Robert De Niro: ‘há uma ligação entre as vacinas e o autismo’

De Niro

Robert De Niro entrou na controvérsia sobre se vacinas podem causar autismo, dizendo que ele acredita que há uma ligação e que algumas crianças não devem ser vacinadas.

De Niro revelou no mês passado que o seu filho Elliot, de 18 anos, tem autismo, e disse na quarta-feira que acredita que algumas crianças estão em risco de serem prejudicadas pelas vacinas.

A estrela de “O Padrinho” é a mais recente celebridade a fazer tais afirmações, que foram quase universalmente rejeitadas pelos médicos, mas são aceites por um número crescente de pais.

“Há uma grande quantidade de coisas que não estão a ser ditas”, disse ele no Today Show da NBC. “Eu, como pai de uma criança que tem autismo estou preocupado, e eu quero saber a verdade”.

De Niro, de 72, fez os comentários depois do filme que associa a vacina contra o sarampo, papeira e rubéola (MMR ou tríplice viral) ao autismo ter sido retirado do festival de cinema de Tribeca, em Nova Iorque, que ele próprio co-fundou.

O filme, intitulado Vaxxed, provocou uma enorme reacção pela sua posição anti-vacinas, mas o actor disse que todos deveriam vê-lo porque “há definitivamente algo mais do que se quer fazer crer”.

Para ver o filme com legendas em português clique no link abaixo:

Ele disse na quarta-feira que há uma “histeria, uma reação instintiva”, para descartar as preocupações sobre as vacinas, mas que ele está convencido de que existe uma correlação de algum género.

“Eu não sou um cientista, mas eu sei porque existiram tantas reacções – vamos descobrir a verdade”, disse ele.

O vencedor do Oscar disse que a sua esposa acreditava que Elliot tinha mudado da noite para o dia depois tomar uma vacina, e que numerosos outros pais se sentiram culpados sobre o facto das vacinas eventualmente terem prejudicado os seus filhos.

Paul Offit, director do Centro de Educação para as vacinas do Hospital Infantil da Filadélfia, disse que tais comentários por alguém tão respeitado como De Niro prestam um serviço “muito mau” aos pais.

“Robert De Niro tem uma criança com autismo e, por isso, ele questiona-se bastante se as vacinas podem ter causado isso”, afirma ele. “Essa é uma pergunta com resposta, e já foi respondida”.

Dr Offit afirma que 15 estudos foram feitos envolvendo centenas de milhares de crianças, e que cada um tinha provado definitivamente que a vacina da tríplice viral não causa autismo.

“Eu não sei o que os pais querem que façamos”, diz ele. “Nós levamos a sério as preocupações, nós gastamos uma grande quantia de dinheiro para abordar essas preocupações, e a parte frustrante é que, quando elas são abordadas as pessoas simplesmente optam por não acreditar”.

De Niro nega que o problema tenha sido resolvido, e diz que as vacinas podem ser seguras para a maioria das crianças, mas que algumas são susceptíveis de serem prejudicadas.

Ninguém parece querer resolver isto ou então eles dizem que abordaram a questão e que é um assunto que está fechado. Mas isso não acontece pois ser porque há muitas pessoas que se chegam à frente e dizem: Eu vi o meu filho a mudar da noite para o dia. Eu vi o que aconteceu e eu deveria ter feito alguma coisa mas não fiz. Portanto, este assunto tem mais do que se lhe diga, acredite.

A intenção aqui é a de abafar o assunto – e não há nenhuma razão para isso. Se você é um cientista, veja, ouça. Parece que ninguém quer ouvir muito sobre isso, como se fosse um assunto fechado”.

A ligação entre a vacina da tríplice viral e o autismo foi estabelecida pela primeira vez por Andrew Wakefield, um pesquisador médico britânico. O seu estudo de 1998 foi mais tarde considerado fraudulento, e ele foi impedido de exercer medicina no Reino Unido.

Fonte: http://www.telegraph.co.uk/news/2016/04/13/robert-de-niro-there-is-a-link-between-vaccines-and-autism/

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: