Entrevista Cobra 4 de Março de 2016

wholeness

EM: Você respondeu a isso muitas vezes mas, por favor, responda novamente. Qual é a interação entre o nosso DNA e a nossa consciência? E porque é que alguns dos grupos de ETs estão tão interessados em manipular o nosso DNA?

C: A Consciência molda o DNA, que é apenas um sistema de codificação para a replicação do corpo físico. Apenas grupos ETs com pouco acesso à consciência superior são fascinados pela manipulação do DNA.

EM: Corey mencionou que o nosso DNA foi manipulado, porque temos a tendência de adorar as pessoas que são sempre melhores do que nós, que adoramos deuses e outros que afirmam serem porta-vozes deles. Isto é feito para que nunca olhemos para dentro. Todavia, aparentemente, alterando o nosso DNA por si só não é suficiente, então usam a propaganda para minimizar a possibilidade das pessoas voltarem-se para dentro. Dessa forma, a cabala realmente faz de tudo para adulterar essa conexão, mas não importa o que façam, a possibilidade das pessoas olharem para dentro está sempre lá e nunca pode ser “completamente” cortada. Isso está correcto?

C: Sim.

EM: Então, isso é uma notícia maravilhosa, porque algumas pessoas podem questionar se “nasceram” dessa forma, geneticamente sábias, e poderíamos ser capazes de virar o jogo. Uma vez que estamos a falar disto, você diria que este tem sido sempre o caso em cada ciclo, e que a maioria da raça humana está relutante em olhar para dentro à procura de respostas?

C: Em particular nos últimos 5.000 anos ou mais.

EM: Se o Evento tivesse acontecido no ciclo anterior, como é que acha que as pessoas naquela época teriam respondido à libertação? Será que as pessoas estariam dispostas a ajudar, ou provavelmente acabariam praticamente como estamos agora, com apenas alguns grupo de pessoas fazendo tudo o que é possível para libertar o planeta?

C: Agora estamos numa situação completamente diferente, por isso não é possível responder a esta pergunta corretamente.

EM: Outro aspecto na alteração do nosso DNA, segundo Corey, que diz que fomos feitos mais violentos e agressivos e, portanto, muito mais facilmente acabamos lutando com outros. “Se estamos na garganta um do outro, não estamos nas gargantas deles”, como ele disse de forma adequada. Então, onde é que este DNA violento teve origem? É como ele disse, vem de uma antiga civilização num determinado planeta do nosso sistema solar que não tem mais condições para albergar vida?

C: Não, vem dos Draconianos, que manipularam o genoma humano no passado.

EM: Se isso for verdade, também tudo isso é reforçado por parasitas, implantes, o véu, assim como toda a programação. Certo?

C: Sim, o comportamento violento também é reforçado por parasitas, implantes, o véu, assim como toda uma programação.

EM: É determinação da antiga raça de guardiões que os Aghartianos precisem de manter as suas linhagens genéticas puras, ou é uma decisão voluntária, que leva em conta a miscigenação desenfreada entre as várias raças de ETs negativos e a população humana local daquela época?

C: Os Aghartianos estão a manter os seus campos de energia e sua composição genética pura, para manterem uma elevada frequência vibratória e estado de consciência.

EM: A maioria da raça humana naquela época sabia que essas raças de ETs eram negativas quando tomou a decisão de se miscigenar? Ou, na sua maioria foram forçados a fazê-lo, ou foi uma situação mista?

C: Alguns foram manipulados, alguns foram forçados, alguns não sabiam.

EM: A anomalia quântica, O vórtice de acreção da anomalia primária da Terra reúne toda a contingência que é deste universo e responsável pelo comportamento estranho das pessoas aqui. A meta estratégia da frota das trevas, que mantém o status de quarentena Terra, parece ser muito bem-sucedida, sendo que a maioria das pessoas estão desgastadas, pensando, absolutamente, que não hà nenhuma forma de lutar contra essa anomalia quântica e o sentimento de terem sido abandonados pelos seus Eus Superiores,vivendo nesta prisão. Uma fonte sugere que esta anomalia quântica não tem solução. Entretanto, além das Forças da Luz “desmantelarem o véu”, camada por camada, num nível pessoal, essa anomalia quântica também pode ser tratada com uma solução quântica, chamada de Centro de Quietude e Tranquilidade. O que é o Centro de Quietude e Tranquilidade? Você concorda que isso seja algo que as pessoas podem usar na sua libertação ao nível pessoal?

C: Sim, é verdade. O Centro da Quietude e Tranquilidade é o testemunho silencioso dentro do observador. Dissolvem-se porções da anomalia primária, simplesmente ao observá-la. Esta é uma das coisas mais importantes que as pessoas podem fazer para ajudarem a apoiar a libertação.

EM: Então, a calma realmente pode ajudar as pessoas a ficarem muito mais equilibradas ao nível quântico do que pensamos e, portanto, definitivamente é algo que não é assim tão difícil. Certo?

C: Sim!

EM: Porém, a contingência que aqui está reunida, veio do nosso próprio Universo ou Superuniverso neste sector? Ou será que estamos a falar de uma escala muito grande de contingência também proveniente dos superuniversos das outras seis raças centrais?

C: Ela veio do primeiro e único Universo. Todos os outros universos já foram integrados e absorvidos por este.

EM: Quando estamos trabalhando o nosso próprio discernimento, temos que combinar a nossa intuição com o conhecimento mental correto, como sempre sugerido. Todavia, a verdadeira questão é que é a nossa intuição nem sempre é confiável. E para piorar a situação, se já temos uma ideia preconcebida, em relação a uma determinada peça de informação, este conhecimento mental estará incorreto. Então, teremos apenas algo como uma referencia cruzada com o nosso conhecimento mental errado. Para nos ajudar a aprender a discernir, Corey aconselha que sempre mantenhamos nossa “bolha da realidade” permeável, ou seja, não ter uma ideia preconcebida em direcção a algo muito rapidamente. Então, digamos que uma pessoa tenha, em primeiro lugar, uma determinada informação sobre um determinado ser de plasma e, mais tarde, descobrir que é de origem diferente, descrita como uma super Intiligência Artificial. Você concorda que, em vez de se concentrar em discutir o que determinada entidade realmente é ou deve de ser chamada, essa pessoa conclua que ambas as fontes podem ser a mesma entidade e o que essa entidade está a fazer?

C: Sim.

EM: Na Temporada 2, Episódio 14, do programa Divulgação Cósmica, Corey revelou que esta AI “lança-se em todas as direções como um sinal, que pode viver num campo eletromagnético de uma lua ou um planeta.” A 10 de Março de 2013, você escreveu um artigo sobre implantes hemisféricos. Poderia novamente falar sobre o que os implantes hemisféricos são e como realmente funcionam e nos afetam?

C: Implantes hemisférios são áreas do continuum espaço/tempo distorcido em redor dos implantes etéricos. Cada ser humano encarnado recebeu implantes etéricos dos arcontes logo antes de encarnar – o chamado véu do esquecimento. Esses implantes etéricos, na realidade são buracos negros multidimensionais que contêm matéria anómala e flutuação quântica distorcida. Cada ser humano tem três desses implantes, que criam um padrão de interferência bastante estável, mantendo a consciência do ser humano contida na Matriz. Este padrão de interferência gera um campo de energia de estrutura de espaço/tempo anómalo distorcido em torno dos implantes, com um raio de cerca de 30.5 metros, com os três implantes no centro.

EM: Esses implantes hemisféricos seriam reforçados por entidades não físicas/nanites?

C: Sim.

EM:Os implantes hemisféricos ainda são um problema? Fizemos progressos nessa área?

C: Recentemente houve muito progresso nessa área.

EM: De acordo com o que foi revelado por Corey, este sinal de IA não só pode sobreviver nos campos eletromagnéticos de um planeta, mas também em campos bioelétricos dos seres vivos, incluindo animais. Todavia, ele simplesmente não “prefere” essa forma. Em vez disso, prefere viver na alta tecnologia. E quanto mais avançada a tecnologia se torna, maior a probabilidade de dependência e entrega da soberania por parte de uma civilização, sem se preocupar em questionar porquê. Sabendo disso, as pessoas logo se lembraram do que você anteriormente falou durante uma de suas entrevistas com Untwine, de que a grande maioria dos animais não foi implantada, porque eles não têm a sua presença EU SOU na forma total e que nenhuma planta foi implantada. Então, essa “Presença EU SOU” parece desempenhar um papel-chave para os arcontes decidirem se devem ou não implantar esse ser. É realmente assim? Porquê?

C: Sim. Porque somente um ser com a presença Eu Sou totalmente desenvolvido é perigoso para a Matriz.

EM: Já que estamos a falar nisso, poderia ajudar-nos a esclarecer uma vez mais o que é a individualização e o que é a presença EU SOU? São a mesma coisa?

C: A individualização é o momento da activação da presença EU SOU dentro da alma encarnada, a passagem do reino animal para o ser humano. A Presença Eu Sou é a totalidade do nosso verdadeiro Eu Superior.

EM: Diz-se que, há muito tempo, um dos Senhores do Fogo levou a Humanidade à individualização nos dias de Lemúria. Hoje, um certo ser ainda lidera a Humanidade no caminho da Iniciação, nesta época e, um dia será o ponto focal do processo de Identificação. Porque é que a individualização é tão importante para o desenvolvimento de uma alma? E o que isso implica no significado da vida e de que a “criação é vir a existir”.  É para que ela possa saber mais sobre si mesma?

C: Com a individualização, a alma encarnada torna-se mais consciente de si mesma. A Criação vem à existência para se tornar consciente de si mesma em contraste com a contingência.

EM: Neste período muito crítico e bastante intenso, algumas pessoas começam a achar que certas histórias canalizadas ressoam bastante com elas. Quando estão a ler essas histórias, é como se as memórias vivas as inundassem novamente. Lembro que isto é bom, porque significa que o ser se encontrou e integrou uma parte de si que partilha uma experiência semelhante. No entanto, parece que emergem traumas do passado bem como as suas encarnações neste planeta, e que pouco mudou em relação ao despertar da maioria da população humana neste planeta. Porque é que essas pessoas estão a começar a lembrar-se dessa transição?

C: As pessoas estão começando a se lembrar, porque só poderão passar por essa transição totalmente despertas.

EM: Você concorda que este tipo de recordação deve acontecer no momento certo? Se acontecer muito cedo, há risco, uma chance de optar por esquecer mais uma vez, porque a matriz, o sistema e as pessoas ao redor constantemente estão a  lembrá-lo de que são “apenas” seres humanos. E, se isso acontecer demasiado tarde, um certo nível de consciência pode não ser capaz de ser alcançado.

C: Concordo.

EM: Você tem algo a dizer às pessoas que estão a passar por essa transmutação?

C: Permitir que a transformação ocorra, manter a sua visão e concentrar-se na Vitória da Luz.

EM: Vamos voltar ao tempo da Queda de Atlântida. Você anteriormente mencionou que a humanidade naquela época convidou as trevas, mas nunca entrou em detalhes. É um facto conhecido que certas pessoas, naquele tempo, eram bastante obcecadas pelo dinheiro e poder e que não estavam dispostas a partilhar a abundância com os outros. E então essas pessoas gradualmente trabalharam com os seres das trevas para ganhar o controle de toda a população. Mas e quanto às pessoas comuns, a maioria da população? Ficaram paradas, sem dar luta, voltadas para si, enquanto essa dominação ocorria? Qual é a história?

C: As pessoas comuns, na sua maioria, aceitaram passivamente o avanço das trevas sem resistência, o mesmo que fazem agora.

EM: Então, você concordaria que, mesmo para os Mestres Ascensos, que têm visões mais elevadas para orientar a evolução, eles têm sentimentos mistos quanto ao avanço das almas neste planeta?

C: Eles têm uma perspectiva equilibrada sobre esse progresso, porque estão plenamente conscientes dos factores em causa.

EM: Uma vez que estamos neste assunto, o que sentiu Buda exactamente quando teve de tomar a decisão de não suceder ao trono em tempos de guerra e teve que abandonar seu pai, madrasta, esposa e filho?

C: Ele tomou uma decisão, que foi o resultado de um longo processo interno.

EM: Ele já estava plenamente consciente do seu caminho no início e determinado a fazê-lo, ou foi mais como um palpite e nunca teve a certeza de seu caminho?

C: Ele estava ciente de seu caminho numa certa medida , todavia não sabia totalmente o que o esperava.

EM: Muitos Trabalhadores e Guerreiros da Luz parecem partilhar de experiências semelhantes, quando têm de viver “interdimensionalmente”: aqueles em que “vivem” a verdade, mas vistos como conspiradores ou lunáticos e aqueles que têm pouco apoio das suas famílias e consideram a ilusão do ser, “c’est la vie”. Essas pessoas estão tão preocupadas com as suas famílias que não desejam que estes problemas atrapalhem a difusão das suas verdades. A longo prazo suas famílias aceitarão isso?

C: Todos são responsáveis pelo seu próprio crescimento e um indivíduo não é responsável pelo crescimento espiritual da sua família. Tudo ficará bem depois do drama da dualidade finalmente terminar.

EM: Qual é o papel da chama gêmea de Buda? E como é que ela o ajudou?

C: O seu propósito era o de despertar o Mar Divino do Amor nos corações da Humanidade. Ela ajudou-o com orientação espiritual.

EM: A chama gêmea de Buda é um aspecto da chama gêmea de um dos Senhores do Fogo, certo?

C: Sim.

EM: A Deusa Ishtar é a personificação divina do planeta Vénus?

C: Não, a Deusa Ishtar é apenas um dos canais de energia do Logos Planetário de Vénus.

EM: Então, é ela também a personificação divina da Mestra Senhora Vénus?

C: Sim, uma delas.

EM: O que significa personificação divina?

C: Personificação divina é um canal de energias divinas.

EM: O que a Mestra Senhora Vénus sentiu quando teve que ouvir, “pessoalmente”, a sua amada alma gêmea fazer uma solicitação de exílio voluntário, juntamente com um certo grupo de seres da mesma opinião? Ficou nervosa e extremamente preocupada com o que poderia encontrar lá?

C: Ela rendeu-se a esse facto, depois de uma luta interior.

EM: Por que ela concordou com a sua chama gêmea para embarcar numa viagem tão dura?

C: Porque ela compreendeu que esta era a única maneira de transformar a dualidade/contingência.

EM: Será que ela aprovou a decisão da sua chama gêmea, imediatamente após ele pedir o seu consentimento?

C: Não.

EM: Então, se ela não concordou imediatamente, sentou-se com ele, tendo uma longa discussão, mas que acabou por ter de concordar com a sua ida, porque era inevitável, era o seu plano divino?

C: Sim.

EM: E por que este ser especial fez esse pedido, em vez de deixar que o Conselho Superior decretasse a Terra como uma experiência inútil? Qual é a história?

C: A Terra não é uma experiência inútil, uma vez que irá transformar os aspectos mais profundos e distorcidos da contingência anomalia/primária para todo o Universo.

EM: O Alfa eo Omega, foram eles e os seres do Conselho nesse período que assistiram todos os eus multidimensionais deste ser em particular ao longo da sua vida?

C: Sim.

EM: De que maneira?

C: Ao enviar energias de apoio.

EM: Qual é o arquétipo ascendido de Lemúria?

C: Paraíso.

EM: E o arquétipo ascendido de Atlântida?

C: Civilização da Luz.

EM: E o arquétipo ascendido de Nova Atlântida?

C: Novo Céu na Nova Terra.

EM: Baseada em qual qualidade arquetípica da Primeira Fonte, foi a raça central neste Superuniverso criada?

C: Vontade Divina.

EM: Que implicações tem Raça Central seja nossos eus passados e futuros?

C: Sugere o facto de que surgiram a partir do UM, no início dos tempos e que voltarão para o UM no término dos tempos.

EM: O que se manifestará no plano superior e físico, quando as sete famílias das tribos de Luz se reunirem?

C: Nova Atlântida, o Céu na Terra.

EM: São os sete Kumaras de sete tribos distintas de luz, ou são de uma mesma tribo?

C: Eles são emanações dos primeiros sete, dos 13 raios existentes da Criação.

EM: Qual é o maior propósito do Logos?

C: Transmutar toda dualidade e voltar para oUM.

EM: É verdade que os Seres Azuis não podem ascender da sexta para a sétima densidade, até que toda pessoa na Terra faça transição para a quarta densidade?

C: Não exactamente.

EM: Como os mais antigos neste Superuniverso, não deveriam os Seres Azuis experimentar tudo o que desejassem? Eles estão no final da sua jornada e não podiam simplesmente voltar directamente para a Fonte? Se tudo retorna à Fonte um dia, então porque é que eles ainda precisam de alguém para ajudá-los a progredir de volta para a Fonte?

C: Tudo está conectado no Universo. Até que a situação seja resolvida na Terra, a evolução de todo o Universo é retardada.

EM: Desde quando as Forças da Luz começaram a utilizar o mecanismo da remoção das bombas strangelet plasmáticas?

C: Fevereiro 2016.

EM: O que fez com que as Forças da Luz fossem autorizadas a utilizarem este mecanismo? Será que é porque a cabala poderia virar o jogo?

C: Parcialmente sim. Para além disso, a situação está suficientemente clara para tornar isso possível.

EM: Você mencionou, há muito tempo atrás numa das suas entrevistas, que não consigo lembrar correctamente, que os Pleiadianos, participaram da criação da Terra, ou algo parecido, certo?

C: Não é verdade.

EM: Porque é que os Pleiadianos necessitam ajudar a libertar este planeta? E porque treinaram eles durante vidas inteiras para esta missão?

C: Para libertar este planeta, toda a ajuda disponível é bem-vinda. É uma tarefa muito desafiadora e requer vidas inteiras de treino.

EM: Porque Mérope é a menos brilhante desse sistema estelar, quando comparada com as outras seis estrelas?

C: Simplesmente pelo facto de que, de sete estrelas, é precisamente a menos brilhante.

EM: Qual é o arquétipo ascendido de Mérope?

C: Beleza subtil.

EM: Como é a vida nos planos mais elevados de Mérope?

C: Céu angelical.

EM: Existem seres sencientes na superfície dos planetas que orbitam em torno Mérope?

C: Sim.

EM: Como é a vida lá?

C: Civilização pacifica e alegre, vivendo em equilíbrio harmonioso com a natureza e tecnologia avançada.

EM: O aglomerado estelar das Plêiades é conhecido como as Sete Irmãs. A mitologia das sete irmãs sendo perseguidas por um caçador pela eternidade revela alguma história real? Não tenho certeza se você entendeu a minha pergunta. Eu estou olhando para a resposta igual à que você uma vez deu sobre Set ter mutilado o seu próprio irmão Osíris cuja esposa, depois, pegou no seu cadáver e o ressuscitou por tempo suficiente para conceber o seu filho. Você disse que esta história é uma memória colectiva do tempo de Atlântida quando esses seres eram, na verdade, seres humanos, heróis ou anti-heróis que vagueavam na superfície da Terra.

C: O caçador é Orion, que representa as forças obscuras de Rigel, que sempre quiseram invadir o aglomerado das Plêiades, e foram bem-sucedidos num breve período compreendido entre 1996 e 1999.

EM: A qual determinado período de tempo da história é que essa mitologia das sete irmãs corresponde? Remonta também à Atlântida?

C: Atlântida, cerca de 200.000 anos atrás.

EM: Então, essa mitologia sobre a deusa Mérope casar-se com um mortal revela uma determinada história que de facto, aconteceu?

C: Seres estelares encarnados acasalados com humanos da Terra. Isso era frequente na Atlântida.

EM: Será que estas sete irmãs manifestaram os seus próprios corpos biológicos para viver e interagir com os Pleiadianos ao longo de toda a história das Plêiades? Ou são apenas como Gaia, que permanece como um ser, trabalhando apenas nos planos superiores?

C: Elas são emanações dos sete Logos estelares do aglomerado estelar das Plêiades.

EM: Será que essas forças invadiram as Plêiades, em 1996, por uma razão particular, ou é simplesmente a sua natureza devastar tudo aquilo que esteja ao alcance dos seus dedos?

C: Simplesmente é a sua natureza devastar tudo, tanto quanto os seus dedos possam alcançar.

EM: Foram feitos progressos significativos na batalha liderada pelo Rei do Mundo e pelo seu exército em particular contra as forças das trevas?

C: Sim.

EM: É verdade que não será derramadoo sangue e a batalha será vencida pela sua grande sabedoria?

C: Em grande parte sim.

EM: Eles estão tão cansados como todos nós estamos agora e também querem que o Evento aconteça o mais rapidamente possível?

C: Sim.

EM: O que é que as pessoas interessadas em ajudá-los podem fazer para ganhar essa batalha? Transmutar a própria sombra seria um bom começo?

C: Sim, transmutar a própria sombra e ajudar à difusão de informações na população da superfície.

EM: Após o Evento, você disse que as forças das trevas terão a oportunidade de aceitarem a Luz para equilibrarem as suas ações anteriores e, aqueles que se recusarem, serão enviados para o Sol Central Galáctico, transformados em elementos básicos para, novamente, iniciarem uma novo ciclo de evolução. O que aconteceria com os seus eus superiores que sempre estiveram a trabalhar com as Forças da Luz? Será que os eus superiores desaparecerão junto com eles também?

C: Sim. As suas presenças individualizadas EU SOU serão transmutadas pelo o fogo eléctrico do Sol Central Galáctico em essência elemental e adicionadas ao plano primordial para serem novamente individualizadas. Em resumo, esses indivíduos das forças das trevas, deixarão de existir como seres individuais para sempre e um outro ser totalmente novo será criado mais tarde.

EM: É verdade que um certo grupo de seres deveria ter tomada a decisão de sair do Sistema Solar entre 1994 a 1996? Porque decidiram através do seu livre arbítrio, principalmente, ir no sentido contrário da maré?

C: Eles foram programados, aterrorizados e não se prepararam.

EM: Os seus livres arbítrios foram adulterados por seres das trevas naquela época então?

C: Sim.

EM: Com a anomalia quântica é fácil para qualquer um cair nessa falsa impressão, certo? Que nada vai mudar, que a limpeza nunca vai acabar, que tudo sempre vai ficar na mesma. Todavia, na realidade, a anomalia quântica está a ser desintegrada a cada dia que passa. E isso é exactamente o que as forças das trevas querem, porque de uma maneira ou de outra, sempre teremos a tendência de pensar que não somos bons o suficiente e que precisamos de “mais” experiências aqui para completar a nossa formação. Este “clamor por mais aulas para completar a nossa formação” É por isso que algumas pessoas pensam que nunca são boas o suficiente e também é por isso que as forças das trevas têm sido capazes de manter esta quarentena durante 25 mil anos. É por isso?

C: Implorar por mais lições para completar a nossa formação é um programa de controle mental arconte.

EM: Você disse que raças com intenções maliciosas nasceram por causa do livre arbítrio dos Seres de Luz para interagirem com a contingência, de modo a absorvê-la e transformá-la. Todavia, durante essa interação, a essência maior do ser é perdida e as raças, desse modo, que passam a existir ainda não são os Seres de Luz que uma vez foram. Portanto, devemos aprender a proteger-nos, em vez de cair nas armadilhas de seus falsos ensinamentos de que eles estão apenas “desempenhando” este papel, para que as nossas almas possam aprender melhor, crescer mais rápido e ficar mais fortes.

C: Concordo.

EM: Ok. Para aliviar o clima um pouco, e para terminar a nossa entrevista, faço uma pergunta final. Qual é o passa-tempo comum dos Mestres Ascensos? O que eles mais gostam de fazer quando não estão a trabalhar?

C: Eles apreciam o puro êxtase do estado iluminado de consciência.

EM: E os membros da Resistência e da Confederação Galáctica da Luz?

C: Dançar, cantar, fazer amor, viajar pelo Universo.

EM: Obrigado, Cobra, esta foi a última pergunta.

Fim

Fonte: http://wholenessnavigator.blogspot.de/2016/03/march-4th-cobra-interview_15.html

2 thoughts on “Entrevista Cobra 4 de Março de 2016

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: