Cientistas encontram uma vasta gama de produtos químicos tóxicos em batom de marcas conhecidas e noutros produtos cosméticos

Um estudo divulgado pela Escola de Saúde Pública de Berkley da Universidade da Califórnia, descobriu que muitos produtos de batom convencionais continham níveis perigosamente altos de alumínio, cádmio, chumbo e outras toxinas. Os investigadores testaram mais de 30 produtos populares de batom e foi isso que descobriram. O estudo foi publicado na revista Environmental Health Perspectives. Mesmo as mulheres que usam quantidades mínimas dos produtos ainda aumentam seu risco de desenvolverem condições de saúde prejudiciais, como danos nos nervos e cancros, numa quantidade alarmante.

De acordo com o estudo:

A maioria dos produtos para lábios testados continha altas concentrações de titânio e alumínio. Todos os produtos examinados tinham manganês detectável. O chumbo foi detectado em 24 produtos (75%), com uma concentração média de 0,36 ± 0,39 ppm, incluindo uma amostra com 1,32 ppm. Quando utilizados na taxa diária média estimada, as ingestões estimadas foram> 20% do que as doses diárias toleráveis para os derivados do alumínio, cádmio, crómio e manganês. Para além disso, o uso diário médio dos 10 produtos testados resultaria na ingestão de crómio superior à nossa dose diária permitida e estimada para o crómio. Para altas taxas de uso do produto (acima do percentil 95), as percentagens de amostras com contaminação de metal estimado superior ao permitido foram de 3% para o alumínio, 68% para crómio e de 22% para o manganês. A percentagem estimada de chumbo era <20% que o recomendado para a utilização média e intensiva.

A ingestão diária destes cosméticos resultaria numa grande exposição ao crómio, um carcinogéneo que foi associado a tumores no estômago. A utilização normal desses produtos pode resultar nma superexposição ao alumínio, cádmio e manganês. A exposição a altas concentrações de manganês tem sido associada a elevados níveis de toxicidade no sistema nervoso. O chumbo também foi detectado, e nenhum nível de exposição ao chumbo é seguro para ninguém.

“Simplesmente encontrar esses metais não é o problema. Os níveis é que são importantes. Alguns dos metais tóxicos foram encontrados em níveis que poderão ter um efeito a longo prazo”. – Katharine Hammond, professora de ciências da saúde ambiental e principal investigadora do estudo.

A quantidade de metais encontrados definitivamente precisa de ser trazida à atenção dos reguladores de saúde. Mas nós temos um problema aqui, visto que os reguladores da saúde estão geralmente associados às corporações que desenvolvem esses produtos em primeiro lugar. A verdadeira solução é simplesmente parar de usá-los. Estamos vendidos à ideia de que precisamos desses produtos de beleza, ainda que cheios de produtos químicos nocivos. Nós não somos bonitos de qualquer modo? Actualmente, não existem padrões nos Estados Unidos para o conteúdo de metais em cosméticos, o que é profundamente perturbador. Eles podem muito bem colocar tudo o que quiserem, e não leva muito tempo à corrente sanguínea para absorver o que quer que coloquemos nos nossos corpos.

A verdade é que muitos dos ingredientes dos produtos de higiene pessoal e de beleza não são assim tão bonitos. Os investigadores norte-americanos descobriram que um em cada oito dos 82 mil ingredientes usados ​​em produtos cosméticos e de higiene pessoal são produtos químicos industriais perigosos. Isso significa que 10.500 produtos químicos industriais são utilizados como ingredientes cosméticos, muitos dos quais são carcinogéneos, pesticidas, toxinas reprodutivas, disruptores endócrinos, plastificantes (produtos químicos que mantêm o cimento macio), desengordurantes (usados para limpar oficinas de automóveis) e surfactantes (reduzem a tensão superficial na água, e sã usados nas tintas). E estes contaminam a nossa pele e o ambiente.

Você sabe que a exposição química diária está entre as causas principais dos casos mais comuns de doenças crónicas na América?

O que acontece ao seu corpo quando alterna ou pára de usar produtos cosméticos

Um novo estudo conduzido por investigadores da UC Berkeley e da Clínica de Saúde do Valle Salinas demonstrou que fazer até uma pequena pausa  na utilização de vários cosméticos, shampoos e outros produtos de cuidado pessoal, pode levar a uma queda substancial nos níveis de substâncias químicas disruptoras de hormonas presentes no corpo.

Os resultados do estudo foram publicados na revista Environmental Health Perspectives. Os investigadores deram a 100 adolescentes amostras de vários produtos de cuidados pessoais que foram rotulados como livres dos produtos químicos mais comuns, incluindo os ftalatos, parabenos, triclosano e oxibenzona. Estes produtos químicos são usados ​​regularmente em quase todos os produtos convencionais de cuidados pessoais, como cosméticos, sabonetes, protectores solares, champôs, condicionadores e outros produtos para o cabelo, sendo que estudos com animais mostraram que eles interferem directamente com o sistema endócrino do corpo.

“Por as mulheres serem as principais consumidoras de muitos produtos de cuidados pessoais, elas podem estar desproporcionalmente expostas a esses produtos químicos”, disse a principal autora do estudo, Kim Harley, Directora Associada do Centro de Pesquisa Ambiental e Saúde das Crianças do UC Berkeley. “As raparigas adolescentes podem estar particularmente em risco por ser um período de desenvolvimento reprodutivo rápido, e a pesquisa sugeriu que usam mais produtos de cuidados pessoais por dia, do que a mulher adulta comum”.

Resultados

Após apenas três dias de testes com as jovens, usando apenas produtos com baixa concentração de químicos, as amostras de urina mostraram uma queda significativa no nível de substâncias químicas no corpo. Os parabenos de metilo e propilo, vulgarmente usados ​​como conservantes em cosméticos, caíram 44% e 45%, respectivamente, enquanto os metabólitos do ftalato de dietilo, usado frequentemente em perfumes, caíram 27% e o triclosano e a benzofenona-3 caíram 36%. Os autores do estudo ficaram surpresos ao ver um aumento de dois parabenos comuns menores, mas esses níveis eram pequenos e podiam facilmente ser causados ​​por contaminação acidental ou um substituto não listada nos rótulos.

A co-directora do estudo, Kimberly Parra, explica o porquê de ter jovens locais a participarem no estudo ter sido de particular importância:

Os resultados do estudo são particularmente interessantes a nível científico, mas o facto das alunas do ensino médio terem participado no estudo, criou um novo caminho para atrair os jovens para aprenderem sobre ciência e como ela pode ser usada para melhorar a saúde das suas comunidades. Depois de saberem dos resultados, as jovens assumiram a responsabilidade de educar os amigos e membros da comunidade, e apresentaram a sua causa às assembleias legislativas em Sacramento.

No Conselho de Jovens da CHAMACOS participaram 12 estudantes locais do ensino médio que ajudaram a desenhar e a implementar o estudo. Uma das investigadoras adolescentes, Maritza Cárdenas, é agora uma licenciada da UC Berkely com especialização em biologia molecular e celular.

“Um dos objetivos do nosso estudo foi o de elevar a Consciência entre os participantes sobre os produtos químicos encontrados em produtos do quotidiano, para ajudar a tornar as pessoas mais conscientes sobre o que estão a usar”, disse Cárdenas. “Observar a queda nos níveis de químicos após apenas três dias mostra que acções simples podem ser tomadas, como a escolha de produtos com menos produtos químicos, e assim fazer a diferença”.

O que é que você pode fazer?

Bem, você pode certificar-se que verifica as etiquetas em todos os produtos que você compra. A maioria dos produtos de cuidados pessoais contêm uma lista de ingredientes, mas infelizmente muitos cosméticos não. Se você usar uma determinada marca que você realmente adora, pode tentar entrar em contacto com o fabricante directamente e pedir-lhes a lista dos ingredientes.

Você também pode optar por produtos mais naturais e orgânicos, mas lembre-se de que na indústria dos produtos de cuidados pessoais, as palavras “natural” e “orgânico” são muitas vezes ocas. Uma aposta segura seria a de comprar esses produtos numa loja de alimentos saudáveis ​​e não se esquecer de ler os ingredientes ou pedir mais informações aos empregados. Geralmente, quando os produtos não contêm produtos químicos específicos, os fabricantes ficam contentes por poderem rotulá-los como tal.

Porque na verdade os produtos naturais e orgânicos podem ser um pouco mais caros, você pode querer considerar a possibilidade de fazer os seus prórpios. Você pode fazer uma grande variedade de produtos de cuidados pessoais completamente naturais com bastante facilidade com apenas alguns ingredientes. Não só isso é mais barato, mas permite que você tenha a certeza de quais os ingredientes que entrarão no seu corpo e personalizar as suas criações para atender às suas necessidades específicas. Confira “o Top 5 dos Produtos de Cuidados Pessoais que você pode fazer em sua casa” para algumas grandes ideias de maquilhagens caseiras, ou tente fazer uma pesquisa rápida no Google ou Pinterest!

Quanto menor for a procura destes produtos quimicamente carregados, menos estes produtos químicos serão utilizados. Eu já disse isto antes e vou dizer novamente: VOTE COM O SEU DINHEIRO! Temos o poder de criar o mundo que queremos. Seja a mudança.

Veja também o vídeo da História dos Cosméticos abaixo!

Fontes:

(1) http://ehp.niehs.nih.gov/1205518/

(2)http://newscenter.berkeley.edu/2013/05/02/toxic-metals-in-lipstick/

http://www.naturalnews.com/040281_lipstick_heavy_metals_cadmium.html

http://www.collective-evolution.com/2017/04/29/scientists-find-a-host-of-toxic-chemicals-in-name-brand-lipstick-other-cosmetic-products/

Um comentário sobre “Cientistas encontram uma vasta gama de produtos químicos tóxicos em batom de marcas conhecidas e noutros produtos cosméticos

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: