vegans-kill

Os Veganos e os Vegetarianos acreditam que não matam animais mas isso não é Verdade

Há menos de uma semana atrás, Claudio Bertonatti, um dos mais reputados naturalistas da Argentina, escreveu um artigo que desencadeou um terremoto. O tsunami já chegou até nós aqui e é provável que se chegue ainda mais longe.

No seu artigo, The Vegan Confusion, ele avisa que comer vegetais não impede a morte de animais. Bertonatti enfureceu milhares de veganos e vegetarianos, bem como outros conservacionistas da natureza. No entanto, muitos dos que leram o seu artigo aprenderam algo sobre os direitos dos animais que talvez nunca lhes tivesse ocorrido.

Conversamos com Claudio sobre esta sua ideia e a ruptura que causou, e discutimos os pontos mais importantes da controvérsia.

Cláudio, você era vegetariano. O que fez você decidir tornar-se num?

Quando adolescente, eu cresci com interesse pela natureza. Eu pensei que ao tornar-me vegetariano eu evitaria matar tantos animais. Mas depois mudei de ideias.

O que aconteceu?

Comecei a estudar a natureza e a sair para o campo para observar a vida selvagem. Notei que nos campos de culturas agrícolas não havia pássaros, e os poucos que estavam lá acabavam sendo perseguidos. Então comecei a estudar anfíbios, mamíferos, répteis e peixes e percebi que estava confuso.

Como?

Como vegetariano, eu estava a ajudar a evitar a morte e o sofrimento de animais domésticos, mas não de espécies selvagens. E muitas dessas espécies – ao contrário das vacas, porcos e cabras – estavam a desaparecer. Então, eu voltei a tornar-me omnívoro.

O que o levou a escrever este artigo?

Na Argentina, encontro muitas pessoas que se dizem defensoras da natureza porque não comem carne nem usam couro. Eles pensam que por serem veganos ou vegetarianos estão a impedir que os animais morram. Mas não é verdade.

Porquê?

A partir do momento em que os seres humanos começaram a criar gado e a adoptar a agricultura geramos um impacto. Não há espécies animais cuja sobrevivência não resulte na morte de outros animais, directa ou indiretamente. Eu entendo que isso pode ser uma conclusão dolorosa. Eu também gostaria de viver num mundo ideal, mas essa não é a realidade. Muitos veganos e pessoas que só usam algodão parecem acreditar que não causam mortes, mas causam.

Quando digo isso, muitas pessoas sentem que estou as estou a encurralar.

Mortes indirectas?

Trigo, arroz, milho. A maioria dos veganos come essas coisas. O primeiro impacto do cultivo em massa é o desmatamento: forçamos a natureza a abrir espaço para as lavouras. Na Argentina, incendiaram a selva, queimaram ninhos com lança-chamas. Então eles devem defender a terra semeada dos pássaros que vêm alimentar. Muitos fazendeiros fazem isso espalhando grãos envenenados. Depois disso, os herbívoros selvagens vêm procurar os primeiros rebentos, então os latifundiários colocam cercas eléctricas ou caçam os animais com armas.

Se você comer carne, você mata animais, mas você também os pode matar ao comer plantas

O que acontece durante a colheita?

A terra é fumigada para combater os fungos, insectos e outras plantas. Os animais que foram expulsos mudam-se para outras áreas que já suportam animais: o hotel está totalmente reservado. Assim, os animais vão aos campos de cultivo vizinhos e uma outra onda dos impactos é gerada.

Em contraste, afirma ele, nos campos dedicados à pecuária há mais espécies de outros animais.

Há muitos prados selvagens na Argentina. Você pode fazer uma caminhada por lá e encontrar de tudo: anfíbios, répteis, pássaros. Claro, eu estaria a mentir se eu dissesse que há a mesma variedade de animais que você teria se as vacas não estivessem lá. O agricultor também persegue animais selvagens e mata todos os animais que considera prejudiciais à produção. Mesmo assim, o impacto é menor. Quando digo isso, muitas pessoas sentem que as estou a encurralar.

Em que sentido?

No sentido de que não há fuga: se você comer carne, você mata animais, mas você também os mata ao comer plantas. Muitas pessoas que preocupam-se com questões ambientais e procuram os bons e os maus, mas não é assim: é muito mais complicado.

Dê-nos um exemplo.

Há muitas pessoas por aqui a manifestarem-se e a afirmarem “Não à exploração de minérios. O slogan deveria ser “Não à mineração que explora imprudentemente os recursos e as pessoas”. Os activistas usam computadores que não existiriam sem os metais trazidos das minas. Estou surpreendido por eles não verem o quadro maior.

A maioria dos matadouros na Argentina são modelos de crueldade. Eu nunca poderia fingir que era de outra forma!

O que é que você acha da forma como a carne é produzida em massa – a indústria da carne?

É uma tragédia. As instalações para alimentar os animais e a maioria dos matadouros na Argentina são modelos de crueldade desenfreada. Eu nunca poderia fingir que seria doutra forma!

Há evidências de que os recursos necessários para a carne são muito maiores do que os necessários para os produtos hortícolas. E, que as culturas constituem uma grande parte desses recursos: uma alta porcentagem deles são usados para alimentar o gado.

Isso é verdade. Eu sei que a maioria das culturas de soja são usadas para este fim. Não estou a afirmar que os veganos são estúpidos ou que todos devem tornar-se carnívoros, só estou a afirmar que é importante ser sensato, adoptar uma posição inteligente e mostrar alguma solidariedade.

Para um fundamentalista, é pecado mencionar a morte. E que mais eu lhe poderia chamar? Eutanásia?

Qual será a posição mais inteligente?

Mostrar solidariedade com a Natureza: o mal menor. É importante incentivar o consumo e o abate, com mais humanidade, dos animais. Mas para um fundamentalista, é um pecado até mesmo mencionar a morte. E que mais eu lhe poderia chamar?? Eutanásia?

Se eu entendo correctamente, a sua intenção é avisar os veganos e os vegetarianos que o impacto zero é impossível.

A maioria de nós vive em cidades e sabe muito pouco sobre o mundo animal. Pergunte aos seus amigos se eles podem nomear 10 animais e 10 plantas silvestres nativas da área em que vivem.

Nós provavelmente não seríamos capazes.

Se não sabemos nada sobre natureza e a diversidade, então não seremos capazes de a valorizar. O nosso universo é limitado ao que vemos: cães, gatos, galinhas, porcos, patos, vacas. A nossa sensibilidade estende-se somente até eles. É como olhar através do buraco da fechadura. O mundo é maior do que isso e muito mais complexo, quer você o aceite ou não.

Você fala como se conhecesse muitos fanáticos.

Existem carnívoros e veganos fundamentalistas. Como cientista, quando os ouço falar com esse tom confiante – tão completamente sem nenhuma auto-dúvida – isso assusta-me. Os fundamentalistas só prestam atenção às pessoas que pensam como eles, e vêem todos os outros como um inimigo. É uma contradição.

O nosso universo é limitado ao que vemos: cães, gatos, galinhas, porcos, patos, vacas. A nossa sensibilidade estende-se somente até eles.

O quê?

Para um carnívoro ser violento é lógico, mas para um vegan ser violento é filosoficamente inconsistente.

Você conheceu veganos violentos?

Eu era o director administrativo do Zoológico de Buenos Aires. Eu renunciei ao cargo porque eu tentei transformá-lo num centro de conservação de espécies ameaçadas de extinção, mas não consegui. Existiam esses veganos que se manifestavam à frente do zoológico a gritarem para as famílias que vinham, chamando-as de assassinos. Isso prejudica o veganismo. As pessoas pensam: se isso é o veganismo, então eu não quero fazer parte dele. Nem todos os veganos são assim, é claro. Mas há muitas pessoas que desenvolvem uma grande empatia apenas por animais domésticos. Muitos deles acabam por odiar as pessoas e isso é uma patologia: não é saudável.

Para um carnívoro ser violento é lógico, mas para um vegan ser violento é filosoficamente inconsistente

No seu artigo você afirma que, se toda a espécie humana de repente se tornar vegana, isso seria uma tragédia. Mas alguns dizem que se fossemos todos veganos, então precisaríamos de menos cultivo agrícola do que sendo omnívoros.

Eu escrevi o artigo como uma forma de desencadear o debate no meu país, onde a pressão do movimento vegan na análise ambiental é geralmente bastante instável. Se toda a espécie humana se tornasse vegan por causa desse tipo de pensamento (sem contar com outras justificações filosóficas, religiosas ou de saúde nas quais eu não vou entrar), seria uma tragédia porque nós não estaríamos a entender verdadeiramente os problemas ambientais do mundo.

Você não está convencido pelas estatísticas.

Se um bem-compreendido veganismo contribui para melhorar o mundo natural, então eu vou de bom grado tornar-me vegan. A minha principal preocupação é a conservação da biodiversidade: que a riqueza da vida na Terra não fique mais pobre.

Mas, novamente, se todos na Argentina fossem veganos, isso não exigiria menos colheitas?

Eu não sei. Eu não acho que você precise de ser vegan para conservar a natureza e a biodiversidade. Eu não sou um especialista em desenvolvimento de produção agrícola, mas pelo que sei sobre o meio ambiente, é sempre melhor diversificar a produção. Deve haver culturas, vacas, apicultores… diversidade.

Você não precisa de ser vegan para conservar a Natureza e a Biodiversidade

Que deficiências você identifica no movimento vegan?

Nunca os vejo a lutar pela criação de novas áreas protegidas ou a combater o tráfico ilícito de animais selvagens. Vejo-os a protestar contra as touradas, que já não acontecem na Argentina, e contra os matadouros. É como se eles só se preocupassem com os animais domésticos que, novamente, não estão em perigo de extinção. Eu não estou a dizer que é errado – simplesmente que existe muito mais para além disso.

Em geral, você acha que não existe uma ligação suficiente entre o veganismo e a Consciência ambiental?

O que eu acho perigoso é gastar toda a sua energia a tentar salvar o gato preto quando não sabe nada sobre o meio ambiente, e porque talvez você esteja a desperdiçar a sua energia. Talvez a sua energia tivesse um maior impacto noutras situações. É importante ter uma visão ampla: poderia ajudá-lo a analisar melhor a sua situação. Se, depois, você ainda quiser dedicar a sua vida a salvar gatos pretos, isso é óptimo, e eu fico grato por isso. A defesa dos direitos dos animais não é incompatível com a conservação da natureza.

Claramente, há um conflito entre ambientalistas e activistas dos direitos dos animais e isso definitivamente vai ter um grande impacto no futuro da Humanidade.

Isso lembra-me um pouco os partidos políticos de esquerda: eles agem como se fossem inimigos, e ainda assim eles são muito semelhantes e deveriam ser aliados. Você sabe quem é o maior inimigo da conservação da natureza?

Quem?

As pessoas indiferentes. Muitas pessoas indiferentes acreditam que todos aqueles que se preocupam com o meio ambiente são a mesma coisa: nós não comemos carne, que nós somos amantes da natureza que só practicamos o bem, comemos vegetais e que nunca fazemos sexo. Não é verdade. Somos pessoas normais!

Os ambientalistas tendem a pensar que os veganos e vegetarianos são apenas sentimentais. Por outro lado, a indiferença de alguns veganos para com os animais selvagens e a biodiversidade preocupa-me

A morte faz parte da Natureza. Misturar sentimentos com a ciência não parece muito científico. Por outro lado, a Consciência humana é importante, assim como a nossa responsabilidade por uma indústria terrível e pesadamente poluente. Quem é que está errado?

Os erros são feitos por ambos os lados. Os ambientalistas tendem a pensar que os veganos e vegetarianos são apenas sentimentais. Por outro lado, a indiferença de alguns veganos para com os animais selvagens e a biodiversidade preocupa-me: não é consistente. Reconheço o facto de que a Humanidade é uma máquina que devora o mundo. Um antropólogo afirmou que nós somos cosmófagos: devoramos o que nos rodeia.

Você está feliz com a agitação que o seu texto causou?

Muitas pessoas insultam-me e atacam-me afirmando que matei um urso polar, o que não é verdade. Outros proporcionam-me novas perspectivas pelas quais agradeço! Eu sou apenas um trabalhador da conservação da natureza, um jardineiro, e eu também errei muitas vezes. Eu faço o meu melhor, mas não me ofende descobrir que estou errado. Eu penso como um cientista, não como um fundamentalista.

Você não precisa ser vegano para conservar a Natureza e a Biodiversidade

Fonte: http://www.playground.plus/food/vegans-and-vegetarians-think-they-dont-kill-animals-but-they-do/?utm_source=facebook.com&utm_medium=post&utm_campaign=plus

222 comentários sobre “Os Veganos e os Vegetarianos acreditam que não matam animais mas isso não é Verdade

  1. Concordo plenamente, infelizmente causamos danos e morte para poder existir, esse é o ciclo da vida, sou vegetariana, e penso que as pessoas precisam encontrar a sua forma de diminuir o estrago, não podemos sobreviver de energia, nem de alguma forma que seja totalmente independente e sem efeitos colaterais, mas digo por mim, além de me sentir melhor sem carne, meu corpo e minha saúde melhorou a olhos vistos, e mesmo sabendo que ainda causo muitos danos e muitas mortes, foi a forma que eu escolhi para viver. Deveria ser isso não é? Liberdade para que as nossas escolhas sejam nossas…

    • Concordo plenamente com vc Ana Claudia!gostaria de me alimentar de prana mais ainda não e possível então decidi não me alimentar de tudo que possui olhos….foi assim que me tornei vegetariana!

    • EU EM PARTICULAR,FUI VEGETARIANA,DEPOIS VEGANA,. HOJE NÃO CARNIVORA. ,MAS PODEM DIZER O K QUISEREM EU NÃO TENHO VOLTA,,,UMA K FIQUEI TÃO SAUDÁVEL COM ESSA MUDANÇA E GOSTEI TANTO. K SO DEUS MESMO ME FAZ VOLTAR ATRÁS,,,E UMA COISA INEXPLICÁVEL DE TÃO BOM,,,AINDA MAIS QUANDO SE É PELA COMPAIXÃO AOS ANIMAIS,,DAI ENTRA ESPIRITUALIDADE,,,,,E SO PRA QUEM ESTA NO CAMINHO. MUITO BOM

    • Acho que você não entendeu bem o que ele quis dizer. Ele deixa claro desde o início que não é contra o veganismo e o vegetarianismo, muito menos quer levar alguém a deixar de ter qualquer uma das dietas.

      Apenas alerta que o fundamentalismo ambiental não vai ajudar em nada, do contrário só enfraquece a luta pelo meio ambiente.

      Falo por mim, fazia parte do Conselho de Proteção Animal da minha cidade, muitos já não entendia como eu conseguia estar ali e continuar comendo carne. Alguns, simplesmente não gostavam de mim por isso. Fora isso, muitas vezes tentei um meio termo, mas vale algum avanço, mesmo que pequeno, do que nada. Mas com o grupo do conselho não, ou era do jeito que eles queriam ou não tinha acordo com a prefeitura. Resultado, nunca fomos além da Constituição do Conselho.

      Por fim, acabei abandonando a causa e faço o que posso, do jeito que posso. Ajudo muito mais animais sozinhas que lutando contra a teimosia de uns que nunca conseguiram nada pela fundamentalismo ideológico. E ainda acreditam piamente que vão salvar o mundo sem dar nenhum passo.

      Nem eu nem ele somos contra os veganos ou vegetarianos e nem queremos que ninguém volte a comer carnes. Queremos apenas barrar esse fundamentalismo ambiental que, de tão radical, acaba afastando pessoas e enfraquecendo a causa.

  2. Concordo completamente com você Ana Claudia. Sou vegana.A forma de diminuir o estrago é, diminuindo a procriação humana. Somos o mal na terra.

    • Somos o mal da terra?? somos o sal da terra, o motivo de tudo nesse planeta, você está bem confusa com a sua existência, não devemos see cruéis com os animais, nem com a natureza, mas devemos coexistir, mas nós, seres humanos estamos em primeiro lugar, Deus criou as plantas e animais para nós servir, não ao contrário.

      • Está enganado, meu amigo. O ser humano não está em primeiro lugar. E nem os animais e plantas existem para nos servir. Esse pensamento é derivado do antropocentrismo que, cada vez mais, não tem lugar no mundo moderno. Se, hipoteticamente, a população humana deixasse de existir, todo o restante continuaria existindo. Não aconteceria o mesmo se as abelhas deixassem de existir: em pouco tempo, acabaria a vida na Terra. Sim, o mal da Terra é a humanidade. A espécie humana é a única que explora e extingue as demais espécies. Reveja seus conceitos!!!

        • O ser humano não precisa deixar de existir para se ver o que acontece com outras espécies, bastam algumas leis contra suas atitudes para se observar o desequilíbrio que é causado nos outros seres vivos (e já vimos esse filme várias vezes). Ou seja, essa ideia de que todo o resto continuaria existindo na boa se a população humana deixasse de existir é furada. A menos que se imagine a existência como involução. Enfim, o lance é o caminho do meio. “Como cientista, quando os ouço falar com esse tom confiante – tão completamente sem nenhuma auto-dúvida – isso assusta-me. Os fundamentalistas só prestam atenção às pessoas que pensam como eles, e vêem todos os outros como um inimigo.”

          • Estou bem longe de ser uma pessoa radical. Do contrário, não conseguiria conviver com uma família onde todos se alimentam de carne. Talvez não tenhas visto, mas o comentário que fiz foi direcionado a uma colocação extremista: “somos o sal da terra, o motivo de TUDO nesse planeta.” Sim, somos o motivo de tudo que está sendo ou que já foi destruído nesse planeta. Para um comentário infeliz, uma resposta contundente. Interessante que só reparaste no meu “extremismo”, mas não naquele que o motivou. Por que será? Efeito do antropocentrismo na ciência?

          • O ser humano é o mal da Terra??? Kkkkk
            Percepção míope e egoísta, típica de pessoas que julgam serem as donas da verdade. Sempre leram livros que dizem isso é aquilo, os demais que não concordam são meros ignorantes.

            Mal da Terra. Kkkkkk

        • Bem, vc está parcialmente certa. Mas mesmo que as abelhas deixassem de existir seria facilmente substituída por diversos outros insetos, pássaros e até mamíferos em sua função de polinização, que atualmente já fazem. tornar toda a natureza dependente de uma única espécie/ família de insetos é meio radical, a vida é muito mais complexa que aquilo mostrado no filme do bee movie. e acreditar que só o ser humano explora ou extingue outras espécies é mt conto de fadas. diversas outras espécies exploram outras. diversas espécies são extintas sem o menor conhecimento do homem, por predação excessiva, disputa por alimento e outros. tudo isso sem preocupação dos outros animais. a única diferença eh que o ser humano faz isso racionalmente. agora, em relação ao pensamento antropocêntrico ser ultrapassado e precisar ser extinto, vc esta completamente certa. porém o pensamento da natureza 100% equilibrada sem a humanidade presente esta errada. a natureza nunca estará equilibrada. as diversas pressões de diversas fontes diferentes (incluindo o homem) tornam a natureza mutável, espécies se extinguem e espécies se erguem, mais natural que isso é impossível. e achar que o homem é o grande causador do mal na terra não é menos antropocêntrico que achar que as espécies estão aqui para nos servir. nós somos parte da natureza, somos uma espécie que está no seu auge, e por isso modificamos o meio forçando outras espécies a se adaptarem, isso é natural. se não acredita nisso, pense na grande mudança que foi causada quando o primeiro ser fotossintetizante surgiu, liberando um gás ultra venenoso para 90% dos seres vivos existentes na época, o maldito Oxigênio. agora pense se isso nunca tivesse acontecido.

          • Enfim alguém coerente e inteligente. Exatamente, não somos centro de nada, nem da vida nem da morte do planeta, somos só mais uma espécie de passagem por aqui.

            Tadinha das baratas de mais de um metro que ficaram pequenas pelo excesso de oxigênio necessário para que um dia o homem conseguisse viver nesse planeta! hehehheheh

        • Concordo. E o que não vai nos levar a nenhum pingo de dignidade com a natureza e toda a diversidade que existe no planeta é pensar que a raça humana está acima de tudo. Não vai ter menos desmatamento se continuarem pensando que a sobrevivência humana vale mais.Todos acham que a Terra vai viver para sempre, querem saber? NÃO VAI!!!! –*Podemos adiar o processo. Querem muito preservar, não por respeito mas por medo de a raça humana não sobreviver. De acordo com a biologia, estamos ”entre eras”, demos sorte, mas o planeta vai ficar quente por si próprio inevitavelmente.
          *PS: Não como carne, me dá um revestrés só de me imaginar.
          PS: Se existir no universo (infinito) um planeta com seres vivos -como nossa querida e sofrida Mãe Terra- os desejo que não esteja desmatado também!

        • Nossa, concordo, apoio, onde clica pra curtir? Os animais estao na terra COM a gente e nao PRA gente. Acredito que nós veganos e vegetarianos estamos SIM fazendo uma diferença e nao ao contrario igual esse texto diz que nao vai mudar nada.

      • Eliel, concordo! Não somos o MAL da TERRA, mas por nossas escolhas podemos ser!

        Que não devemos ser CRUÉIS com os animais, não concordo, pois esse pensamento assinala de que poderíamos nos aproveitar dos animais sem CRUELDADE, mas lhe pergunto:

        QUAL a DIFERENÇA da CRUELDADE em MATAR um ANIMAL com uma MARRETADA e um pequeno FURO na ARTÉRIA do mesmo SANGRANDO até a morte?

        Uma morte seria CRUEL e a OUTRA uma benção?

        Só para ilustração:

        Imagine uma pessoa chegada de você: Imaginou? Um assalto com duas situações, mas com o mesmo final a MORTE.

        No primeiro, o ladrão dá um tiro, e pronto acabou!

        No segundo, o mesmo faz um pequeno furo na artéria e gotejando por algumas horas, também ocorre o mesmo fim.

        Lembrando, isso é uma ilustração e só existe estas duas opções!

        Em qual deles ocorreu o maior sofrimento na sua opinião?

        O sermos o principal, também concordo, pois DEUS nos fez a sua IMAGEM e SEMELHANÇA! Mas não fisicamente, mas na função e cuidar, nomear e ser MORDOMO de tudo o que DEUS criou!

        Que os vegetais foram feitos para consumo também concordo! (Gênesis 1:29). Confirma isso!

        Agora, que o animais foram feitos para serem comidos… você está equivocado.

        Gênesis 1:29 não concordo com você!

        Abraços

    • Berenice, se diminuir a população fosse a resposta, então estaria tudo resolvido! Mas não é assim, pois na perspectiva do artigo, toda e qualquer plantação seria um MAL a ser combatido ( o que não concordo), mas com esse pensamento, seria necessário a EXTINÇÃO da ração HUMANA. O que não convêm comentários sobre isso, por isso o argumento do autor é tendencioso!

      Não somos o MAL na TERRA!

      Isso é fruto do PECADO!

      Mas ainda PECADORES, somos descritos como PODENDO ser o SAL da TERRA.

      Isso se consegue pelas escolhas que cada um pode fazer!

      Para o bem ou para o MAL!

  3. no fim ele veio com esse papo pra poder voltar a comer de tudo, devia ta sentindo o peso do vício em sangue por que no fim é isso o vício no sangue as pessoas não percebem que estão viciadas em sangue
    e ai ficam arrumando esse tipo de argumento para sanar sua culpa pra mim não cola

      • Filipe, plantar para o consumo HUMANO, não gera FOME no MUNDO e nem MORTE por FOME.

        Agora, DESMATAR para CRIAR o GADO, DESMATAR para PLANTAR para o GADO comer (70% da plantação dos GRÃOS, são para consumo animal), DESMATAR para fazer CARVÃO (em média, 50% da produção de CARVÃO, vem de desmatamento), consumo de água excessivo para todo o processo. E tudo isso para o HOMEM comer! Ou seja, esse modelo INSUSTENTÁVEL no momento em que está em VOGA a SUSTENTABILIDADE, é insano! E todo esse processo, provoca FOME e MORTE pela mesma. Fora os que estão MORRENDO lentamente pelo consumo.

    • Que interpretação rasa essa tua Eduardo.
      O cara tem uma fala sensata e equilibrada e, como não consegues cotrargumentar, te prende numa ótica míope e sem lastro.
      Não podes abrir teu pensamento e ser minimamente inteligente e racional???

  4. Muito bom, somos a espécie que mais impacta, mas também somos a que tem mais condição de reagir. Sem reflexões profundas e fundamentalismo não acharemos o caminho

    • Sim , agora te pergunto…. sabes realmente ler? mesmo que n se tivesse animais naquelas terras seria necessário 100 vezes mais para manter uma população Vegana e alimentar os animais não mais “assassinados” em abatedouros, pra isso precisaria de terras…. tiradas de onde? da floresta, n sei se sabes mas é onde as espécies selvagens habitam.

    • Baboseira é seu comentário!! Vc nunca deve ter saído da cidade onde mora, só pode. Na região do triângulo mineiro, por exemplo, os produtores de soja tem uma plantação a PERDER de vista de tão grande que é. Agricultura causa tanto impacto ambiental quanto a pecuária. Outra coisa desliga seu computador ou celular pq a energia elétrica que vc usa, vem de uma área que foi alagada e represada para esse fim. Conseguiu imaginar o impacto ambiental que isso causa? Se vc tem consciência que diz ter NUNCA RECARREGUE SEU CELULAR.

    • Com a plantação tem-se uma menor diversidade de animais, pois se desmata tudo e os animais fogem a procura de alimento e abrigo. Enquanto que com gado existe a presença de certos animais. Ele quis dizer que existe impacto em ambos os casos, muitos não comem carne afim de defender e não matar os animais, mas o ato de não comer carne e só comer plantas tbm causam mortes e dor a outros animais que são os selvagens. Pois a maioria do ser humano só tem compaixão pelo animal doméstico ao qual ele convive.

    • Exatamente! Muito enrolado essa conversa! O que mais prejudica é a criação de gado. E ele ainda trabalhou no zoológico que mais drogava os animais. Eu hein.

  5. Discurso inconsistente e conveniente ao autor, que inclusive trabalhava em um zoológico. Aborda o veganismo apenas do ponto de vista ecológico, esquecendo que este movimento tem em seu cerne a ética e o conceito de senciência. Do ponto de vista do custo ecológico o veganismo contribui com uma pegada muito mais leve, mas apesar desta importante contribuição ainda assim, a ecologia é um aspecto secundário. Veganos não ignoram que viver causa impacto, mas defendem sim, que podemos escolher o melhor caminho, causando menos impacto através do abandono de ações desnecessária que causam stress, dor e morte de seres que percebem o mundo como nós. 😉

    • Tocou no ponto, Claudio. Ele não vê preocupação em matar gado por que este “não está ameaçado de extinção”, mas ele desconsiderou que vegans estão muito mais preocupados com a dor e sofrimento que causam no animal. Ou seja, para desqualificar o veganismo, considera apenas o elemento menos definidor, mas omite aquilo que mais importa para esta escolha de vida.
      Não acho que seja involuntário: de tudo o que li acima, ele simplesmente não teria argumento para o questionamento ético e moral. Ele absolutamente *fugiu* do tema do sofrimento imposto ao animal – ou seja, passou longe do verdadeiro questionamento levantado pelo veganismo.

      • Segundo comprovações científicas, as injeções letais usadas em condenados a morte ou autorizadas pela justiça para a pratica da eutanásia, NÃO CAUSAM DOR.

        Então, pela sua afirmação, se o animal for criado solto em pastos (como antigamente) e dermos injeções letais indolores, podemos continuar comendo carne normalmente?!?!?

        • Oi Cris. Não, matar sem dor ainda é matar e traz prejuízos a que morre, assim devemos respeitar quem tem interesse em viver. Embora vida em si não seja o valor principal, pois depende de várias condições para ser considerada boa, ela ainda é importante do ponto de vista das expectativas, pois possibilita se cumprirem, sentir prazer das diversas formas possíveis por exemplo. Quem morre perde esta possibilidade. Por isto a ideia é não causar stress, dor ou morte de maneira desnecessária. Ou seja, seu prazer gastronômico não vale a vida de outros seres mas a manutenção da sua vida pode justificar algumas atitudes.

    • Ele referiu esse ponto e, acerca dele, disse que pensa ser mais importante preservar animais que se encontrem em vias de extinção do que tentar preservar a todo o custo aqueles que não estão em risco de extinção (os “gatos pretos”). Além disso, referiu o facto de para se manter uma extensa área de cultivo ser necessário matar não só mais animais como também mais espécies, do que se a mesma extensão de terreno fosse usada para criação de gado. Quando se trata de remediar um mal que já está feito, eu concordo com o autor. Éticas sentimentalistas não funcionam. As coisas devem ser equilibradas. A maioria das pessoas não conhece a natureza. Já não vivemos nela. Vivemos em cidades atulhadas de seres humanos e animais domésticos. Quantas pessoas se tornam veganos por publicidade ou recomendação de um amigo? Quase todas. E acho bem, desde que sejam responsáveis e inteligentes e não critiquem os outros que não o são. Lembre-se que onde há procura de produtos há mercado, logo há negócio. Como pensa cultivar tanta área de cultivo sem matar os animais e as plantas de grande porte que por lá existem? Nós não comemos árvores nem arbustos. Apenas vegetais. Chamemos-lhes “vegetais domésticos”. Mais uma vez só damos atenção àquilo que é tem o rótulo de “doméstico”. Esquecemos a plantação selvagem e os animais selvagens. Mesmo que nos preocupemos com eles também, não devemos justificar a nossa escolha em ser vegano como uma escolha que protege os animais, porque é falso. O Lema “nada se perde, tudo se transforma” é na verdade uma Lei da Física e pode ser encontrada, por exemplo na Termodinâmica, na Mecânica etc. O nosso planeta tem uma certa quantidade de matéria-prima e de produtos que apenas podem ser convertidos. O problema não está em sermos veganos ou carnívoros. Está no grande número de humanos que habitam o planeta. Qualquer que seja a origem dos alimentos que consumimos será sempre necessário tirar dum lado para dar ao outro. Não sejamos hipócritas. Sempre fomos omnívoros, tal como os restantes mamíferos. A questão é que a industrialização permitiu que a população crescesse exponencialmente e com isso tudo o resto se tornou um problema cíclico: poluição, eliminação de recursos etc

      • Olá Gonçalo, como vai? Vamos por partes, qualquer iniciativa de preservar espécies passa pela necessidade de preservar seus habitats, isto é um argumento a favor do veganismo. Sim a agropecuária causa muito dano, 15000 litros+7 kg de grãos por cada 1kg de carne, procure por dados e comprove por você mesmo, estes dados são diretamente dos agropecuários . A ética não é baseada em sentimentos, ética é baseada na razão, o veganismo ético tem embasamento racional e secular, corroborado pela ciência atual. Não generalize o veganismo, existem várias vertentes, pessoas que aderem por saúde, por argumentos ecológicos ou ate esotéricos, falo aqui apenas em meu nome e do conhecimento como vegano ético. Você tem razão a respeito de nosso afastamento da natureza, o comportamento “natural” no sentido de instinto biológico não serve como modelo para nosso comportamento moral e social, as razões são simples e fáceis de perceber, façamos jus a nossa tão alardeada racionalidade. O argumento de que toda demanda deve ser suprida pode ser muito válido no capitalismo, alias explica muita coisa, no entanto acaba por justificar qualquer tipo de abuso imaginável, existe uma grande demanda por rins para transplante também, você por acaso acha que devemos supri-la a qualquer custo também?
        Sim veganos, independentemente de suas convicções ideológicas estão na prática protegendo e salvando animais, talvez não 100% como gostariam, mas sem dúvida estão diminuindo largamente o sofrimento e o numero de mortes por deixarem de consumirem produtos diretamente relacionados a uma industria terrível, isto é fato e é inegável. A impossibilidade de se fazer 100% de algo não justifica deixar de fazer o 1% possível. Sem dúvida, a superpopulação é um fator que precisa ser mais debatido pois vai afetar a todos, é uma questão de tempo. Sim, não sejamos hipócritas, ser onívoro significa poder escolher o que comemos não que devemos comer tudo que podemos.

    • Claudio Marzo, você conhece uma monocultura de soja? milho? algodão? arroz? Eu estudo a senciência e sim deve ser levada em consideração sempre, pois animais sentem tanto quanto nós humanos, apesar de alguns autores abordarem apenas com significado para humanos. Veganos e vegetarianos defendem muito os animais, pouco a biodiversidade (claro que não generalizando). Toda monocultura leva uma grande carga de agrotóxico e o extermínio de diversos animais, muitos mesmos, contabilize quantos animais morrem, e lhe pergunto, e a senciência esta sendo respeitada?!! NÃO, só exite a cultura, pragas da cultura e veneno para as pragas, e o minimo de vida ali. Já vi veganos e vegetarianos defendendo a alimentação orgânica, se plantarem vão comer esse tipo de alimento, se não plantarem vão pagar caro, se todos quiserem vão depender de quem usa os agrotóxicos. Com isso poderíamos suspender venenos das culturas?… sim, porém faltaria alimento pois a produtividade reduziria drasticamente e não seria compatível com a quantidade de humanos que temos para alimentar.

      E tem o lado ético, não é?! seria tu usar a vaca no campo mantendo maior biodiverdidade e se alimentar dela, pobre vaca, ser sensciênte… TEREMOS MAIS VIDA E MENOS MORTES com isso. Então no seu discurso de diminuir os impactos não seja contra comer carne, e nem acredite que só comer vegetais trará menos morte. Lute por aves, suinos ou qualquer animal em gaiolas, com maus tratos, contra animais sem sanidade, lute pela qualidade de vida deles, porém não trate o veganismo e vegetarianismo como a solução para o mundo em que vivemos.

      Poderia ficar dias aqui escrevendo e ainda não seria nada completo para te dizer, mas digo não seja extremista, não acredite que teu posicionamento seja superior ao do autor (pois o usar inconsistente e conveniente não é legal), e uma dica, faça um estudo prove algo com cunho cientifico dos teus ideais e no seus resultados discuta com o que ele falou e prove algo equivocado e demonstra o por que não funciona da forma que ele falou.

      • Concordo, Cláudio. Para mais, nada há de científico na abordagem do autor, pelo contrário, é uma sucessão de suposições e lugares comuns para se desresponsabilizar de escolhas assumidas. Prefiro os carnistas que se assumem como tal, sem procurarem justificações pseudo-éticas ou pseudo-científicas.
        Extremismo não é escolher viver de forma a causar o menor impacto possível aos outros animais e ao ambiente, mas sim optar pela via contrária e ainda tentar descredibilizar quem o faz.
        http://conservationmagazine.org/2016/03/can-vegans-really-save-planet/

        • Sua colocação é bastante inteligente Cristina, mas inicialmente, você sabe se eu como carne ou não? acha que eu não escolhi uma forma de causar menos impacto?… Eu pensar em uma forma unica de solução é o correto?
          Nós temos uma população desregrada, que come mais do deve, não ingere os nutrientes necessários, engorda, come transgênicos, resumindo faz misérias… tu não comer carne e defender animais contribui para a diminuição do aquecimento global (conforme seu texto)? Seus ideias, de um único texto referenciado no link, são mínimos, são inexpressivos do ponto de vista amplo e/ou amplamente estudado. Tu comer ou não carne não influencia nada na vida da população, por que a sociedade, com seus comportamentos de trocar celular, carro, comer fast food”s, plantar uma horta…. opá… plantar horta não é verdade de hoje. A sociedade vai pelo mais fácil e atraente, e ai que eu falo do seu extremismo, como convencer do melhor dentro do nosso mundo globalizado?! da competição pelo dinheiro.
          Tu vai entender que eu não quero apenas demonstrar minha opinião e sim difundir o amplo que envolve cada escolha da nossa vida e quem a gente vai influenciar com nossas ações.
          O texto do autor tem um artigo publicado que você não leu, e claro esse texto aqui na pagina é dos pensamentos dele, e eu ei de respeitar.

      • Olá Maurício, como está? Conheço muito pouco da monocultura, sei existe muito interesse econômico envolvido, seja por parte da Monsanto e outras multinacionais da área, seja por parte da poderosa bancada do agronegócio no Brasil e até mesmo por parte de outros países e seus governos, que desejam que o Brasil continue sendo o “celeiro do mundo”. Fora isto sei que segundo dados da Embrapa, segue link: “https://www.embrapa.br/”, dados de 2011 (ultima vez que consultei) 87,9% da soja e do milho produzido no Brasil são destinados a ração animal. Fora isto, mas ainda relacionado o numero de bovinos no brasil excede a população humana, segue link: “http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/10/rebanho-bovino-brasileiro-cresce-e-chega-a-212-3-milhoes-de-cabecas-de-gado”, agora imagine você….não, não imagine, calcule você o consumo de água para esta população, segundo o site, segue link: “www.beefpoint.com.br”, 15000 litros de água por kg de carne, ah sim, estamos falando apenas da população bovina. Sem esquecer que ao produzir 1kg de carne gasta-se em média 7kg de grãos, ou seja, sem produção de carne teríamos 7 vezes mais grão no mundo e muito mais água potável com muito menos emissão de gases do efeito estufa (assista cowspiracy, tem no netflix). Estes dados estão todos espalhados pela internet, em diversas fontes, tanto vegetarianas/veganas como de instituições governamentais e associações da própria industria. Acho que com isto fica evidente que haveria uma melhora significava para manutenção de mais áreas naturais e toda sua flora e fauna.

        O própria ONU sugere alimentação vegana com medo de colapso mundial:
        Segue link:”http://www.progresso.com.br/caderno-a/brasil-mundo/onu-reafirma-que-a-alimentacao-vegana-protege-o-meio-ambiente”

        Mais uma materia que cita pesquisa científica sobre o custo da produção de carne:
        segue link:”http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/meio-ambiente/producao-de-carne-bovina-tem-custo-ambiental-maior-do-que-frango-porco-13331946″

        Bom as evidências cientificas estão todas aí, para quem tem real interesse existe muito mais ,nesta coisa chamada internet. Vale sempre lembrar que a questão ecológica é apenas um dos muitos argumentos que apontam o veganismo como a opção mais razoável, mas a questão ética é a principal, animais não existem em função do homem. E sim ser vegano não é o máximo, é o mínimo.

  6. Bem lembrado que a criação de animais para abate envolve a utilização de grandes áreas,tanto para o manejo,como para o plantio de forragens.entáo,a agressão ao ambiente é equivalente.Tambem sabemos que comer carne e um hábito primitivo e desnecessário.

  7. Li o texto sabendo que encontraria várias contradições, e eis que aqui está a maior delas:

    “Qual será a posição mais inteligente?

    Mostrar solidariedade com a Natureza: o mal menor. É importante incentivar o consumo e o abate, com mais humanidade, dos animais.”

    Seria cômico se não fosse trágico, este vegetariano frustrado desconhece ou finge desconhecer que a criação de animais é quem mais demanda por grãos, ou seja, demanda enormes quantidades de monoculturas de soja e outras pra alimentação destes animais.

    Nós sabemos que o simples fato de existirmos cria um impacto na natureza, o Veganismo é a tentativa de diminuir ao máximo e praticável estes impactos e é extinguir passo a passo a absoluta dependência que a humanidade tem pela morte e tortura dos animais.

    Portanto, o mal menor é ser Vegano!!!

  8. 70% das plantações nos estados unidos são destinadas para a criação de gado. Setenta por cento. Pra plantar comida prum vegano é necessário um espaço de plantio VINTE VEZES menor do que pra plantar comida para o boi que um onívoro come. Todos os argumentos dele são baseados em achismo. Ele diz que biodiversidade não é importante mas o veganismo proporciona MUITO mais biodiversidade do que o onivorismo. Essa pessoa só tá procurando justificativas pro consumo de carne dela. Um desserviço pra população esse artigo.

  9. Sabemos como os seres humanos afetam o meio ambiente sim. Sabemos o que foi feito ate aqui e a luta é fazer com que isso tudo seja evitado e o meio ambiente menos prejudicado. Tentamos ajudar os animais e.o meio ambiente não oa comendo e nem usando e utizando coisas que há na composição algum elemento animal. Hoje em dia quase tudo leva algum ingrediente animal ? Sim. Mas isso não quer dizer que não estamos ajudando o planeta com isso. É o caso da pessoa que joga lixo no chão. Só porque outras pessoas fazem isso vou fazer também? Não. Ah, já que o fato de eu não comer um pedaço de bife não quer dizer que o fósforo que eu usei e que tem um pouco da gordura da vaca não sei da onde faz de mim uma hipócrita? Não também. Estamos ajudando os animais e o meio ambiente de alguma forma. E um dia tenho a esperança que não precisaremos mais usar nada de origem animal.

  10. Esse cara nunca foi vegetariano! Se a agricultura causa desastre imagine então a pecuária, q necessita alem de muito mais espaço para criação de animais, mais outro espaço para fabricação de rações e vegetais para alimentar bois, vacas e etc!!

    • Agricultura causa bastante impacto ambiental!! Acredito que na mesma proporção da pecuária. Outro problema de ser vegetariano/vegano é sofrer com cheiro do churrasco alheio enquanto se entope de agrotóxico!!!

      • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
        Vc é hilario Marcio.
        Então quer dizer que todas as plantações são para consumo humano?
        Amigo, entenda… 70% dos GRÃOS são para consumo ANIMAL para depois serem COMIDAS por HUMANOS!
        Quando vc fala em AGROTÓXICO, da a impressão de que o mesmo só seria usado nas PLANTAÇÕES para consumo humano, e que para os ANIMAIS NÃO!

        Seria isso mesmo no que vc acredita?

        OS GRÃOS com AGROTÓXICO que são COMIDOS pela PECUÁRIA.

        Onde param?

        No prato dos VEGANOS ou ONÍVOROS?

  11. So li a opinião pessoal do autor e nada de fatos apresentados que corroborem com suas afirmações. Ele mesmo se declara nao especialista nas areas em que opina Se ele tivesse lido a declaração de Cambridge, o relatorio da ONU sobre mudança climática e a definição de veganismo (tudo se resolve em meia hora) ele não teria chamado outros de irracionais defensores de posições e sim a si mesmo. Desde quando veganismo diz que é possivel viver sem matar nenhum animal? Pena que o texto será muito usado por outros defensores irracionais do seu prato com carne.

  12. Só vou dizer uma coisa, sendo que só vi achismo aqui e nada de pesquisa, pra quem se diz cientista!
    Quanta besteira, Obvio que atualmente é impossível termos um impacto zero, porém ao dizer que vc deve comer carne e comer vegetais pq os dois ataca a natureza, vc ta dando dois caminhos de sofrimento (seguindo a linha de raciocínio dele) quando, a partir do momento que cortamos a carne, diminuímos em larga escala um dos lados, o abatimento direto dos animais! O pensamento tem sentindo, mas segue para um lado totalmente incorreto, a conscientização da sociedade dos ataques naturais em todos os lados é interessante, porem dizer que cortar um ou outro não diminui o impacto é extremamente BURROI!

  13. Essa foi a forma mais estapafúrdio que já vi de uma pessoa não querer assumir algo que é até contrário, pois não há necessidade de destruição para a verdadeira ocupação de espaços para a manutenção da sobrevivência humana e animal, mais é mais fácil arrumarmos desculpas esfarrapadas, como a do Trump, que disse que não há o aquecimento global, sendo que ele está ai na nossa frente, devemos continuar com aquilo que de fato estamos fundados de que é o correto.

  14. Concordo em parte, e descordo em parte também, é claro que impacto sempre causaremos, afinal, somos em número muito maior do que o planeta suporta. O bom, é que reduzíssemos o número de humanos para mais de metade, e ainda é pouco…Mas agora dizer que vai voltar a comer carne em função disso, faça-me o favor, é uma estupidez enorme, não existe maior impacto sobre os animais e sobre o planeta do que a criação astronômica de gado e afins.

  15. Mas que besteira. As pessoas querem resolver um problema criando outro? Se defende-se os direitos animais, não vai ser matando eles para carne que você conseguirá aplicá-los.

    Estudos científicos já comprovaram que a pecuária é muito pior à natureza do que uma dieta vegana.

    Esquecem que o gado precisa comer.

  16. Alguns fatos são incômodos para aqueles que não toparam ainda com o contraditório e acreditam que são donos da verdade. Belas reflexões. Convidam para um debate racional e desmistificam certos dogmas do adeptos do vegetarianismo e veganismo. De qualquer forma continuo a ser onívoro e como carne mesmo já tendo ido a um matadouro. Não há nenhuma ilicitude implícita e nenhum pecado em comer carne. É inválido sim, como bem mencionou Cláudio Bertonatti, atentar contra a biodiversidade e a natureza.

  17. Falar de mim é facil, difícil mesmo é ser eu. Todos sem exceção colaboram para a destruição do planeta e meio ambiente independente de qualquer ideologia. Com o consumo das indústrias. Ou seja, tu mora veste, se alimenta tem eletricidade; tudo isso destroi o planeta. Importante mesmo cada um fazer a sua parte da melhor maneira . Se puder plante, crie cultive. E principalmente veja o melhor nas pessoas. Criticar é facil…

  18. Para preservar, resgatar e gerar maior biodiversidade da fauna existe o método de cultivo orgânico conhecido como sistema agroflorestal (SAF)!!!
    E permitindo que todos animais sejam livres!!!!

    A velha monocultura latifundiária seja de vegetais ou pecuária é uma das maiores consumidoras de agua e poluidora do mundo!

    A preservação da fauna e flora Silvestre nativa é possível se os cinturões verdes urbano, que são os principais fornecedores de alimentos frescos, fossem cultivados com base nos SAF’s.

    O resto: prefiro não gastar energia para comentar as bobagens que ele diz!

  19. meu, serio ? da preguiça mental de responder isso. Sinceramente parece uma criança um texto de uma criança de 12 anos … Você precisa entender o que é o vegetarianismo para fazer uma critica. Não estou falando que não tenha alguns argumentos ou verdades no texto, mas a relação da causa e consequência esta totalmente imparcial e sugestiva

  20. Não concordo!!! Podemos cultivar e conviver em harmonia com as outras espécies!!! O que não podemos é continuar escravizando, roubando a vida de outras espécies torturando e matando para comer seus cadáveres e derivados. os humanos precisam se humanizar e só é possível sendo vegano, porque é uma forma de banir a violência go vegan.

  21. Deus autorizou os seres humanos a matar animal para comer, logo, comer carne de animal ou usar couro genuíno, não é contra a “natureza. Nós não fazemos isso quando ficamos incomodados com o sentimento do bichinho, mas isto depende de cada um, não pode ser um pensamento imposto.

    • Essa autorização é bastante antiga… Deus já emitiu um novo despacho, em que não revoga a autorização anterior, mas aconselha a tornarmo-nos vegetarianos e veganos, por razões éticas e de saúde. Futuramente sairá um novo despacho de Deus a proibir mesmo a morte dos animais. Por isso eu já me estou a preparar para a nova alteração legislativa…

  22. Onivoros, vegetarianos, veganos. Todas as reflexoes sao validas, mas nao devemos esquecer que a questao do modelo economico e de consumo da humanidade esta no cerne de varios problemas, inclusive o deste contexto.

  23. É interessante como estamos mais preocupados em defender as nossas ideologias do que realmente olhar para a situação no seu contexto, com uma visão ampla realmente. Achei super interessante o artigo. Mostra os prós e os contras de ambas as formas de alimentação: vegana e onívora. Nos tornamos civilizados demais, perdemos quase toda a nossa inteligência instintual, tanto é que o sentido do olfato é o mais atrofiado no ser humano. As tribos indígenas, os povos originários, estão ou estavam (antes da interferência do homem branco) muito mais em harmonia com a natureza do que nós, seres “inteligentes e civilizados”. E, no entanto, comiam carne de caça. Os índios americanos faziam rituais para se comunicarem com o espírito do búfalo antes de abatê-lo para servir de alimento. Os esquimós comem carne de foca – rica em ômega 3 – e, se fossem vegetarianos, o que iriam comer naquelas imensidões geladas? Eu acho que, como colocou o autor, poderíamos viver na biodiversidade realmente. Poderíamos comer animais, mas não da forma como a indústria da produção de carne se comporta hoje em dia, totalmente desumanizada. E não é só a indústria da carne, é a indústria agrícola também que se encontra desumanizada. A Monsanto está espalhando suas garras por todo o planeta – me parece que fez uma sociedade com a Bayer (é isto mesmo?), outra gigante que explora a doença humana. Assim, a indústria de alimentos de uma forma geral, se encontra totalmente desumanizada. O trigo, por exemplo, já não é mais o trigo que se comia há 40 ou 50 anos atrás. Sofreu muitas transformações genéticas. O seu percentual de glúten está cada vez maior. E o glúten, segundo diversos estudos científicos, é o responsável por causar muitas doenças nos seres humanos. Cerca de 60% dos alimentos industrializados contém trigo e, portanto, glúten para adoecerem cada vez mais as pessoas. Isto é só um exemplo. Você entra num supermercado e a maioria dos “alimentos” oferecidos ali não são alimentos, são produtos alimentícios cheios de conservantes, corantes, espessantes e tantos outros antes que de nutrientes verdadeiros contêm muito pouco…. Estamos todos no mesmo barco, o foco da nossa luta deve ser contra a produção de alimentos em massa (agroindústria), seja vegetariana ou carnívora. Os pequenos produtores que plantam de forma orgânica ou sintrópica devem ser mais valorizados. A agroindústria só quer dinheiro. Chegaremos num ponto em que só haverá dinheiro – como já falou um nativo norteamericano – e aí comeremos dinheiro. Afora isso, comer carne ou não, é algo muito individual. Cada um chegará, em algum momento das suas encarnações, à conclusão de que não é legal comer carne, mas isso é um processo que acontecerá com a consciência e não com a pregação ou doutrinação de que “não é pra se comer carne”. Enfim, este é um assunto amplo e complexo e devemos evitar de rotular, nos prender a rótulos porque, na minha visão, todos estamos num processo de aprendizado. De ambos os lados há acertos e há erros. E, no frigir dos ovos, somos todos seres humanos que dependemos da natureza para sobrevivermos. Nós somos a própria natureza, nada está separado.

  24. Ele podia ter publicado uma descoberta revolucionária para biologia.
    Não deixaria de ser ridículo por este trecho: “Trigo, arroz, milho. A maioria dos veganos come essas coisas. O primeiro impacto do cultivo em massa é o desmatamento: forçamos a natureza a abrir espaço para as lavouras.”
    “Cultivo em massa” é o que ocorre para produzir alimento pro gado. Como alguém pode cair numa baboseira dessas?

  25. Tudo que é falado no artigo acima, se é achismo ou não, uma coisa serve como alerta ao veganos e vegetarianos : vamos imaginar o mundo todo sendo vegano , como fica os animais que se alimentam de alimentos que veganos e vegetarianos se utilizam ? estes seriam extintos ?

  26. besteira sem fim! quando ele diz “Trigo, arroz, milho. A maioria dos veganos come essas coisas. O primeiro impacto do cultivo em massa é o desmatamento” esquece que para criar um unico gado e necessário toneladas de alimento, e estes alimentos sendo diretamente revertidos ao consumo humano seriam necessárias bem menos quantidade. Inclusive tem vários artigos com embasamento cientifico abordando a questao. Sugiro o autor se informar.

  27. O vetarianismo/veganismo não prega apenas parar de comer carne, mas sim o equilibrio pessoal e com a terra, buscando sempre meios de cultivo não agressivos e tentativas de danificar o minimo possivel o meio ambiente em nossa alimentação. Da mesma forma que se procura reaproveitar POR INTEIRO o que se come e reduzir a produção de lixo. Isso é a filosofia total, não apenas parar de comer carne.

  28. Uma pessoa que quer criar um debate impactante sobre algo, precisa ao menos ter conhecimento de todas as diretrizes que envolvem esse assunto, o texto me pareceu pobre em argumentações, se preocupou mais em relatar a própria opinião e a descaracterizar os veganos ,do que se aprofundar nos assuntos, aos quais ele mesmo afirmou desconhecer. No mundo o número de veganos e vegetarianos são ínfimos e se ele acha que a agricultura que alimentam veganos e vegetariianos causam grande impacto ambiental, o que dizer da quantidade de terras necessárias para alimentar os animais que serão cruelmente abatidos, eu respeito a opinião alheia, mas, essa pessoa só quis criar “barulho” com seu texto, de que nada acrescentou nem para conscientizar alguém para ser ou deixar de ser um vegetariano, vegano, e como um cientista, também não poderia deixar as outras questões envolvidas de fora, como crença, saúde e sentimentalismo, para não apresentar a sua opinião tendenciosa, ser vegetariano, vegano é um questão pessoal, por isso, “seu autor” coma o seu bife sossegado e esqueçam os veganos e direcione os seus estudos para aqueles que criam gados e desmatam florestas para os alimentá-los e por outro lado, nos também procuramos amenizar o estrago que nós a humanidade cometemos contra a natureza, porque ao contrario do que disse, não nos preocupamos somente com os gatos pretos, o assunto vai muito além da sua capacidade de entender e na minha opinião se algum dia você foi um vegetariano, deve ter sido por moda e não por convicção. Quanto aos ativistas não opinarei porque não tenho conhecimento suficiente para explanar algo.

  29. Nunca vi tanta desculpa ilógica pra satisfazer seu vício e instinto animal.Entao coma bastante e de todos os tipos de animais e vá fazer uma pesquisa mais interessante e produtiva e deixe os vegetarianos em paz,seu frustrado!

  30. Vou falar por experiência.Quando vamos preparar a terra pro plantio,passamos maquinas,a qual compacta o solo o que dificulta a penetração da água,são mortas várias espécies rasteiras.Quando a planta está crescendo,são utilizados,fungicidas,herbicidas e até produtos pra controlar o crescimento das plantas,o que contamina o solo,envenena a água e mata envenenada diversas espécies.Um exemplo,são insetos polinizadores que contribuem pra melhorar a produção de alimentos.Tem regiões,que não existe mais estes insetos.Nas cidades,é asfalto e construções pra todo lado.O solo,é coberto de asfalto,a qual aumenta muito a temperatura nas grandes cidades,e a poluição gerada por estes veículos???Isso também vem contribuindo pro aumento de varias doenças,incluindo o câncer.Se queremos proteger a natureza e os animais,teremos que diminuir a quantidade de sere humanos na face da terra.

  31. Como vegano eu concordo com a perspectiva de que a agricultura leva a desmatamento e impactos ambientais e que isso leva a morte de animais, então quem se alimenta de vegetais produzidos em larga escala provavelmente está matando indiretamente. Mas a questão de ser vegano não é só essa.
    Deliberadamente condicionar milhares de animais a uma vida miserável, como a grande indústria faz, encarcerá-los, roubá-los, separá-los de suas famílias, torturá-los, testar neles inúmeros cosméticos, levá-los a estados extremos de adoecimento para experimentar novas drogas, humilhá-los e machucá-los em suas formas de entretenimento é muito questionável.

    A questão é muito romântica no texto quando ele fala das pradarias e dos animais soltos nelas. Infelizmente isso é impraticável em grande parte do globo, na grande escala de seres humanos. Na prática, para alimentar 7,5 bilhões de seres humanos, da área utilizada para produzir comida nós dedicamos 35% a pecuária (intensiva e extensiva) e 65% para a agricultura, onde desta quase da sua metade, 35%, é destinada para alimentar o gado em cultura intensiva. Ou seja, da área para criar “comida”, 2/3 são diretamente e indiretamente utilizadas para a cultura animal. Não obtemos 65% nem de perto do nosso valor calórico médio de carne e derivados de animais, ta mais pra uns 20% e olha lá, vide o que a grande parcela da população pode comer diariamente. Isso é reflexo da ineficiente “conversão energética”, afinal de contas os animais não conseguem quebrar o Ciclo de Carnot e produzir mais energia do que as plantas de quem eles absorvem energia. Em uma mesma área, a relação de calorias obtidas por diversas culturas em relação a carne é absurda, 40/1 no caso da soja, 20/1 no caso do trigo, 10/1 no caso do milho, etc…Um reflexo disso é o preço da carne em relação a essas vegetais, com exceção dos restos de restos de animais, como salsichas e linguiças, é fácil se obter uma por menos de R$20 o quilo? Isso que no Brasil há um IMENSO lobby da indústria da pecuária que leva a um subsídio imenso, que indiretamente pagamos por meio dos impostos, senão seria ainda mais caro. Outro reflexo é o fato de mais da metade dos casos de escravidão contemporânea no Brasil serem em abatedouros, onde os profissionais são condicionados a turnos extremamente exaustivos e longos, ganhando muito pouco, desenvolvendo várias doenças, porque se o ritmo de trabalho não for alto a um baixo custo o preço seria ainda maior(reza a lenda que na autobiografia do Henry Ford ele diz que se inspirou em uma esteira de abate para desenvolver sua obra). Aconselho a assistirem o documentário “Carne e Osso”, acho que tem no youtube, que fala da realidade que é um abatedouro.

    Enfim, posso estender a questão indefinidamente, e já ta longo, mas o ponto é que eu sou vegano além pelos seres humanos, pelo ato político e principalmente pelo que é feito aos animais porque eu vejo nele uma minimização dos danos que nos seres humanos causamos ao planeta. Não façam da exceção das pradarias argentinas ou do sul do Brasil como a regra que poderia ser aplicada a todos, encaminhando para 8 bilhões de habitantes no planeta.

  32. Como tudo na vida existe um equilíbrio perfeito, se todos fossemos Vegano ou Vegetariano nos teríamos de sacrificar alguma espécie viva para abrir espaço para o cultivo de seus alimentos assim desmatando, alterando o habitat natural para o favorecimento de uma espécie “Nós!” e desfavorecendo outras assim acarretando em um possível impacto futuro, vemos na história da humanidade com essa opção de escolha de vida que mesmo tais pessoas coexistindo ainda estamos impactando negativamente a nosso lar. Infelizmente um grupo seleto de lideres do mundo desvirtuaram a necessidade humana de viver bem com respeito e harmonia com a fauna e a flora. E eu concordo que seja uma escolha de vida, mas Vegano ou vegetariano não deixa de matar seres vivos para poderem comer, pois não é porque não veem seres microscópicos que eles deixam de existir e como disse no inicio, tudo tem um equilíbrio perfeito, o alimento começa dos pequenos para aos maiores, sejam microscópicos até chegarem ao tamanho de um leão.

  33. Infelizmente, sempre haverá uma desculpa para o retorno ao vício, se bem acho que esse sr é daquele tipo que se diz vegetariano e come carne as escondidas. Gente desse tipo tem aos montes.

  34. Pensei que iria ler coisa interessante e só vi um amontoado de bobagens para ele se justificar de ter voltado a comer carne. Se ele fizesse terapia, resolveria essa neura sem ser tão chato.

  35. NÃO SE PODE VIVER NESTE MUNDO SEM MORTES… OS VEGANOS TERIAM QUE SE POSICIONAR NA MORTE DE MOSQUITOS, RATOS, BARATAS E OUTROS ANIMAIS NOCIVOS AO HOMEM… NÃO TEM COMO SER DIFERENTE… MAS ALGUNS DEFENSORES DE ANIMAIS JÁ COMEÇAM A ADMITIR QUE VALE A PENA TAMBÉM INVESTIR ESFORÇOS PARA A MAIOR QUALIDADE DE VIDA ANIMAL, E MESMO FORMAS MAIS DIGNAS DE ABATE, COMO POR EXEMPLO COLOCA~LOS PARA DORMIR PROFUNDAMENTE ANTES DO ATO.. GARANTO QUE, COM CERTEZA OS CRIADORES QUE TIVESSES UM SELO DE MAIOR DIGNIDADE ANIMAL SERIA RECONHECIDO E TERIA MAIOR LUCRO SOBRE OS DEMAIS NO CONSUMO DE DERVADOS ANIMAIS. É MUITO MELHOR A INTELIGENCIA, A CONSCIENTIZAÇÃO E A SABEDORIA DO UE A HIPOCRISIA E O RADICALISMO IMPOSITÓRIO.

    • Oi Arthur. Sim, existir gera impacto, no entanto a morte de insetos e outros animais acontece de forma acidental e indireta, bem diferente da industria de carnes, onde seres são gerados, escravizados por toda sua vida e mortos apenas por prazer gustativo, não confunda as coisas. Não existem formas dignas de abate para quem não quer morrer, defensores animais que dizem isto estão completamente equivocados e provavelmente estão apenas pensando em lucro, não nos animais, Animais não são objetos, não pertencem aos humanos. Não sei o que você chama de radicalismo impositor, mas gostaria ouvir uma justificativa para alguém que come carne que não passe pela imposição da força sobre um ser mais fraco.

  36. Manda este Zé bunda estudar para o ENEm pra ele aprender qual o impacto na criação de gado…quantas famílias dá pra alimentar com os grãos e a água que cada gado consome e os níveis de gás metano que eles liberam !!! A devastação de áreas gigantescas para criação de gato e para plantação de seu alimento !!! Estúpido !!! Mais um idiota útil no mundo da indústria da carne !!!

  37. Nossa, que artigo bosta, e o argumento desse argentino é igualmente bosta. O que ele concluiu é que não adianta ser vegetariano se na natureza selvagem continua havendo morte dos predadores sobre as presas.
    O problema é que muitos vegetarianos não comem carne para evitar o sofrimento que existe nos abatedouros, a tortura desumana e imoral pela qual os animais são submetidos, além de suas péssimas qualidade de vida.
    Dá pra ver que o cara que escreveu este artigo não se deu nem ao trabalho de pesquisar um pouco, ou sequer de raciocinar.

  38. >>>>>> Desculpa clássica pra comer cadáver. <<<<<<
    Tem derivados de animais na gasolina, logo vou comer um boi.
    Matam insetos na agricultura, logo vou comer um boi,
    No asfalto tem derivados de dinossauros, logo vou comer um boi …
    Pára que está feio!
    Veganismo é evitar a exploração, a morte e o sofrimento dos animais.
    O que tem de errado ?
    É um critério ético e moral perfeitamente normal e já deveria ser adotado por todos.

  39. Discordo do autor.

    O ser humano causa grande impacto de todas as maneiras ao meio ambiente, porém sem via de dúvidas alguma o vegetarianismo ainda é um “mal menor”. É só observar a mortalidade dos animais nos matadouros.

    O próprio autor menciona pontos relevantes a concluir isto.

    A vida na Terra está sujeita ao ser humano, porém a exploração diversificada acompanha a mesma ao longo dos séculos. Isto é inevitável.

    Qualquer tipo de vida humana sobre ela a fará sair em desvantagem, não há como evitar. Poderia-se apenas minimizar, ou seja desenvolver vida sustentável sobre ela.

  40. O outro disse que o consumo de carne é algo primitivo e desnecessário, ok.
    Já pra mim e muitos que conheço, primitivo e desnecessário é comer folha, raiz, grãos e etc.
    Não tem certo e nem errado.
    Cada um deve respeitar o outro e pronto.
    Se você não abre mão do seu repolho, ótimo! Eu não me incomodo em nada com isso. Vai fundo!
    Mas eu também não abro mão de um suculento bife, do meu churrasquinho e ponto final.

  41. Por mais que isso cause indignação, existe uma cadeia alimentar, que parece ser ignorada em toda essa discussão. O mundo animal não sobrevive sem o gosto de sangue. Diferentemente dos seres humanos, leões e onças comem carne crua, e quente. A sucuri come um animal inteiro, e isso faz parte da natureza dela. Cada qual com a sua natureza. O ser humano, desde os primórdios da sua existência, já comia carne. Aliás, a caça era o seu principal alimento, já que não sabiam cultivar plantações. Muita gente cria gatos e cachorros, mas parecem que não sabem que
    a dieta desses animais também é a base de proteína animal. Muitos medicamentos para serem produzidos necessitam de alguma forma de animais, seja na sua composição, seja como “instrumento” O que devem ser combatidos são os excessos. Vejo hoje uma uma inversão de valores. Pessoas criam gatos e cachorros como se fossem gente, mas não demonstram nem um pouco de sentimento quanto aos problemas sociais, sequer fazem alguma ação para impedir a extinção de outros animais. Se é para defender a sobrevivência de bois, vacas, porcos e galinhas, animais criados para alimentar quem tem fome, preparem-se para alimentar a todos eles. Para preservar os leões e onças, não plantem milho nem trigo. Eles gostam de um bom sangue quente. E até mesmo as carcaças serão alimento para urubus. Os ratinhos que habitam os esgotos, também são animais. E os mosquitos, transmissores de doenças, são insetos, mas também são seres vivos. Tá faltando alguém pra defender. Vixe, melhor nem dá ideia. Vejo muita hipocrisia em tudo isso. Um sentimentalismo insano, sem reflexão alguma. Caiam na real! segundo a teoria populacional malthusiana “A população cresce em progressão geométrica enquanto os alimentos crescem em progressão aritmética” (Thomas Robert Malthus). Muitos países pessoas estão morrendo de fome e sede. Enquanto criticam quem come bife, o mundo é uma bomba, pronta a explodir. Além do alimento, temos a água, sem a qual, nem animais, nem seres humanos sobrevivem. Muito meno é possível plantações sem água. Amo os animais, e penso que devem ser tratados com respeito. Mas defendo antes de tudo a sobrevivência da humanidade, pois sou parte dela.

    • Olá, humana. Na natureza existem muitas coisas desagradáveis, como estupro, escravidão, parasitismo e outras, o que vale na natureza é a lei do mais forte sem dúvida. Para nossa felicidade, nós humanos, ao contrário de leões e outros animais selvagens, temos a capacidade de escolher reconhecer se é moralmente correto estuprar ou escravizar outros seres, bem sobre o que devemos ou não comer. Tentar naturalizar aspectos culturais como comer carne é uma tentativa bem falaciosa para justificar ações que hoje em dia não parecem nada razoáveis. As ideias malthusianas já foram superadas a muito tempo, graças a nossa ciência e tecnologia, no entanto temos de ser menos emocionais, como tu mesmo dissestes, e aceitar o fato de que não há necessidade de comermos carne, é moralmente errado, ecologicamente dispendioso e socialmente danoso. Se você ama os animais, seja racional e não os coma, pois não há necessidade nenhuma.

  42. É incrivelmente irreparável quando se há críticas contra o seu posicionamento sem abordar um ou determinado tema sob uma ótica parcial.
    O autor está correto numa parte muito significativa porque parece que o vergano/ vegetariano não vê ou sequer conhece uma lavoura monocultura, é um deserto verde infindável e independente do que se planta, e os poucos animais silvestres que ali se aproxima é combatido como praga. Aonde força se a lugares que em breve também lhe deram tomados.
    Só que nem o autor e nem seus críticos adentram para um ponto a favor da defesa da biodiversidade, e sim paliativos e nada prático.
    No caso brasileiro vai muito além, pois as plantas nativas sequer são conhecidas e absurdamente nutritivas mas a falta de conhecimento nos leva a aceitar a imposição alimentar o que agrava no problema tanto do impacto do verganismo como aos defensores da carne.
    Minha pifima opinião, plantem em casa e plantem panc ( plantas alimentícias não convencionais ) e que além de todos nós fazed a nossa parte o impacto na natureza será menor. E não avançar ainda mais.
    Ambos os modos de vida alimentares tem que parar de degladeatem e juntos procurar um solução para nós, seres destruidores e nada benéficos para esse pkaneta

  43. Esse cara é um vampiro!!! Cuidado, daqui a pouco ele vai defender que onívoros podem comer carne humana também! Qual a diferença? Pra mim, nenhuma! Carne é carne! E animais pra mim tem a mesma, ou até maior, importância que gente!! Os humanos só sabem destruir o planeta!
    #vegetarianos e #veganos #somososmelhores , sim!

  44. Falta de respondabilidade total da parte dele, fazer um texto cheio de achismos e com vários erros detalhe que ele é um formador de opinião. Quer defender o consumo de carne? Beleza, se informe antes de falar esse monte de bobeira.

  45. Opiniões pessoais e nada de fontes respeitosas.
    Ex-vegetariano (definição: quem nunca foi realmente um vegano, talvez tenha sido ovolacto por questões de saúde ou estéticas, mas seu estômago e ego falaram mais alto, continua financiando a exploração e morte de seres sencientes).
    Teu “discurso” só mostra o quão raso e desinformado é.
    ***Qual é a elite pecuarista por trás de ti?***

    #govegan 🍀💚☺

  46. Ótimo texto…. para aqueles que buscam desesperadamente uma justificativa para defender os próprios hábitos (comer carne). Não há muito o que falar, afinal, pessoas que compartilham links assim não estão dispostas a refletir. Estão dispostas apenas a defender o que lhes convém, nem que seja usando ofensas, textos tendenciosos e/ou carentes de informação. Primeiro, seria necessário entender de fato, o que é veganismo (parece que nem o dono do artigo sabe). Depois, seria recomendável aprofundar-se em estudos científicos, principalmente sobre questões ambientais. Estudos comparando produção de vegetais, criação de animais e os respectivos danos ao meio ambiente, são excelentes. Mas, ao que tudo indica, infelizmente, só haverá uma mudança global, quando nós humanos, formos afetados de forma ainda mais brusca por todos os danos causados ao planeta. Grande parte desses danos, ligados à pecuária.

    • Junior gostei tanto da sua resposta…Bem posta e esclarecida… Espero que não fique bravo comigo, como não sou muito boa com as palavras, Usei esta sua resposta ,pra pessoas no meu face, que usaram este mesmo poste para me atacarem , e criticarem por eu ser vegetariana…Desculpe amigo, se vc responder, e dizer que foi mal, eu retiro de lá tá!!! Eu só copiei e colei… Preferi não mencionar seu nome, não sei se fiz mal… Se agi errado me diz que eu desfaço, Desculpe e obrigada. Aguardo uma resposta.

  47. Aos veganos, conheçam a técnica criada por Ernst Gotsch…. http://agendagotsch.com/about/
    Na década de 70, Götsch desenvolve seus primeiros estudos sobre sistemas complexos de plantio, em áreas no norte da Suíça e no sul da Alemanha. Sempre buscando o caminho dos consórcios entre espécies, testou, por exemplo, as antigas tradições de plantação de milho junto com feijão, mas também experimentou novas associações como trigo e ervilha ou framboesa, maçã e cereja, entre outras. Do sucesso das colheitas começa a surgir a ideia de organismo. Da ideia de organismo viria a da cooperação e, dali, a ideia da sucessão, dos sistemas, e tantos outros conceitos que fundamentam a filosofia e a técnica deste agricultor e pesquisador, no sentido mais orgânico dos termos.

  48. Texto muito bom concordo com tudo
    Sou carnivoro e nao vejo problema nenhum em comer carne.
    Cada pessoa tem um ponto de vida e tem que ser respeitado assim como respeito quem é vegano ou vegetariano.
    A humanidade tem que se respeitar mais e lutar por suas causas sim.
    Tbm nao esquecer. De quem ta na rua com fome, frio, doente, quantos aqui ja ajudou algum ser humano que precisa . fica dica

    • Oi Alexandre. Você não é carnívoro, é onívoro, pode escolher o que comer. O problema começa justamente em você não ver nenhum problema em comer carne. As escolhas pessoais que você reclama respeito tem de dizer exclusivamente a você, assim quando você come carne, come a carne de alguém e neste ponto sua conduta se torna passível de juízo alheio, da mesma forma quando você mata ou agride outra pessoa. A humanidade tem muitas causas sem dúvida e ser vegano ou vegetariano não invalida qualquer outro tipo de luta, pelo contrário, combatemos o especismo, ou seja a ideia que os únicos que importam são os humanos, assim, quem passa frio, fome ou doente, recebe atenção, seja ele humano ou não. Fica a dica! 😉

  49. Fico pensando, e se os vegetais tivessem sentimentos? Os veganos comeriam terra? Ah, me poupem dessa discussão, ninguém para de comer carne pelo fato de alguém o convencer por pena dos animais levantando uma bandeira. É muito mimimi típico dos nossos tempos.

    • Erick, os vegetais tem sentimentos, sim, e se comunicam conosco e com outros seres. Basta observares as artimanhas evolutivas que alguns vegetais chegam, apenas para serem comidos por outros seres! Para dessa forma poderem se reproduzir e se perpetuar. É da natureza da vida curta e efêmera da maioria dos vegetais, ou de seus frutos, serem consumidos por outros seres. Eu me comunico com as plantas que cultivo e saiba que algumas nascem espontaneamente no meu pátio, exatamente pra meu consumo, pois elas sabem, até mais do que eu, do que eu preciso, seja de alimento, ou de cura.

  50. Não sou vegano mas os argumentos e afirmações em alguns pontos distorcem tanto os fatos, que o autor parece ser patrocinado pela indústria da carne…ex: Quando coloca que o vegano tem que ser uma espécie de Santo …que não faz sexo…entre outras baboseiras, e deixa de lado os aspectos mais importantes…

  51. O corpo humana necessita de proteína animal.Isto é fato, isto é ciência,isto é humano, o resto é filosofia de porta de bar de rodoviária e nada mais.

    • O ser humano não necessita de proteína animal. A indústria milionária quer que as pessoas acreditem nisso, mas é mentira. Os vegetais são riquíssimos em proteína e é a única que precisamos. A maior prova disso é o quanto as pessoas que se alimentam de vegetais são mais saudáveis do que quem se alimenta de carne. Portanto, isso não é fato e não é ciência, é marketing da indústria da carne.

      • Industria milionaria? E você acha que os vegetais são de graça? Acha que o mercado também não estimula alimentação saudável para vender mais cenouras no mercado? e para vender mais produtos a base de soja, e tofu, e zero lactose, e etc?? Tanto carne quanto vegetal faz parte de uma produção e de um comércio!

  52. Não entendo… normalmente que é vegano come comida orgânica, não? O que ele fala se aplica à agricultura orgância, por acaso? Ou ele fala por ignorância ou por má fé mesmo…

  53. Já li muitos textos contra vegetarianos e veganos, mas este com certeza estaria no topo de uma lista que classificasse os piores, tamanha a sua desonestidade. Não há muito mais o que dizer, a maioria das pessoas que responderem esse texto raso já apontaram a sua pobreza. Veganismo é sobre ética, sobre fazer o POSSÍVEL e o PRATICÁVEL, não é sobre você , sobre seu ego ou sua frustração por não ter conseguido se manter vegetariano. Aliás, nem vegano foi – veganos jamais trabalhariam em zoológicos.

  54. Na minha opinião um texto bastante equivocado. No planeta somos somente 7 bilhões de humanos contra 70 bilhões de animais para abate. O impacto causado pela população de 70 bilhões de animais criados para abate é infinitamente maior do q seria de humanos para se alimentarem sem carne. Não só em relação a plantação de grãos para alimentar estes 70 bilhões de animais q é muito maior do q para alimentar os humanos hoje, mas tb o desmatamento para pastos, a poluição de rios e da terra nos abatedouros, tb no transporte das carcaças e dos animados vivos, e por aí vai. Um texto simplório que insulta nossa inteligência…”Nosso universo é limitado ao que vemos, cães, gatos, galinhas e porcos”…sério isso?

  55. Gostei muito do artigo. Infelizmente a palavra fanatismo toma conta do ser humano. As pessoas esqueceram o significado da palavra RESPEITO. Eu amo comer carne. Mas isso não significa que eu quero que os animais sejam maltratados, da mesma forma que eu não quero escravidão de crianças e adultos da mesma forma que não quero que ninguém seja estuprada. Ou seja, acho muita hipocrisia falar que é vegano porque luta a favor da vida dos animais. Me sugere muito hipocrita com as outras formas de vida. Matar uma planta para comer me soa tão cruel quanto matar um animal. Só gostaria que as pessoas fossem veganos porque se sentem bem, porque não gostam de carne e pronto. Da mesma forma que carnívoros, veganos e vegetarianos deveriam respeitar TODOS os seres vivos e lutar contra maus tratos em geral. ( Não estou generalizado e nem falando mal dos Veganos e Vegetarianos, apenas expressando meu ponto de vista ).

    • Ianae, você fala de respeito, mas chama os veganos e vegetarianos de hipócritas! Cadê o respeito? não somos hipócritas, somos conscientes, eu sou vegetariana e respeito quem come carne.Mas a verdade é que nós seres humanos não fomos feitos para comer carne.Temos muitos alimentos na natureza que substitui a carne. Os animais estão aqui em processo de evolução espiritual, assim como nós seres humanos, e eles assim como nós, não querem morrer sentir dor e sofrimento. Os vegetais e as frutas foram plantados na terra para nos servir de alimento, se não morreríamos de fome. Você não quer que os animais sejam maltratos, mas eles estão sendo maltratados para te servir de alimento.Muitos de nós vegetarianos ou veganos não comemos carne porque estamos apenas fazendo a nossa parte humanitária, porque não comer carne é uma questão de consciência, que muito de nós seres humanos ainda não tomamos, que é o respeito pela vida. Muita paz e amor no seu coração.

  56. Sem entrar em outros meritos, apenas um comentario tecnico…Alguém mencionou q para produzir carne demanda mta producao de graos e consequentemente precisa de mta mais terra. Isso é uma “meia verdade”! Qdo se pensa em carne de frango e de suinos essa afirmacao é verdadeira, mas no caso da carne bovina isso nao é bem verdade, especialmente no Brasil, q por acaso é maior produtor mundial. Aqui a carne bovina é produzida basicamente de forma extensiva, ou seja, a pasto, e portanto nao pressiona tanto pela peoducao de graos. Nao se pode nem comparar os efeitos devastadores de monoculturas, como a soja, causam ao meio ambiente, com os efeitos das pastagens…

  57. Além de lhe faltar total conhecimento do assunto, o artigo não tem qualquer base científica, filosófica, espiritual ou humanitária. É apenas um monte de opiniões baseadas no próprio umbigo ou no próprio egoísmo.

  58. O ser humano evoluiu mesmo a partir do momento em que passou a comer carne cozida; deixar de ingerir os nutrientes presentes na carne é prejuízo CERTO ao organismo (tanto é verdade que veg’s precisam recorrer a suplementos pra complementar a dieta; além de não recomendarem o veganismo a crianças em fase de desenvolvimento). E o argumento que ‘carnívoros tem sede de sangue’ parece mais argumento de seita religiosa ou de quem foi alvo de engenharia social.

  59. Buda disse a seus discípulos para não comerem carne, pois não se trata apenas de uma questão de reverência à vida. Também é uma questão de que, se você não estiver repleto de reverência à vida, seu coração se tornará enrijecido; seu amor se tornará falso, sua compaixão será apenas uma palavra.

    Osho dizia:Quando um animal é morto, ele está com raiva, com medo, naturalmente. Quando você mata um animal… Pense em você sendo morto. Qual será o estado de sua consciência? Qual será sua psicologia? Todos os tipos de veneno serão liberados em seu corpo, pois, quando está com raiva, um certo tipo de toxina é liberada em seu sangue. Quando você está com medo, de novo outros tipos de toxinas serão liberadas em seu sangue. E, quando você está sendo assassinado, esses são o medo e a raiva supremos. Todas as glândulas de seu corpo liberam todos os seus venenos.
    E o ser humano segue vivendo dessa carne envenenada. Se ela o mantém raivoso, violento, agressivo, isso não é estranho, mas natural. Quando você vive da morte, não tem nenhum respeito pela vida, é inimigo da vida.

    Na minha opinião, deixar de comer carne é uma questão de consciência espiritual. Não devemos deixar de fazer a nossa parte no planeta Terra praticando o bem, porque pessoas menos evoluídas não fazem. Os animais estão aqui na terra para evoluírem, assim como nós. Não para serem comidos.

  60. O autor é um ecologista. Seu foco é preservar espécies, se for preciso, desprezando os direitos mais básicos dos indivíduos (desde que não sejam humanos). Daí em diante, nada mais do que ele diz pode ser levado seriamente em consideração, até porque demonstra desconhecimento completo do que é veganismo, de como pensam e agem os veganos.

  61. Essa entrevista é uma visão frágil e deturpada da questão da abolição da escravidão animal: Primeiramente, ele não toca na questão da senciência, que é o fato dos animais sofrerem, sentirem dor, medo e angústia diante da morte. Outra questão mais recente está relacionada à descoberta cientifica de que os animais têm consciência, isso agrava mais ainda a sua exploração. Acredito ainda que esse cara nunca foi vegano, porque um vegano verdadeiro jamais cuidaria de um zoológico. Este tipo de reportagem é uma forma típica da indústria carnista de tentar confundir a cabeça dos mais ingênuos e desinformados. A questão que ele menciona sobre os animais não selvagens não é verdadeira. O foco é maior nos animais não selvagens porque são eles que mais sofrem atualmente com a indústria da carne, mas nunca vi nenhum vegano deixar de defender qualquer animal. Quando ele fala, esconde na verdade, a real condição dos animais explorados. Nenhum animal quer morrer, nenhum animal quer sofrer, nem sentir dor. Nenhum vegano concorda que qualquer animal seja tirado do seu habitat natural e seja criado em condições degradantes. Sistema esse que mata bilhões e bilhões por ano. Nesse sentido se a recusa de algum vegano em consumir animais provocasse qualquer morte não seria de sua responsabilidade. As bilhões de morte são provocadas pelas indústrias e por quem consome os seus produtos. Consumir é uma forma de concordância. Uma última questão é que ele não toca no assunto do crescimento artificial, forçado, dos rebanhos, e do quanto os gases metanos produzidos por esses animais afetam a natureza. Afetam muito mais do que qualquer outra coisa, como os automóveis por exemplo.

  62. eu só vejo os veganos falando “ah, mas para manter os gados também se precisa plantar para alimentá-los então ele está se contradizendo”
    isso só comprova que eles estão cuspindo comentários sem nem ler o artigo

  63. A pratica do vegetarianismo para mim esta ligada a prática de um coração de compaixão, assim como o sacrifício de um animal num frigorífico é cruel, envenena-lo tem a mesma intenção, não estamos aqui para ser assassinos, esta não é nossa natureza, deveríamos ser racionais, e por isso temos a inteligência, então enquanto os extremismos existirem estaremos longe de nossa essência que é amor! Se quisermos realmente a mudança observemos a natureza, ela senpre encontra um jeito, e evolui no tempo, não sejamos indiferentes.

  64. A humanidade deveriam se preocupar primeiro em educar verdadeiramente seus filhos, salvar as crianças que estão em abrigos e adolescentes perdidos por aí. Depoisssss, todos AMADOS e INSTRUÍDOS juntos saberemos a melhor forma de lidar com a natureza da melhor maneira.

  65. Eis aqui a prova de que o veganismo está crescendo e incomoda muita gente… mas é a solução.
    Nem vale a pena comentar o texto. Parece aquele artigo australiano que dizia que o veganismo é que promovia o aquecimento global hahahahahaha

  66. Olha, em parte ele não deixa de ter razão. É muito ingênuo acreditar que os vegetais e verduras que você compra no supermercado não causam impacto ou morte de certos animais. O desmatamento para o plantio causa o mesmo dano que o plantio de grãos para alimentar o gado, e tamanho das terras também. Eu não compro carne, não como na minha rotina, mas se vou a uma festa eu como sim, não tenho rótulos quanto a isso e o faço por questão de saúde mesmo. Agora, os veganos radicais deveriam plantar sua própria comida, aí sim, não causariam impactos, isso claro, deixando de andar de carro, ônibus, usar computador, eletrônicos no geral, roupas de produção não sustentável, importados no geral, tudo isso causa danos e mortes ao meio ambiente. Cultivar dá trabalho, não dá pra ser hippie de final de semana com Iphone e carro na garagem.

  67. No artigo não há nenhuma solução que visa agricultura consciente e sustentável, com adoção de métodos (por exemplo: plantações horizontais, hidropônicos, irrigação por gotejamento, ensacamento, estufas, supervisão de colheita em relação a preservação, etc) em larga escala. O autor parece estar acomodado com a situação atual das indústrias.
    Sou vegano e sei que durante colheita alguns animais podem acabar morrendo, não que eu esteja de bem com isso, mas o meu foco principal é combater o escravagismo a que os animais são submetidos pelos humanos. Animais são seres muito próximos dos humanos, hoje em dia da para viver sem mata-los. O principal problema é o confinamento, a restrição à liberdade dos animais, os métodos de reprodução, o ciclo da vida do animal controlado para fins humanos e em alguns casos, os maus tratos.
    Hoje em dia, pelo menos no Brasil, é muito incomum desmatarem novas áreas para produção agrícola como se fazia no passado (a não ser ilegalmente).
    Se não tivessemos indústrias de produção de carne, não seriam necessárias áreas para pecuária, e as áreas de plantio, ou diminuiriam, ou, pelo menos, não aumentariam em virtude da agricultura.
    É meio difícil para um ser humano, que vive em sociedade, não considerar os sentimentos em seus atos, por mais que a ciência encontre métodos mais fáceis ou eficazes. Se o ser humano não considerasse seus sentimentos como diz no artigo, não nos importaríamos com o canibalismo e outros comportamentos.
    Se seguirmos comendo carne, não iremos mudar essa forma como vivemos, explorando animais, as indústrias não irão mudar mesmo se ficarmos parados. O vegetarianismo é principalmente uma forma de protesto contra a crueldade animal através da adoção de um estilo de vida, que cresce convencendo cada vez mais pessoas, e colabora mais para os direitos de liberdade dos animais escravisados do que quem se contenta em comer carne (por mais que seja ambientalista).
    A morte indireta de animais causada por quem consome vegetais é resultado da competição (interação biológica “natural”) por território e alimento, essas mortes são “necessárias” para conseguirmos alimentos (isso caso nosso modo de produzir não mude). A morte direta e a escravização de animais para fins estéticos, industriais ou alimentícios, atualmente, é cruel e desnecessária.
    Vegetarianos não são desmerecidos de maneira alguma por não serem ativistas em relação à essas mortes indiretas na agricultura, mas claro, seria ótimo se prestássemos contra os métodos da agropecuária (como muitos vegetarianos já fazem).

  68. Parei de ler em. “O primeiro impacto do cultivo em massa é o desmatamento”

    Até pq grandes áreas são desmatadas também para poder cultivar os alimentos dos animais que serão abatidos. ou os gados comem pedra ?

    eu penso assim, ser vegano mata 1X de animais
    e não ser vegano mata 2x de animais, os selvagens e os domesticos

    Outra coisa que muita gente esquece é que a pessoa se torna vegetariana ou vegana pelo simples fato de não consumir a vida de outro ser.

    OBS: não sou Vegano nem vegetariano.

  69. Não consigo ler textos que já começam errado. À menos de uma semana atrás? À está errado (o correto é há) e atrás é desnecessário. Antes de questionar o vegetarianismo estude um pouco a gramática.

  70. Vocês seres humanos, como eu claro, são incríveis. Estão debatendo um assunto, no meu ponto de vista, muito polêmico. Porque se você discorda do ponto de vista de um “veg” , meu Deus, eles vão te bombardear com milhões de referências para te convcer que você é um assassino, e que você mude de idéia. O mesmo acontece com os carnívoros, então vamos ser racionais, vamos interpretar sem precisar aceitar a opinião do próximo. Esse tipo de assunto não vai fazer você chegar em lugar nenhum. É interessante? Muito! Concorda? Em partes! Beleza, pronto!

  71. Me parece intrigante que esse cara, tão bem informado e que sabe apontar todas as deficiências do veganismo, parece desconhecer o fato de que a pecuária consome mais água do que qualquer outra cultura. Parece desconhecer o fato de que uma boa parte das monoculturas são destinadas à ração usada na pecuária… Parece desconhecer o fato de que a criação do gado bovino gera enormes quantidades de metano na atmosfera. Alguém preocupado com as questões que ele listou deveria saber dessas coisas… Uma breve pesquisa na internet resolveria… Também se baseia no fato de que os veganos são movidos a soja e milho, o que não é verdade… Tenho dúvidas se já foi realmente vegetariano. Acho importante o debate e acho que tem coisas válidas no texto. Mas um debate baseado num texto que ignora esses fatos, na minha opinião é um debate baseado em um texto que não parece ser idôneo…

  72. Matar ou não matar, causar sofrimento, questões energéticas e vibracionais, saúde e meio ambiente, todas estas questões nos levam a crer de que é mesmo melhor ser vegetariano ou vegano. O impacto humano para o planeta, para a biodiversidade, para as mudanças climáticas é o maior dos problemas. Sejamos onívoros ou vegetarianos/veganos todos causamos impactos ao planeta, todos causamos mortes de animais ou outros organismos, todos causamos direta ou indiretamente sofrimento para animais e para outras formas de vida. Chamo a atenção aqui para a questão da escala. Humanos demais no planeta. Nem Agroecologia, nem Sintropia, nem Permacultura irão resolver nosso problema de destruição da Terra/Gaia. Enquanto nossa patada ecológica for na casa dos giga, estamos em 7 bilhões de habitantes, ainda crescente, seremos 9 bilhões de habitantes em 2050, nenhuma opção nos deixará confortáveis neste planeta. Não tem dúvidas que o impacto do carnívoro (onívoro) é muito maior que dos demais vegs. Apesar da opinião do Cláudio Bertonatti, eu, cientista, ecólogo, agroecólogo, engenheiro florestal e Yoga/Ayurveda, deixo minha posição de que ser vegetariano nos dias atuais já é uma grande ajuda para desacelerar a destruição dos biomas, dos ecossistemas naturais. É uma questão de matemática simples. Muito mais áreas, muito mais destruição ecossistêmica se dá para a produção de animais e derivados. Namaste.

  73. Quem comece os latifundios de soja e de milho do MT e os estragos q fazem e que fizeram na Floresta Amazônica reflete melhor sobre nao alimentar a pecuaria porem alimentar a agricultura… quer cuidar mesmo da natureza? adote uma alimentacao vegano paleolítica, deixe de comer graos… isso sim eh coerente…. falar q come pouca soja eh o mesmo q comer pouca carne ou até pior pq a pecuaria nao destrói tanto qto a agriculrura se considerarmos além dos desmatamentos, os pesticidas a queima de petroleo para o transportes e os pneus e tantas outras coisas extremamente agressivas q a gricultura movimenta… Seja um Paleo!!

  74. Ah Daniel, esse papinho de soja para consumo animal não rola mais. Já deu uma olhada nos rótulos dos alimentos humanos? Tudo tem soja! Vegetariano ou não, consumimos muuuuita soja e milho, infelizmente.

  75. Acho que ter atitude etica e de amor pela vida ja faz a diferença , essa de medir se amar vale apenas ja é do mundo comercial e lógico e sentimentos nao tem preço nem comparação.

  76. O texto tem apenas duas serventias:
    1) Abrir os olhos de veganos que inocentemente acreditam que o simples fato de deixar de comer produtos animais, independente da origem, resolverá todos os problemas ecológicos mundiais e criará uma redoma que os torna divinos separando-os dos outros reles mortais pecadores – o que é ridículo visto que até outro dia a maioria deles comia carne e portanto não está moralmente apto a julgar os outros por uma diferença de timing. Um vegano que se considera um ambientalista ideal enquanto consome grandes quantidades de produtos do agronegócio, como soja transgênica e óleo de palma é tão incoerente como um vegano que se considera saudável só porque não consome carne mas se entope de coca-cola.
    2) O texto mostra que o veganismo NÃO é radical. Isso mesmo. Se nem o veganismo, com todas as vantagens que tem para a biosfera, ainda não é ideal e não pode salvar o mundo, então o que pode? Radical seria uma pessoa que tendesse ao impacto zero, sem utilizar nenhum meio de transporte, plantando toda comida que consome, fabricando o próprio vestuário… Isso evidentemente não existe. Veganismo não é radical, a própria ONU já assumiu que uma drástica redução no consumo de alimentos animais desde já é inevitável se quisermos sobreviver como espécie (e olha que nem estamos falando das outras). É uma questão matemática, é incontestável: são necessários muito mais água, terras, e calorias para produzir 1 caloria de alimento animal do que vegetal. Sem falar na emissão de metano (com a mudança climática correspondente sendo responsável pela extinção de diversas espécies). Não adianta o autor vir com exemplos de excessões, de produção de carne de forma ecológica. Isso, se é que existe, não é aplicável a nível mundial. A criação de gado de forma orgânica deixa inclusive uma pegada de carbono maior que a criação de gado convencional. Na Argentina, terra do churrasco, não é difícil de imaginar que o tal “naturalista” tenha recebido uma grana de produtores de carne (talvez ele mesmo seja dono de um matadouro). Hoje em dia veganismo é uma escolha, mas no futuro pode não haver outra opção. Se essa é a tendência, como pode ser radical?

    Essas duas serventias, entretanto, não valem o risco que esse tipo de comunicação causa. Existem muitas pessoas por aí incomodadas com o fato de consumirem produtos animais, considerando tornarem-se veganas, mas hesitantes por diversas razões. Para mim foi um processo que durou anos, entre considerar a idéia e de fato implementa-la. O sacrifício é grande, aqui no Brasil não temos apoio para isso, e a lavagem cerebral no sentido contrário é muito maior. Parei de consumir tais produtos achando que faria mal para minha saúde, de tão grande o lobby contrário, e os benefícios que sinto agora foram uma recompensa inesperada. É muito medo que rodeia tal decisão, é muito difícil dar o passo, é preciso ter a coragem da fazer algo que vai contra o que a maioria pensa (inclusive as pessoas importantes pra vc).
    Pois bem, tal tipo de comunicação é uma desculpa, é algo que pode impedir várias pessoas, hesitantes em dar o passo, em dá-lo. “Ah, deixe que os governos resolvam isso”. Os governos só vão fazer algo quando o problema já for tão grande que o veganismo será uma imposição e não uma opção. Mesmo porque os governos são representantes dos grandes players comerciais, dos quais o agronegócio/pecuária são uma grande parte. Por hora, enquanto o mundo ainda não está acabando, é inocente esperar que qualquer governo mova um dedo pra resolver o problema.
    Quem está tentando se tornar vegano precisa de apoio, não de uma desculpa. Esse texto é um desfavor para aqueles que estão se adiantando em dar um passo inevitável. E as caveiras que o ilustram, como foi colocado acima, semioticamente incorretas. Más praticas – de qualquer atividade agropecuária – podem causar mortes de animais. A agricultura, por si só, não necessariamente. Já da pecuária, sempre resultarão caveiras.

  77. Tenho o mesmo pensamento, não sou vegano e nem muito fã de carnes, mais acho interessante os veganos levantarem a bandeira se achando seres humanos melhores…. eles não abrem mão de suas roupas, de suas casas, de seus smartphones e carros nem de seus trabalhos para viverem com os animais na natureza. O Impacto é causado pela especie humana independente de suas convicções. É necessario reduzir o nascimento de mais seres humanos, isso fará bem aos animais, aos vegetais e a nossa propria especie.

  78. Optar por produtos orgânico produzido por pequenos,médios agricultores e pecuaristas,é a melhor forma de obtenção de alimentos saudáveis e sustentável. Não vejo problema algum em comer uma galinha que teve uma vida de galinha num pátio de um tiozinho do interior. Essa galinha tem menos sangue que 1kg de soja.

  79. Alguns Veganos e Vegetarianos conseguem ser mais chatos do que aqueles evangélicos que tentam a todo custo te converter. Entendo o veganismo, mas não abro do meu hamburger com muito queijo e bacon!

  80. Ridículo e intelectualmente desonesto. Desconhecer que a maior parte da área cultivada na terra serve para alimentar a indústria pecuária é um erro grave quer tira toda a credibilidade a qualquer argumento. De resto, toda a argumentação é deturpadora da verdade e quanto apresenta factos correctos estes não servem o argumento. Foi por um triz que este senhor não disse que se eu comer bifes de manhã à noite parece que estou a fazer melhor aos animais, ao ambiente e aos humanos do que se for vegano. Eu não sou vegano mas não me deixo de surpreender com a quantidade de pessoas que pensam como este senhor e não têm vergonha de dizer que são cientistas. É o género de argumento que se usa para ele se sentir melhor com as suas escolhas.
    Ora, imaginemos que eu faço voluntariado a ajudar os outros – porque acredito profundamente nisso, não para me sentir melhor. De acordo com o argumento apresentado as pessoas que fazem como eu e acreditam nos mesmo princípios são umas tolas e estão erradas, porque não vão conseguir acabar com a pobreza portanto mais vale não fazer nada.

  81. Ainda ontem apanhamos 500kg de peixes do mar que entraram para o cultivo de ostra…é uma rotina deliciosa!
    Mar produz muito mais que terra. Para os adeptos vegan: no mar tem culturas que podem gerar ~50 colheitas por dia, o impacto é zero ou positivo porque nas espécies que mais colheitas geram a excreção dos sistemas é oxigénio, o que, vai contribuir para o desenvolvimento de outras micro-espécies que geram mais diversidade; por exemplo, nas produções de ostra é comum o aparecimento natural da zoostera marina e do cavalho marinho – e mais um montão de peixe do mar que vai entrando e ficando porque abunda o alimento e não têm predadores significativos, parece fruta, do mar 🙂

  82. Sinceramente, é um saco td isso! Não aceito mais a ideia de sacrificar uma vida pra servir de alimento quando se tem, e de sobra, opções mais saudáveis. É inadmissível essa agricultura sem consciência, descontrolada que “tbm” agride absurdamente os seres vivos de uma maneira geral… tá difícil! Uma coisa é certa, precisamos nos alimentar, seja de uma forma ou de outra e são poucos os que se dispõem de quintais para plantar uma hortinha bacaninha e sem agrotóxicos, pouquíssimos! Issa discussão é uma chatice, quando na verdade td leva crer que o ser humano é que deveria ser extinto, já que ninguém tem a solução pra coisa. Deveriam trazer e postar é a solução e não o problema, como se ninguém o conhecesse. Uma coisa é certa, sempre alguém ou algo vai ter que morrer, pode ter certeza!

    • Esta é a ordem natural das coisas… Sempre haverá mortes e violência na natureza, com ou sem humanos. Nosso problema, porém, é bem mais complexo, pois muitas das injustiças cometidas contra a natureza vem daqueles que não tem o suficiente para subsistir (por um motivo ou outro), e para conseguir melhorar desmatam ou caçam indiscriminadamente. Embora errado, é bem mais fácil para nós, do alto da nossa vida confortável, repudiar estes comportamentos.

  83. Eu acredito que a saída está na agricultura familiar e melhor ainda nas agroflorestas, onde se planta os alimentos sem desmatar. Se houvesse um grande incentivo às agroflorestas não precisaríamos depender da monocultura que destrói o meio ambiente assim como a pecuária. Porém isso depende de pressionar os políticos que estão amarrados as grandes empresas produtoras de alimentos e que não querem que isso aconteça. Mas a agrofloresta é um conhecimento que está aí e qualquer pessoa pode tomar iniciativas para plantar e produzir alimento amenizando assim o impacto da monocultura e da pecuária. Espalhar sementes pelo mundo, pelos canteiros das cidades é um ativismo que já tá rolando.

    vejam um exemplo sobre agroflorestas:

    https://www.youtube.com/watch?v=WpNBmdez2PA&list=PLhY1iJ1ACDZNB2erRhwT2C5tlYElpcG1S

  84. tenho vontade de ser vegano, mas ainda não sou capaz. penso, porém, que a solução para o impasse do autor do artigo seria o consumo de vegetais orgânicos originados de pequenos agricultores que não pratiquem monoculturas, pois uma cultura diversificada, por si só, elimina a necessidade de atacar fungos e animais, pois cada tipo de planta atrai um tipo de praga e/ou animais, que se equilibram entre si naturalmente, formando um ecossistema.

  85. A maior parte das plantações da agricultura são de soja para fazer ração destinada a alimentação de animais da pecuária, dizer que vegetarianos não sabem que matam animais é uma mentira, normalmente antes de tomar uma atitude como parar de comer carne se estuda muito para ter certeza do que esta fazendo, quem come carne é responsável por muito mais mortes do que quem não come, o fato de você só poder fazer pouco não é motivo para que não se faça nada, alguém deixaria de alimentar um cachorro passando fome do seu lado porque não é capaz de salvar rinocerontes na Africa? Não né, dizer que esse texto é argumento para continuar ou voltar a comer carne é um argumento fraco e facilmente refutável. Tirando isso concordo com ele que a preservação dos ecossistemas é mais importante que os direitos animais e a pecuária junto com a agricultura destinada a sustenta-la é uma das principais causas de destruição dos ecossistemas.

  86. Desonestidade intelectual é o nome dessa pessoa, primeiro que toda a entrevista e o artigo ao qual se refere parte de uma frase absurda que nunca foi bandeira do veganismo, de que “veganos acreditam que não causam a morte de animais”. Claro que ele faz isso muito consciente da necessidade humana em justificar o injustificavel, para concluir que se causar dano zero é impossivel é motivo para nao nos preocuparmos em causar o menor dano possivel. Rejeitar uma alimentação canibal tambem não evita todos os danos causados a outros seres humanos que serão explorados e até mortos na produção de outros tipos de alimentação, por exemplo os indios mortos por fazendeiros nas disputas de terra.
    Além disso, o autor pretende discutir o impacto ambiental da agricultura e pecuária, mas ignorando todos os dados ou evidência objetiva. Ignora que 80% da produção mundial de soja, 70% da produção mundial de milho e 70% da produção mundial de aveia são destinadas ao consumo animal, viram ração pra gado, exatamente os mesmos grão citados na matéria como parte da alimentação vegana, 70% de toda a superfície agrícola do planeta pertence à criação de animais. Apenas a quantidade de comida consumida pelo gado mundial atualmente alimentaria mais de 9 bilhões de pessoas, e nem temos essa quantidade de gente no planeta. A produção animal é reconhecidamente a principal causa de poluição de rios e lagos, os dejetos suínos tem um potencial poluidor 250 vezes maior que o esgoto doméstico. Os dejetos que uma única vaca produz em um dia equivalem aos produzidos por até 200 pessoas, isso sem falar dos litros de urina e sangue dos animais.
    Acontece que o veganismo aplicado à produção de alimentos precisa de menos terra, menos água e menos dispêndio de recursos em geral, para produzir mais alimentos. Ou seja, o veganismo não só evita todas as vítimas diretas da exploração animal, mas também reduz muito significativamente o número de vítimas indiretas da agricultura.
    Não vou nem entrar na desonestidade moral gritante da matéria.

  87. Só discordo do autor no que diz respeito a todos se tornarem vegetarianos. Acho que o impacto seria bem menor. A criação animal gasta mais água, terra e energia para gerar o mesmo número de calorias do cultivo de vegetais. Isso está pra lá de comprovado.

  88. Acho que ele passou por fora da discussão, sem entender a postura ética de não alimentar-se de um “irmão menor”, sim os animais são nossos irmãos espirituais e precisam de nós o resto são palavras ao vento, sem base ética nenhuma…

  89. É absurdo o cara escrever uma barbaridade dessas. É cada argumento que esses carnistas dão. Daí eu pergunto: E os animais criados para consumo, comem e bebem o quê? E a exploração e maus-tratos praticado aos animais pela indústria da carne? E quanto a população de animais para consumo ser maior que os habitantes do planeta consumindo recursos? Esse cara quer solução, eu digo: que tal as pessoas pararem de se reproduzir feito coelhos e ajudar o planeta a não se sobrecarregar? É um engodo o pensamente de que: só porque não posso fazer 100% então melhor fazer nada! Triste essas mentalidades.

  90. O Daniel falou tudo! Acho que o autor do texto esta mais preocupado em culpabilizar ou confundir as pessoas! Parece alguém que diz: “quem nunca pecou que atire a primeira pedra”. Argumentos “científicos-religiosos, lucrativos”. Monocultura faz mal, mas em que mãos está esta monocultura? De empresas que dizem o que você tem que comer, como exemplo, as sementes e insumos delas! Será que as pessoas sabem quantos tipos de berinjela existem? Que pena! A maioria só conhece a roxa, porque o mercado é quem diz qual berinjela você tem que comer. Não sou vegetariano, mas um frango pra mim antes de ser um item de “”””produção”””””, tratado “”””bem””” é visto como dinheiro por essas empresas que enfiam antibióticos neles. Perguntem porque muitos antibióticos ficaram fracos nos humanos?! É como uma coisa que alguém produz de plástico! Que pena que tem gente experiente querendo colocar tudo e a todos num mesmo saco!!! Mas não adianta, quanto mais conhecimento dos processos e da sistemática, menos credibilidade se dará à pessoas como o Sr. Claudio Bertonatti.

  91. Em parte ele pode até estar certo, mas a verdade é que ele quis chamar a atenção, DESVALORIZANDO o veganismo, como se tudo o que somos e representamos fosse desnecessário. o veganismo e a chave para salvar o mundo!!!

  92. Investi tempo pra ver qual era o grau de ignorância e mediocridade dos argumentos. Entre ilustrações tendenciosas da matéria e muitas besteiras bem organizadas, esse GÊNIO tem conclusões um pouco mais inteligentes que “como carne porque é cadeia alimentar” pra seguir fazendo churrascão tranquilo lá na argentina. Esse boludo adorador de uma picanha com alho não está errado em algumas coisas mas isso tudo não justifica o vício de comer carne, muito menos os impactos por trás disso, diretos e indiretos, que detonam ainda mais o que ele aponta que não está sendo visto pelos vegetarianos ou veganos.

  93. MIMIMIMIMIMIMI…..QUANTA BESTERIA…..QUE SOCIEDADE RIDICULA E QUE PERDE TANTO TEMPO……QUANTO TEMPO PRA GASTAAAAR MEU DEUS!!!! VAI SER VEGANO NO SERTÃO DO NORDESTE…..
    VAI ESCOLHER O QUE COMER, QUANDO SÓ TIVER BODE SECO, CALANGO E PALMA….
    SER VEGANO, OU QLQR OUTRA COISA QUE FUJA DO ”NORMAL” É UMA MERA COMODIDADE DE QUEM PODE ESCOLHER.
    VAI FAZER COMPRAS NUM MERCADO VEGANO PRA VER SUA CONTA COMO VAI FICAR….

  94. Com alguns detalhes pertinentes, mas no geral ele falou MUITA ABOBRINHA! Quando ele diz: QUE AS PLANTAÇÕES MATAM a BIODIVERSIDADE na PLANTAÇÃO (e está certo) querendo imputar isso apenas aos VEGANOS e VEGETARIANOS (como se só esses comessem vegetais, e onívoros não), mas se esqueceu não sei por que. De que o DESMATAMENTO e PLANTAÇÕES ocorrem principalmente para a PECUÁRIA. Desmatasse, para o BOI PASTAR e 70% da PRODUÇÃO de GRÃOS, são destinados ao CONSUMO ANIMAL! Só esse detalhe! Querer defender o CONSUMO da CARNE ou a defesa dos ANIMAIS, INSETOS e MEIO AMBIENTE, em nenhum dos dois casos devemos ser RADICAIS e FUNDAMENTALISTAS. Mas em tudo devemos ser TEMPERANTES. Essa conversa foi pra BOI dormir regada de muita ABOBRINHA.

  95. O tipo que escreveu este texto é um hipócrita… Só está preocupado em justificar os seus habitos alimentares e a apontar para um ou outro mau exemplo na agricultura. Convido-o a visitar matadouros e aviários… Não há nada que se compare à estupidez que é criar em massa para matar em massa… Mas para este nosso amigo o que se passa nesses sítios é inevitável… Digo eu: NÃO É! Aliás, eu não preciso de comer vegetais cultivados em matas desflorestadas. Basta estar atento à proveniência dos alimentos.

  96. Um texto onde se diz ”Nós provavelmente não seríamos capazes”. ”É importante incentivar o consumo e o abate, com mais humanidade, dos animais.” impacto zero é impossível.” Já diz tudo né. Somos Deus em ação não existe nada impossível. Hoje já existe tecnologias meios de sermos um com a natureza e viver em harmonia e perfeição. Se fazem o consumo Vegano do jeito que e feito destruindo a natureza colocando venenos, e por pura ignorância ainda da consciência, já podemos fazer com impacto zero sim. Dizer ”É importante incentivar o consumo e o abate, com mais humanidade, dos animais.” E pura ironia e mais pura ignorância ainda. Luz, amor e diversão a todos somos um

  97. Alguns pontos para pensar. A pessoa que, se não fosse absolutamente necessário ingerir carne por motivos de saúde, jamais o faria é o Sr. Dalai Lama. Às vezes ele o faz. A eficiência de uma raça, por vezes, é feita pela aferição do número de indivíduos sobre o planeta. As raças de animais consideradas as mais eficientes, segundo esse critério, são as vacas, os porcos e os cachorros (além das galinhas e das pessoas). Raciocinando pelo absurdo, talvez se se comecem elefantes, eles não estariam em risco de extinção. No contrário, no dia que ninguém mais comer carne de porco ou de vaca, esses indivíduos podem vir a fazer parte da lista de animais em extinção. Sei não…, mas dá prá pensar!!!

  98. Quem não compreende a diferença do homem dos animais,não sabem de nada do Deus criador, não compreende nada da natureza e nunca teve e nem tem compaixão pelas mudas criaturas que estamos incumbidos de cuidar,falam besteiras por ser um embriagado cronico cheio de maldade,como morem o homem morem os animais,porém o racional deve ter zelo pelos in racional.Sendo um vegetariano repudio veementemente este pensamento do homem da caverna,o perverso falam besteira e precisa ser educado.

  99. Como foi dito por vários comentaristas, os argumentos apresentados são uma grosseira falsificação. A quantidade de desmatamento que um mastigador de cadáveres provoca é imensamente superior. A maior parte do desmatamento mundial não se destina a plantar alimentos para humanos, mas sim para plantar alimentos para os animais que serão mortos para que suas carnes sejam devoradas por humanos. Como diz a famosa frase: “onde pasta um único boi há espaço para alimentar centenas de vegetarianos”.

  100. Ele náo é reputado naturalista. E deu esta entrevista para revistas que apoiam o agro negócio. Só por aí vemos que não tem valor nada do que diz. Comprado. Agora…basta raciocinar um pouquinho, não precisa ser muito, para ver que ela não diz coisa com coisa. Quer enganar a quem? A quem não pensa. Primeiro está claro que sabemos haver mortes aqui e ali em tudo que fazemos. Não é novidade. Segundo, ele fala principalmente em monocultura! E não este o tipo de cultura que veganos apreciam. Procuramos sempre por produtos orgânicos. Terceiro, os criadores de gado também matam, e muito, animais selvagens que atacam seu gado. Quarto, voltar a comer carne não resolve os problemas que ele aponta. É de uma imbecilidade impressionante todos os seus argumentos. Não sei como ganhou espaço na mídia.

  101. Me desculpem mas é ser muito infantil resumir todo o assunto e criar um artigo em cima de “sou a favor da natureza” dizendo que sempre haverão mortes etc etc (usando como justificativa para o continuar o consumo). A questão é bem mais profunda e complexa, cheios de detalhes que não podem ser ignorados (mas são por egoísmo e comodidade). Caso ainda não tenham assistido recomendo o documentário Cowspiracy que vai a fundo até dentro das organizações que se dizem defender o meio ambiente, bem como dados chocantes da ONU. Dados científicos que não tem como comparar o impacto de um versus o outro. Não tem! Se ainda necessitamos da matéria para alimentar a matéria, dos males o menor, repito NÃO HÁ COMO COMPARAR. (Este documentário tem no netflix e no youtube)

    Me admira ainda, um site sobre espiritualidade publicar isso. Estudando chacras, centros de força, meditação, energias, mediunidade, bem como (para quem acreditar), o que espíritos conhecidos (André Luiz, Emmanuel, Humberto de Campos, Ramatís, etc) falam sobre isso, chegamos a conclusões claras da interferência nociva da ingestão de víceras etc, não só para nossa Morada mas para nosso veículo físico. Parar de uma hora para outra talvez fosse extremo demais, mas nem a possibilidade de deixar aos poucos diminuindo a quantidade por semana, seguido por cortar a carne vermelha e ingerindo apenas aves e peixes, posteriormente somente peixes, para enfim deixar de vez a carne, como instrutores de Yoga fazem, nem isso é cogitado.

    Esquecemos da Força Natural do Progresso. Observemos as novas gerações, filhos e filhas de amigos, videos de crianças de diversos países na internet, rejeitando a carne não por birra, mas por compaixão (que é evidente nos videos). Não nos esqueçamos que a constituição física dos recem encarnados de hoje não é a mesma de ontem, bem como nos é conhecido que muitos espíritos com moralidade maior estão reencarnando como parte do processo de transição para um mundo de regeneração.

    Reflitemos mais seriamente, mais abertamente, mais racionalmente considerando e estudando amplamente todas as possibilidades que o assunto traz, sem nos prender ao egoísmo de buscar formas, desculpas etc, para justificar uma ação que ainda praticamos, não queremos e não estamos dispostos a mudar. É mais bonito admitirmos do que tentar justificar algo, que em 1945 segundo Alexandre (instrutor do Espírito André Luiz na Obra Missionários da Luz pela mediunidade de Chico Xavier), já era injustificável.

    Paz e Luz.

  102. A carne é um alimento sagrado, como qualquer alimento.. Especialmente se for de caça.. Tratando-se de saúde, todo alimento deveria estar vivo, fresco. Deveríamos comer o animal recém abatido, ou a cenoura recém colhida. Deveríamos comer alimentos vivos, que ainda estão em metabolismo. Quando a energia vital para, o alimento morre, e a informação é de morte. Seja uma carne ou uma fruta. De modo, que se quiser comer bem, jogue fora a geladeira e o fogão e consuma apenas alimentos crus e frescos.

    Já foi comprovado (leia-se o livro A Vida Secreta das Plantas) que as plantas são conscientes, sentem dor, tem sentimentos de afeto. Que na realidade, são muito mais sensíveis que qualquer animal.

    O movimento vegetariano/vegano é hipocrita pois todos continuam usando dinheiro, andando de carro ou de avião (Já pensaram em quantos animais morrem em um derramamento de petróleo nos oceanos? Quando andamos de carro, compramos algo embrulhado em plástico, estamos financiando essas mortes).

    O plantio de arroz, por exemplo, em áreas alagadas, é uma das práticas mais agressivas ao ambiente. Pois, assim como em uma hidrelétrica, quando se alaga uma área cheia de matéria organica (plantas, solo). Ocorre decomposição anaeróbica (sem a presença de oxigenio) e isso libera uma quantidade absurda de gás metano. E, posso afirmar com toda certeza que, o arroz nao é direcionado pro consumo animal. Sem falar nos adubo diluido na água dos arrozais e de todo o veneno que, quando a plantação é drenada para a colheita, acaba indo diretamente para os rios.

    Tudo gera impacto. Também já fui vegetariano, vegano e por fim frugivoro. Mas, por questão de saúde. Agora, querer fazer dessas dietas uma doutrina que julga quem não faz parte dela, considerando-se superior devido a isso, é um grande erro, sem dúvida. Volto a repetir. A carne é um poderoso alimento, um alimento sagrado, um alimento de poder. Mas deve ser caçada por quem consome, deve ser abatida por quem consome, com respeito, e deve ser comida imediatamente, ainda quente (viva).. Assim como qualquer outro alimento, seja vegetal, fungo, ou animal. Lembrem-se disso, as pantas tem consciência, sentem dor, tem sentimentos.

  103. Ele só se esqueceu de falar que a maior parte do cultivo de graos na agricultura é para forncer comida ao gado e etc. Uma pessoa vegana precisa de menos agricultura do que um boi, por exemplo. Se ele deixou de ser vegetariano ou vegano por isso, errou feio.

  104. Agricultura Sintrópica tradata na novela velho chico , nas muitas modalidades da Permacultura à agrofloresta são alguns exemplos de formas de agricultura que respeitam o ecossistema … dados recentes do greenpeace falam de 91% de desmatamento da Amazônia é para produção de carne. Essa matéria é somente superficial e equivocada ou tendenciosa e antiética mesmo?

  105. Desculpe mas, se quem fez este artigo quiser continuar comendo carne que assim seja, mas justificar com tantos argumentos rasos e descabidos, já é demais!

  106. Apenas lembrando:
    *Para 1kl de carne bovina, faz-se necessário 7 Kls de grãos
    * Para 1 kl de carne suína, 5 Kls de grãos
    Estes grãos alimentariam atas pessoas?
    Não sou vegetariana nem vegana, mas tenho pensado nisso e na ” falsa ideia” de que não podemos viver sem carne.

  107. Muito simples saber a verdade quando voce ler uma passagem do livro mais antigo. “A Biblia!”.
    No livro de Genesis 1:29 Deus nos informou o seguinte:
    “E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dao semente e se acham na superficie de toda a terra e todas as arvores em que ha fruto que de semente; Isso vos sera para mantimento.”
    Pode notar que esta dieta que Deus nos deu e a dieta Vegana. Portanto se voce seguir as orientacoes de Deus voce nunca ficara enfermo. Posso dizer com experiencia propria que tenho vivido quase setenta anos e todas pessoas me acham que tenho a metade desta idade e jamais Deus permitiu que eu ficasse doente. Outro fato e que os numeros da criacao de bovinos no mundo quase ultrapassa o numero de seres humanos e que os pastos sao formados com a distruicao das matas, e a producao de hortalicas nao chegam a ser nem 5% da formacao dos pastos bovinos. Que Deus abencoe a todos amigos!

  108. Digam obque quiserem, facam o que quiserem, eu como vegetais como carne, como um pouco de tudo, e não vejo por ai e de longe mesmo, ser um cruel assassino de animais, porque se formos ver, a vida tem um circulo, onde os vegetais alimentao os herbívoros, os herbívoros alimentao os carnívoros, é assim o circulo da vida, quem somos nós para alterar esse circulo? Alimento sim de carne,nao vejo os animais como um desporto, matar por brincadeira nao, mas sim para comer, facam um Leão comer vegetais??? Pelo amor da santa, nao é por ai que se vai proteger a natureza….

  109. Eu acho importante e válida uma discussão sobre esse assunto. Mas principalmente, eu diria que nós, humanos, comemos demais! Se toda a população se conscientizar de quão pouco precisamos para viver, exageros de festas, desperdício de alimentos…já teriamos uma grande diferença. Essa mudança começa em cada um de nós.

  110. Achei o texto interessante, li algumas resposta e quero deixar aqui minha opinião. Sou carnívora e acho ridículo essa estória de veganos e vegetarianos acreditarem que não matam. Vejamos, alguns comem ovo, leite, queijo. Produtos oriundo dos animais. Agora pensemos, se ele come o ovo ele está indiretamente comendo uma galinha. Porque digo isso? se o ovo for chocado ele vai virar um animal, ou seja, comeu um animal indiretamente ou impediu de um animal nascer. Quem consome leite e seus derivados está atrapalhando o ciclo natural da vida, pois os animais produzem o leite para alimentar os seus filhotes e o homem muitas vezes afastam as mães de seus filhotes para retirar o leite para consumo, o seja, está prejudicando um animal e indo contra a natureza. Outra situação que acho interessante lembrar aqui é que toda planta é um ser vivo, com sua fase de reprodução, nascimento, crescimento. Quando comemos um pé de alface ou qualquer outra verdura, legumes e frutas precisamos corta-la, ranca-la do solo ou de suas árvores para consumirmos. Quando comemos esta planta está morta. O que vejo nos veganos e vegetarianos é que eles não comem aquilo que tem sangue, mas não estão nem um pouco preocupados se o homem está destruindo a natureza para plantio, porque convenhamos que para plantar é necessário espaço e muitas vezes a destruição de florestas, matas e toda sua biodiversidade é destruída para comer alface. Que eu saiba atualmente o homem consome basicamente carnes bovinas, suínas, peixes e aves. Lembrando aqui que atualmente os produtores destes animais estão cada dia mais conscientes com a natureza e descobriram que para se ter uma criação com crescimento mais rápido a melhor escolha é a criação em ambientes fechados o que sobra espaço para a plantação. Vejamos, no centro oeste do Brasil grande parte de seu cerrado foi desmatado para produção de soja. No sul e sudeste exite grande produção, de cana de açúcar, No nordeste estão descobrindo clima propenso para uvas. Qual a área devastada para plantação destas plantas? Olha que só citei três exemplos dos milhares que temos. Veganos e vegetarianos se dizem a favor dos animais e onde estão nossos animais silvestres? Mortos pela necessidade cada dia maior de plantio. Veganos e vegetarianos também matam para comer, só que não tem sangue. Para mim eles não estão preocupados com o sofrimento animal, eles não gostam de ver sangue. Já pararam e verificaram quantos animais estão em processo de extinção ou até já foram extintos por questão de desmatamento para plantio? Nunca soube de extinção nenhuma de animais como vaca, porco, galinha, perus ou peixes. Detesto que maltratem qualquer tipo de animal, se vejo matando, não consigo comer. Mas não acredito que ser vegano ou vegetariano ajude na proteção de animal algum, pelo contrário, sua necessidade de comer está destruindo o planeta para produção agrícola, envenenando solos e águas com seu herbicidas e destruindo a biodiversidade do planeta.

    • Oi Aline… Li seu comentario e sem querer mudar seus habitos alimentares, longe disso, achei importante avisa-la de um documentario que se chama: “Cowspiracy”
      Ele trata exatamente do tema que abordou em seu comentario, “Impacto Ambiental” e tem versao dublada na Netflix. Pela sua colocacao acredito que ainda nao o assistiu… Fica a dica! Abraco.

  111. Boa noite a todos(as).

    Como podem calcular, não consegui ler todos os comentários, mas pelo artigo que li e contra-balançando com alguns comentários que li, parece que existe alguma confusão de ideias.

    Eu, como amante da cozinha que sou, não sou vegetariana, optei por deixar a carne para 2º plano, mas continuo a comer carne, porque somos omnívoros e dependemos de alguns nutrientes que só se encontram na alimentação animal e não na vegetal. Simplesmente penso que deveremos comer de tudo um pouco e não criar extremismos.

    É verdade que os matadouros e as touradas são terrivelmente agonizantes aos animais que ali vão morrer, é verdade que as vacarias, aviários, viveiros e entre outros não respeitam a população existente na sua exploração de espécies que levam muitas vezes a condições desastrosas e diminuem consequentemente a qualidade do produto final. Até aqui nada de novo e é do conhecimento geral, este tipo de situações.

    Mas agora vem o reverso da medalha, o facto de se cultivar em massa, leva a um maior gasto de água potável, desmineralização (infertilidade) dos solos, maior consumo de químicos para as ervas daninhas, fungos, insectos e outros animais que foram desabitados para que os humanos pudessem usufruir dos solos (ou seja foi destruído um eco-sistema).

    Como devem calcular, todos os seres vivos são necessários ao ciclo da vida, todos eles marcam a sua pegada, porque não é só o ser humano que destrói o habitat da espécie vizinha, toda e qualquer espécie que tenha uma anomalia no crescimento da sua população, vai directa ou indirectamente prejudicar a espécie que depende dela.

    Um exemplo: As Orcas da Antárctida comem focas e que por sua vez as focas comem pinguins e os pinguins comem peixe. Ora se por algum motivo houvesse diminui-se a população das Orcas, haveria um crescimento na população das focas que ameaçaria a população dos pinguins e caso se extinguisse, as focas teriam duas opções: Ou adquiriam uma nova presa para a sua alimentação ou desapareceriam e por sua vez as Orcas que já teriam a sua população diminuída também desapareceriam se não se readaptassem rapidamente.

    Por outras palavras, o ser humano, como espécie, está com um crescimento populacional acima de qualquer outra, o que leva a ameaçar as restantes, mas não quer dizer que sejamos dispensáveis ao mundo e às outras espécies, simplesmente deveríamos ter uma reprodução mais controlada para que todas as espécies de fauna e flora possam coexistir dentro do seu ciclo (cadeia alimentar).

    E mais, as próprias guerras mundiais, civis, escravatura e entre outros tipos de sobreposição do mais forte para o mais fraco, também é devido ao descontrolado crescimento populacional. Mesmo em outras espécies, quando existe uma anomalia no crescimento populacional, os confrontos pelos territórios, caça e as fémeas aumentam. Até mesmo entre as plantas existe este tipo de rivalidade, não tão notório porque não nos apercebemos, mas existe.

    Por isso, penso que deveríamos repensar melhor sobre a vida num todo (como um eco-sistema global), para que nos possamos entender melhor não só como espécie, mas também como, membro da cadeia alimentar e impacto causado no mundo em geral se fosse possível a coexistência com as restantes espécies.

  112. “Se toda a espécie humana se tornasse vegana por causa desse tipo de pensamento (sem contar com outras justificações filosóficas, religiosas ou de saúde nas quais eu não vou entrar), seria uma tragédia porque nós não estaríamos a entender verdadeiramente os problemas ambientais do mundo. ”
    Essa parte do texto acima o resume por completo!!!
    O autor trabalhou em um zoológico onde teve seu trabalho, que julgava nobre, impedido por ambientalistas onde os chama de fundamentalistas! O que muito provavelmente acarretou em um ódio por eles e uma busca frenética, até desenvolver essa matéria, onde tenta buscar incoerências nessas manifestações e/ou estilo de vida…
    Praticamente ele afirma que se o agricultor pisar e esmagar grilos no processo, pronto! Toda a lógica vegana iria por água a baixo.
    Repare especificamente na parte onde diz: – Sem contar com outras justificações filosóficas, religiosas ou de saúde nas quais “eu não vou entrar”.
    Isso simplesmente faz cair por terra toda sua teoria, pois são a base do vegetarianismo/veganismo. Ignora-las é querer fugir de uma derrota filosófica… e, filosofia e lógica andam comumente juntas!
    A única coisa válida em sua matéria é o combate contra o radicalismo, seja ele qual for, pois obrigar outros a pensarem como você não é nada ético!
    Mas ele erra e feio, em tentar justificar um imenso impacto ambiental sem precedentes que o consumo desenfreado de carne causa por qualquer outro! Defendendo a tese de que para você ter esses conceitos, teria que ser um especialista na fauna, flora, na biodiversidade em geral para que aquilo que acredita tenha validade.
    Seguindo sua linha de raciocínio, um engenheiro mecânico por exemplo, não deveria defender o veganismo e muito menos ser um ambientalista por não dominar por completo a área em questão.

  113. As pessoas que escrevem isto adoram fazer-se passar por ignorantes e limitadas, refiro-me às que através de argumentos sem pés nem cabeça tentam convencer e manipular os outros de coisas sem qualquer cabimento com o objetivo de desmistificar os vegans e vegetarianos.
    Não me refiro necessariamente às que leem e acreditam a essas passo a explicar:
    Neste artigo é dito que os vegans e vegetarianos acreditam que não estão a matar animais quando estão, para já a maior parte deste artigo refere-se à argentina não necessariamente a nós, mas imaginemos que vivemos lá.
    Segundo a lógica deles, apoiamos o abate de animais selvagens por estes se aproximarem das colheitas, eles são muito engraçados. Quer dizer, o setor da pecuária é o setor que mais polui e provoca a maior desflorestação (matando os animais selvagens e os seus lares plus o nosso oxigénio).
    Ora, analisemos bem a questão o setor da pecuária está a matar animais domésticos, animais selvagens e os seus lares, está a acabar com o nosso oxigénio, a dar cabo dos solos, a deixar morrer milhões de pessoas à fome por dinheiro e é o setor que mais emite metano e outros gases extremamente poluentes para a camada de ozono.
    Depois disto tudo ainda têm a lata de escrever esta atrocidade de artigo. Pois imaginemos que os agricultores dos campos de cereais, trigo etc andavam mesmo a matar os animais selvagens que lá iam para se alimentarem, porque é que lá iam? Não se perguntaram porque lá iam pois não? A resposta está em cima, é preciso clarificar?

  114. Errata:
    “Se toda a espécie humana se tornasse vegana por causa desse tipo de pensamento (sem contar com outras justificações filosóficas, religiosas ou de saúde nas quais eu não vou entrar), seria uma tragédia porque nós não estaríamos a entender verdadeiramente os problemas ambientais do mundo”.

    Essa parte do texto acima o resume por completo!!!

    O autor trabalhou em um zoológico onde teve sua pesquisa, que julgava nobre, interrompida por ambientalistas onde os chama de fundamentalistas! O que muito provavelmente acarretou em um ódio por eles e numa busca frenética em tentar buscar incoerências nessas manifestações e/ou estilo de vida, culminando na matéria “polemica”.

    Praticamente ele afirma que se o agricultor pisar e esmagar grilos no processo de colheita por exemplo, pronto! Toda a lógica vegana seria refutada.

    Repare especificamente na parte onde diz: – Sem contar com outras justificações filosóficas, religiosas ou de saúde nas quais “eu não vou entrar”.

    Isso simplesmente faz cair por terra toda sua teoria, pois são a base do vegetarianismo/veganismo. Ignora-las é querer fugir de uma derrota filosófica… e, filosofia e lógica andam comumente juntas.

    A única coisa válida em sua matéria é o combate contra o radicalismo, seja ele qual for, pois obrigar outros a pensarem como você não é nada ético!

    Mas onde ele erra feio, é em tentar justificar um imenso impacto ambiental sem precedentes que o consumo desenfreado de carne causa por qualquer outro, sem sequer apontar um vilão maior! Apenas defende a tese de que para você ter esses conceitos, teria que ser um especialista na fauna, flora, na biodiversidade em geral para que aquilo que acredita e defenda tenha validade.

    Seguindo sua linha de raciocínio, um engenheiro mecânico por exemplo, não deveria defender o veganismo e muito menos ser um ambientalista por não dominar em completo a área em questão.

    Em outras palavras… viajou na maionese legal.

  115. Para alimentar só uma vaca consomem-se recursos agrícolas que alimentariam 7 humanos, o resto do texto é um exercício literário sem fundamento cientifico.
    Tal como alguns bons comentários dizem aqui, a maior ameaça é o aumento indiscriminado da população humana que terminará com a urgente redução do consumo de carne de animais pela população humana.

  116. Sabemos que a agricultura, da forma como é praticada, tem um impacto muito grande sobre a vida animal em virtude do uso indiscriminado de agrotóxicos, da diminuição da diversidade, do uso intensivo da terra e dos recursos hídricos. Então, tanto a agricultura quanto a pecuária não se salvam nesta história. A solução é a Permacultura, a Agrofloresta que já demonstraram largamente os benefícios e a capacidade de produzir alimentos saudáveis sem agredir o meio-ambiente. Desta forma sim, faz muita diferença ser vegetariano, pois matar ou não o animal que se cria no quintal vai estar diretamente na mão de cada um. Ao contrário disso, na pecuária convencional, se eu deixo de comprar e comer carne, os animais continuarão morrendo porque a grande maioria ainda come carne. Não é uma defesa aos que comem carne, mas uma constatação, pois eu sou vegetariano.
    Hoje praticamente tudo o que comemos são imitações de alimentos, recheados de venenos, de hormônios e tão modificados que muito se distanciaram da sua origem.
    O artigo em questão, apesar de polêmico, suscita a discussão de assunto importante para a nossa sobrevivência no Planeta Terra.

    • A agricultura está cheia de agrotóxicos, por causa de pessoas com a sua mentalidade, descompromissada com a vida.
      Não ha necessidade de se aplicar agrotóxicos, tanto é que temos os orgânicos, que só são caros por falta de demanda.
      Saia da Matrix.

  117. É incrível como sempre as pessoas arranjam argumentos para não mudarem o sistema, e o pior, elas acreditam no que falam, colocam seus desejos e prazeres acima de tudo e de todos, não se importando com as consequências futuras.

  118. Eu só enxergo ai dolo, pura maldade estratégica, a politica é se misturar com os “limpos” para contaminar. É provado que é mais eficaz “entrar” com uma versão podere deturpada, do que contrapor as mensagens de Luz. Lamentável.
    *INSANIDADE, NÃO CAIAM NESSE PAPINHO DOS DA NÃO LUZ, ISSO É UMA ARMADILHA*
    *TENTE HUMANIZAR A MORTE DO SEU FILHO, INTENDA ISSO*

    GRATIDÃO E PAZ AOS QUE NÃO SE CONTAMINAREM COM ESSE DESSERVIÇO.

  119. Com correção ortográfica:

    Eu só enxergo aí dolo, pura maldade estratégica, a política é se misturar com os “limpos” para contaminar. É provado que é mais eficaz “entrar” com uma versão podre deturpada, do que contrapor as mensagens de Luz. Lamentável. *INSANIDADE, NÃO CAIAM NESSE PAPINHO DOS DA NÃO LUZ, ISSO É UMA ARMADILHA*
    *TENTE HUMANIZAR A MORTE DO SEU FILHO, INTENDA ISSO*
    GRATIDÃO E PAZ AOS QUE NÃO SE CONTAMINAREM COM ESSE DESSERVIÇO.

  120. Muitas pessoas têm de começar a perceber e a entender que o ser humano é um vírus para o planeta, eu até podia tentar explicar tudo, mas num mundo de ignorantes isso não vale a pena. É devido á existência do ser humano que neste momento existe o aquecimento global, a escassez de água, a fome, o sofrimento dos animais, e muito mais. Vou dar um exemplo, o nosso corpo quando está doente, ele aquece para matar o mal que está dentro de nós, isso é exatamente o que está acontecendo com a terra, está tudo a ficar desiquilibrado e o planeta está cada vez a aquecer mais. Está provado que a raça humana vai deixar de existir antes da inundação, o que já não falta assim tanto tempo visto que muito dos gelo já derreteu, e já há alguns sítios submersos. Aconselho as pessoas para ver um documentário feito por Leonardo DiCaprio que tem o nome de “Before the flood” , este documentário mostra a realidade por detrás de tudo, e assim em vez de estarmos a debater sobre coisas que nem sabemos, vemos com os nossos próprios olhos e começamos a por a filosofia no lugar da ignorância.

  121. Gente…estou enlouquecendo de tanto tentar entender minha própria espécie…trocentos comentários e terminou do jeito que começou…sem nenhum entendimento!
    Só “sei” que eu fui vegetariano (não digo vegano pq sempre fiquei no meu canto). Fazem uns 20 anos que sou vegetariano.
    Porém essa é apenas uma parte, não me sentiria bem se tivesse um carro… e não tenho…nem CNH…(já perdi vários empregos por não te-la), tudo que faço é de bike, a pé, de carona ou mais raramente ônibus…Decidi viver só e estou só a décadas, acho que o MAIOR impacto que posso causar ou meio ambiente é gerar mais uma humano, que não tenho ideia do que virá a ser (poderá ser: Um vegano, Um ecólogo…um latifundiário…o educador…um criador de armas de destruição em massa…um executivo inescrupuloso…um bom homem?mulher…prefiro não saber)…mas não imponho isso a ninguém é uma forma de me sentir menos pior neste universo caótico cheio de pseudo sei lá o que…que na verdade devem estar tão confusos quanto eu…
    O que eu queria dizer é o seguinte:” sempre sofri de alergia ao glúten…e passei a boa parte da vida tentando controlar os efeitos disto, mesmo parando com os vegetais que o contém.
    Não vou alongar muito a parte dos sintomas etc!
    Nos últimos 10 anos ou mais…tenho passado maus bocados com um torpor mental…uma falta de ânimo…absurda..já acordo com “sono”…não conseguia prestar atenção em nada, vivia ansioso demais…o coração disparado…a barriga inchada e eu sou magro…
    Sim eu sou hipoglicêmico, mas eu não como alimentos refinados…só vegetais.
    Minha ultima tentativa…foi com arroz cateto, vermelho, lentilhas, ervilhas, almoço e jantar e frutas, amendoins, alfarroba e leite de alpiste, linhaça ect….
    Não mudou nada….
    Foi aí que me apresentaram uma tal dieta PALEO. Foi um susto, pois ia ao contrário de tudo que eu já tinha visto como saudável…coma carne ovos,, gordura a vontade, corte todos feijões e grão pois têm anti-nutrientes terríveis…diminua o consumos de muitos tipos de frutas e principalmente corte os carboidratos….que loucura (pensei)!
    Como não haviam muitas opções mais, fui conferir (lógico que a carne estava fora de cogitação, sei que posso estar me prejudicando e não aconselho ninguém a fazer o mesmo…mas mentalmente só me sinto bem assim…mas é eu comigo mesmo…não sei o que se passa com vc!). Comecei a comer ovos, cortei as frutas “proibidas” (bananas, mamões, melancia, laranjas…etc), passei a comer morangos, kiwis e abacates, troquei os óleos vegetais por manteiga, queijos (que to vendo como parar, pois vi como tratam os animais leiteiros)!
    E foi decepcionante (do ponto de vista vegetariano que sempre tive)…TODOS OS SINTOMAS E DESCONFORTOS QUE SENTIA A ANOS SIMPLESMENTE SUMIRAM…não é artigo científico, não é vídeo, não apologia a isto ou aquilo…está ACONTECENDO comigo agora…e aí o que eu faço volto a comer apenas “mato” e passo mal de novo?
    Eu tenho medo de ver como as pessoas “pregam” conceito de forma generalizada…gente somos indivíduos…cada um tem um tipo de metabolismo…predisposição genética…tantas variáveis!
    E não sou contra o veganismo…mas acho muito perigosos a forma como alguns o defendem!
    Eu fui buscar alternativas em alguns sites veganos/vegetarianos nacionais e gringos…muitos recomendavam…soja…tofu…cereais…frutas…foi quando percebi que aquilo não era a verdade alimentar…pois essa coisas estavam minando minha saúde!
    Vejo os vegetarianos e veganos falando sobre os males disso ou daquilo, mas e os anti-nutrientes?
    E os fitatos num sei do que,os carboidratos líquidos de absorção rápida das frutas e cereais?
    E os compostos tóxicos que se formam ao aquecer qualquer óleo vegetal?
    E o fato dos cereais terem sido tão modificados que causam alergias e outros problemas em muitos?
    Será que é certos divulgar uma verdade alimentar única?
    Quantas pessoas podem ser prejudicadas?
    Sei que muita gente pode comer só vegetais ou podem comer…pouquíssimos vegetais…mas não são todos…não seria isso mesmo?
    Se eu tiver de comer ovos…eu não posso ir busca-los num sítio?Tenho amigos que criam para subsistência e as galinhas ficam soltas…tá não é o ideal, mas to tentando conciliar…até ver outra opção!
    Garanto que quase todos aqui tem carros, filhos…eu não…e por motivos ambientais…e da?í..foi escolha minha me sinto bem assim…não julgo quem tenha carros ou filhos…é o direito de cada um…é vc com vc…eu posso dizer o que faço para contribuir…vc adota se quiser e principalmente se puder…não era pra ser assim?”
    E quantos ao carnívoros, não é o fato de comer carne, mas sim de transformar a carne em moeda…em principal prato a ser esbanjado em qualquer tipo de comemoração…de usar indiscriminadamente…a carne com fumaça dos churrascos…as carnes fritas com os venenosos óleos vegetais…não estou criticando o “habito” de comer carne…mas quando isso gera desperdícios de vidas e de saúde…já que me excesso faz tanto mal quanto em falta…
    Ao invés de ficar se ofendendo inutilmente…não seria melhor orientar uns aos outros sem forçar nada?E ainda assim acho que cada um tenho direito de querer saber ou não…não somos donos da verdade (eu creio), pq até onde eu sei…não houve na humanidade houve uma verdade concreta…a morte…não…sei…não morri ainda e quem se foi não voltou!
    Ao invés de querer que as pessoas parem radicalmente com algo, não é mais fácil mostrar opções onde elas se conscientizem e resolvam por si a diminuir ou parar um comportamento ou outro?
    Sou filho de pedreiro e doméstica…não tenho ensino superior com a maioria aí deve ter…e confesso que nunca vi textos com tanta redundância…sei que o meu deve estar ridículo, meu português é péssimo mesmo (nem percam tempo criticando, pois já sei), mas sei, lá tinha de escrever algo…não aguento mais isso…carnívoro/vegetariano…direitista/esquerdista…ateu/religioso…até onde vamos continuar a nos estranhar?”
    Bem era isso!

  122. Texto justifica o consumo de carne. Estudos indicam q ha outras fontes de nutrientes. No meu caso, sou vegano pois acredtio q nao ha mais tempo a perder. Qq producao de carne seja “sustentavel” nao chega nem aos pes do que agricultura sustentavel eh capaz. Watch “cowspiracy”. Fucking simple maths!

  123. Conheço uma senhora que é vegan desde que tem 14 anos de idade, essa senhora neste momento tem 72 anos, nunca esteve de melhor saúde, não tem nenhum problema. Na época dela muita gente falava mal dela dizendo que ela iria te problema se nunca iria ter filho, neste momento ela está de ÓTIMA saúde e tem 5 filhos VEGANOS, desde o momento que nasceram e estão de perfeita saúde.

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: