossa consciência que é inquiridora e facilitadora na progressão do professor.

São focados em servir o próximo de forma desinteressada?

O propósito da vida é a experiência da alegria. A maneira de experimentar a alegria é através do caminho da compaixão. Compaixão envolve amar-mo-nos a nós mesmos e amar as outras pessoas. O amor envolve apreciar a beleza natural de todos e servir como um veículo da graça divina. Isso envolve, principalmente, servir outras pessoas de uma forma que realmente beneficia os receptores.

Eles rejeitam lisonjeios?

A lisonja e o suborno liga o professor à pessoa que está lisonjeando ou oferecendo o suborno. Os mestres verdadeiros sabem que aceitar lisonja e suborno é contraproducente para o estado de liberdade da consciência.

Ele/ela acredita que a prosperidade e a libertação são um direito de nascença da Humanidade?

A natureza é próspera. O estado natural de consciência da Humanidade é a felicidade e a alegria. Os verdadeiros mestres espirituais desejam o melhor para os seus alunos. Os verdadeiros mestres espirituais ensinam que a alegria e a felicidade são o estado natural da consciência da humanidade, e que a libertação e prosperidade estão disponíveis para todas as pessoas.

Riem regularmente e apreciam humor?

Alguns dizem que o riso é o melhor remédio. O Dalai Lama parece rir muito. Os verdadeiros mestres espirituais nunca se levam tão a sério a ponto de não se rirem de si mesmos. O riso é medicina natural, e esta característica confere níveis de jovialidade a quem a pratica.

Eles falam a verdade, mesmo que seja impopular?

Nas filosofias de vida na India, satya é uma palavra sânscrita que significa verdade ou veracidade. Os verdadeiros mestres espirituais dizem tal como ela é, mesmo que multidões de pessoas não reconheçam a verdade. A verdade não é para ser usada como uma arma, porque pode ferir os sentimentos das pessoas e, ao mesmo tempo, os verdadeiros mestres espirituais sabem que é de sua responsabilidade serem uma representação daquilo que é verdadeiro e saudável.

Eles ensinam que o autodomínio é um objectivo que perseguem ao longo da vida?

A maestria é um caminho. Nas culturas ocidentais, pelo menos, os verdadeiros professores espirituais estão num caminho de incessante desenvolvimento pessoal.

Conclusão:

Se uma pessoa atender a todas – ou à grande maioria – das características acima mencionadas, pode-se considerar que essa pessoa serve como um verdadeiro mestre espiritual. Para além disso, a verificação por si mesmo em relação ao que você sente sobre esse mestre é fundamental. O que é que a sua intuição lhe diz?

Espero ter sido útil no seu caminho para a felicidade, alegria e libertação.

11 de Agosto de 2015

Por Christopher Bueker

Sobre o autor:

Christopher Bueker é um escritor convidado para Wake Up World, BS, RYT, praticante e professor de Ashtanga Yoga, blogger, orador público, e Life Coach. Ele lecciona em vários estúdios de Yoga e centros comunitários em Cincinnati, Ohio. Os blogues de Christopher são sobre atenção da mente, meditação e Yoga. Ele é apaixonado sobre a vida sustentável, alimentação saudável, e uma consciência mais elevada.

O site de Christopher é o The Mindful Communicator, e você também pode conectar-se com ele no Facebook e no Twitter.

A tradução original deste artigo para português foi publicada no site http://reencontrandoadeusa.blogspot.pt/2016/01/como-identificar-um-autentico-professor.html

Deixe um comentário

Top