Jornalista de topo abre o jogo e admite que os meios de comunicação social são uma total falsidade

Dr. Udo Ulfkotte

Dr. Udo Ulfkotte é um jornalista e editor alemão de topo desde à mais de duas décadas, de modo que você pode apostar que ele sabe uma coisa ou outra sobre os meios de comunicação social e o que realmente acontece nos bastidores.

Recentemente, o Dr. Ulfkotte foi à televisão pública afirmar que ele foi forçado a publicar as obras recebidas através de agentes secretos, em seu próprio nome, acrescentando também que o não cumprimento dessas ordens resultaria na perda do emprego.

Recentemente, ele fez uma aparição no canal Russia Today  para partilhar esses factos:

“Eu fui jornalista durante cerca de 25 anos, e eu foi educado para mentir, trair, e não para dizer a verdade ao público.

Mas vendo agora como nos últimos meses os meios de comunicação social e alemães tentaram trazer a guerra para as pessoas na Europa, entrar em guerra com a Rússia – este é um ponto de não retorno e eu vou levantar-me e dizer que não está certo o que eu fiz no passado, manipular as pessoas, fazer propaganda contra a Rússia, e que não está certo o que os meus colegas fazem e fizeram no passado, porque eles são subornados para trair o povo, não só na Alemanha, em toda a Europa.

É importante ter em mente que o Dr. Ulfakatte não é a única pessoa a afirmar isto. Vários repórteres fizeram o mesmo e este tipo de sinceridade é algo do qual o mundo precisa mais.

Um dos (muitos) grandes exemplos de repórter delatores é jornalista investigativo e ex-repórter da CBC News Sharyl Attkisson.

Ela fez um discurso contundente no TEDx mostrando como os falsos movimentos de raíz financiados por interesses especiais políticos, corporativos, ou outros de forma muito eficaz manipulam e distorcem as mensagens dos meios de comunicação social.

Outro grande exemplo é o de Ambar Lyon, o jornalista do CC por três vezes premiado com o Emmy, que disse que eles são rotineiramente pagos pelo governo dos Estados Unidos e governos estrangeiros para relatar de forma selectiva e até distorcer informações sobre determinados eventos. Ela também indicou que o governo tem o controlo editorial sobre o conteúdo.

Desde a Operação Mockingbird , uma iniciativa baseada na CIA para controlar os meios de comunicação social convencionais, mais e mais pessoas expressam a sua preocupação de que o que vemos nos meios de comunicação social são nada menos do que lavagem cerebral.

Isso também é evidente nas mentiras flagrantes que continuam a difundir na TV, em particular quando se trata de temas como a saúde, a alimentação, guerra (“terrorismo”), a pobreza, e muitos outros.

As coisas não mudaram de facto, quando se trata dos meios de comunicação social distorcerem informações e dizerem mentiras. A situação piorou nos últimos anos e, na realidade, é por isso é muito encorajador que mais pessoas estão a começar a ver através dessas mentiras, mesmo sem a ajuda de delatores como o Dr. Ulfakatte.

Um grande exemplo é a suposta “guerra contra o terror”, ou o “terrorismo de bandeira falsa”. Há até mesmo documentos da Wikileaks que aludem ao facto de que o governo dos Estados Unidos pretende “infligir dor e retaliar” contra os países que recusam os organismos geneticamente modificados.

O apoio contínuo dos grandes meios de comunicação social de OGM está em crescendo, apesar do facto de que um número de países cada vez maior está agora a proibir estes produtos.

A lista de mentiras cresce a cada dia que passa. É hora de desligar a TV e fazer a sua própria pesquisa, se você está curioso sobre o que está a acontecer no nosso planeta. É hora de acordar.

by Arjun Walia

 

1 comentário em “Jornalista de topo abre o jogo e admite que os meios de comunicação social são uma total falsidade

Deixe um comentário

Top