O Código Galáctico

Galaxy8O planeta Terra é o último planeta neste universo sob ocupação das forças das trevas, a última relíquia das guerras galácticas que alastraram por toda a galáxia ao longo de milhões de anos.

À medida que a galáxia era libertada das garras das forças das trevas, as Forças da Luz evoluiram a partir de uma força militar criada pela necessidade urgente de defender as liberdades básicas dos seres sencientes, para uma sociedade galáctica harmoniosa e cósmica.

Como os seres na Confederação Galáctica evoluiram espiritualmente e fizeram o seu alinhamento e união com os Mestres Ascensos, eles descobriram um código interior que regula todas as inter-relações entre os seres da Luz e a sua relação para com as forças das trevas e planetas ocupados. Este código é chamado de Código Galáctico e representa a base jurídica para todas as acções da Confederação nesta e noutras galáxias. Este Código não é um conjunto rígido de leis externas, mas um código sistematizado de éticas internas de todas as almas da Luz e que todos os seres da Luz aceitam com o seu livre arbítrio, pois reflete a sua verdade interior.

Vamos agora declarar o Código Galáctico de uma forma que seja compreensível para uma pessoa medianamente desperta numa sociedade humana.

Secção I: A Lei da Graça Divina

Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável a uma experiência de vida positiva.

Para explicarmos a Secção I é necessário entender que a dor e o sofrimento não tem valor algum numa sociedade galáctica esclarecida e liberta da influência das Forças da Escuridão e de outros aspectos das anomalias cósmicas. O valor do sacrifício, do sofrimento e da dor como parte da experiência do crescimento é parte da programação das Forças da Escuridão com o objectivo de escravizar a população dos planetas ocupados com mais facilidade.

A experiência positiva de vida de cada ser pensante no universo livre é garantida pela conexão interior de cada ser vivo com a Fonte e é reforçada pelo poder dos Mestres Ascensos sobre a matéria, o que lhes permite auxiliar todos os seres vivos nas suas aspirações com respeito à Fonte e a provê-los das necessidades essenciais à vida. A vida nunca foi concebida para ser de trabalho árduo e esforço, mas uma jornada de alegria e criatividade. As diferentes subsecções da Seção I regulam toda a vida num Universo livre e todas as relações entre os seres da Luz de modo a que conflitos nunca precisem de ocorrer. Vamos explicar as subsecções:

Secção I/1: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável à abundância física e espiritual.

Esta subsecção garante uma experiência positiva de vida a cada ser num universo livre. Os Mestres Ascensos providenciam todas as necessidades da vida, para a riqueza e beleza física e espiritual usando os poderes que tem sobre a matéria resgatada num universo liberado.

Secção I/2: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável à Ascensão.

Esta subsecção explica como os Mestres Ascensos usam o seu conhecimento avançado da tecnologia espiritual da Ascensão e como, ao utilizarem o Fogo Elétrico da Redenção, auxiliam a todos os seres que através do livre arbítrio escolheram a Ascensão.

Seção I/3: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável de se fundir com outros seres proporcionalmente à posição na sua Família/Mandala de Alma.

Esta subsecção é um instrumento para a regulação de todas as relações dentro de uma Família de Almas. Ela garante a fusão de seres de polaridades opostas (almas gémeas) e o alinhamento de todos os outros seres independentemente do seu estado de desenvolvimento e condições externas.

Secção I/4: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável à informação.

Esta secção é a garantia de que todos os seres receberão toda a informação que necessitarem para entender seu papel no Universo, uma perspectiva ampla da evolução e tudo o que for necessário para o seu crescimento, bem-estar e tomada de decisão. Todos estes dados são providos pelos Mestres Ascensos e outros seres que supervisionam a evolução de várias raças e civilizações.

Secção I/5: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável à Liberdade.

Esta subsecção explica que cada ser tem um potencial ilimitado para o seu crescimento e experiência de vida. Como todos os seres de um Universo livre criam somente o positivismo, e a sua liberdade nunca entra em conflito com a Liberdade de outros seres.

Secção II: A Lei da Divisão das Partes em Conflito

Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável a ser separado e protegido das acções negativas de outros seres sencientes.

Esta secção regula as condições nas zonas do universo que tenham acabado de ser libertadas da influência das Forças da Escuridão mas que ainda não tenham sido aceites na Confederação. Ela exige que as Forças da Luz estejam sempre a servir de barreira para os grupos em conflito, prevenindo-os de causar danos mutuamente. Então as Forças da Luz mediarão os conflitos até que eles estejam resolvidos. Esta secção é frequentemente usada para acabar com guerras e outros conflitos armados.

Secção III: A Lei do Equilíbrio

Cada ser senciente que tenha escolhido viver e agir contra os princípios do Código Galáctico, e que se recuse ou não esteja apto a aceitá-los de imediato, e que tenha medido as consequências das suas acções no passado, será levado para o Sol Central e reestruturado na essência elemental básica para viver um novo ciclo de evolução.

Esta secção regula as relações entre as Forças da Luz e as Forças da Escuridão. Quando derrotados, os seres pertencentes às Forças da Escuridão têm a oportunidade de aceitar o Código Galáctico, fazer o melhor que puderem para corrigir os erros cometidos e depois a viver positivamente. Caso eles aceitem serão perdoados e poderão juntar-se à Confederação. Caso eles não estejam aptos ou não queiram aceitar, eles são levados para o Sol Central, as suas personalidades e essências da alma são reestruturadas com o Fogo Elétrico e a sua centelha divina começa um novo ciclo de evolução.

Secção IV: A Lei da Intervenção

A Confederação Galáctica tem o direito incondicional e inalienável para intervir em todas as situações onde o Código Galáctico seja violado, independentemente das leis locais.

Esta secção descreve a política das Forças da luz sobre os planetas ocupados. A Confederação reserva-se o direito de intervir em todas as áreas, civilizações, planetas ou sistemas solares onde o Código Galáctico seja violado. Ela tem o direito de agir assim independentemente da posição das civilizações locais a respeito dessa intervenção. Ela sempre terá o direito de utilizar todos os meios pacíficos de educação e regulação. Se a massa crítica dos princípios do Código Galáctico tenha sido violada, ela terá o direito de utilizar força militar. Planetas sob ocupação directa das Forças da Escuridão são considerados casos especiais. As Forças da Escuridão normalmente fazem a população local refém para impedir o progresso das Forças da Luz. Na Terra eles utilizaram a guerra nuclear como ameaça caso as Forças da Luz resolvessem intervir. Esta é a principal razão para que as Forças da Luz ainda não tenham libertado este planeta (e não as afirmação absurdas comuns nós-não-vamos-intervir-porque-respeitamos-o-livre-arbítrio ou vamos-ficar-só-observando-enquanto-o-sofrimento-continua). Como em qualquer situação com reféns, isso requer muita habilidade de negociação e uma abordagem táctica. Esta situação está sendo resolvida e em breve o planeta Terra será libertado.

Secção IV/1: Cada ser senciente tem o direito incondicional e inalienável de convocar a Confederação Galáctica quando tiver necessidade e a Confederação Galáctica tem o direito a ajuda-lo, independentemente das leis locais.

Esta subsecção fornece as bases legais para a intervenção e auxílio para todos os reféns das Forças da Escuridão. As Forças da Luz sempre fazem o melhor que podem para assistir e melhorar as condições de vida de todos os seres pensantes, até mesmo na Terra. A situação do planeta Terra indica quanto poder as forças das trevas tiveram sobre a Luz neste planeta. Felizmente, isto está a mudar.

Secção IV/2: A Confederação Galáctica tem o direito incondicional e inalienável de implementar o Código Galáctico e de conquistar as áreas onde ele tenha sido violado, usando a força militar se necessário.

Esta subsecção dá as bases legais para a libertação de planetas ocupados com o uso de força militar. As forças militares da Confederação removem, ou dão assistência, para a remoção dos representantes das Forças da Escuridão e libertam os reféns. Então outras forças da Confederação guiam o processo de aceitação do planeta na Confederação através da educação da população local.

Talvez alguns humanos sintam que a Confederação não tenha o direito de intervir e que a Humanidade tem o direito de resolver os seus próprios problemas. Isto simplesmente não é verdade. A quantidade de guerras por todo o planeta somada ao constante abuso dos direitos humanos provou que a Humanidade não é capaz de cuidar da sua própria situação. Sendo assim, é muito melhor que ela seja guiada por sábios guardiões. A Confederação Galáctica dará assistência na substituição dos actuais controladores (Forças da Escuridão) que a Humanidade aceitou há muito tempo na época de Atlântida. Então o Código Galáctico será finalmente o código de ética universal em todo o Universo e não existirão mais trevas.

Traduzido do artigo original em: “Galactic Codex”, publicado no dia 4 de Abril de 2012.

3 thoughts on “O Código Galáctico

  1. Gostei muito. Acho que será o regime sinárquico, uma Frente Única Espiritualista, uma só língua e um só padrão monetário, sob o estandarte branco da Paz.

  2. “A Confederação Galáctica dará assistência na substituição dos actuais controladores (Forças da Escuridão) que a Humanidade aceitou há muito tempo na época de Atlântida. Então o Código Galáctico será finalmente o código de ética universal em todo o Universo e não existirão mais trevas.”

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: