Os Juramentos Jesuítas usados nas suas Sociedades Secretas

O Juramento Jesuíta: A Guerra da Contra-Reforma “Para além disso eu prometo e declaro que eu quero, quando a oportunidade surgir, fazer e conduzir uma guerra implacável, secreta ou aberta, contra todos os hereges, protestantes e liberais, como eu for instruído para fazer, para extirpar e exterminá-los da face de toda a Terra, e eu não pouparei ninguém pela sua idade, sexo ou condição, e que eu vou enforcar, descartar, ferver, esfolar, estrangular e enterrar vivo estes hereges infames, rasgar os estômagos e ventres das suas mulheres e esmagar as cabeças dos seus filhos contra as paredes, a fim de aniquilar para sempre essa raça abominável. E quando o mesmo não possa ser feito abertamente, vou secretamente usar o cálice envenenado, o cabo de estrangulamento, o aço do punhal ou a bala de chumbo, independentemente da honra, grau, dignidade ou autoridade da pessoa ou pessoas, seja qual for a sua condição na vida, pública ou privada, visto que eu, a qualquer momento, pode ser instruído a fazê-lo por qualquer agente do Papa ou Superior da Irmandade da Santa Fé, da Companhia de Jesus”.

Os Jesuítas são a Ordem Militar Religiosa da Igreja Católica Romana

Papal Keys

Quando um jesuíta num nível mais baixo da hierarquia ascende na cadeia de comando, é conduzido à capela do convento da ordem, onde estão somente três outros presentes. O principal ou o superior está à frente do altar. Em ambos os lados está um monge, um dos quais tem uma bandeira amarela e branca, que são as cores papais, e o outro uma bandeira preta com um punhal e uma cruz vermelha em cima de um crânio e ossos cruzados, com a palavra INRI, e abaixo as palavras IUSTUM, NECAR, REGES, IMPOSTO. O significado disso é: é apenas para exterminar ou aniquilar Reis, Governos ou Governantes impios ou heréticos. No chão há uma cruz vermelha na qual o postulante ou candidato se ajoelha. O Superior entrega-lhe um pequeno crucifixo negro, que ele segura na mão esquerda e aperta contra o coração, e o Superior apresenta-lhe ao mesmo tempo uma adaga, com a lâmina encostada contra o seu coração, segura pelo Superior pelo cabo, que assim se dirige ao postulante:

Superior:

“Meu filho, até agora você tem sido ensinado a agir de forma dissimulada: entre os católicos romanos para ser um católico romano, e para ser um espião, mesmo entre os seus próprios irmãos, para não acreditar em nenhum homem, para não confiar em nenhum homem. Entre os reformadores, para ser um reformador; Entre os huguenotes [nome dado aos protestantes franceses], ser um huguenote; Entre os calvinistas, para ser calvinista; Entre outros protestantes, em geral ser protestante, e obter a sua confiança, procurar mesmo pregar aos seus púlpitos, e denunciar com toda a veemência da sua natureza a nossa Santa Religião e o Papa; E até mesmo descer tão baixo para se tornar judeu entre os judeus, para que você possa ser capaz de reunir todas as informações para o benefício da sua Ordem como um soldado fiel do Papa.

“Você tem sido ensinado a plantar insidiosamente as sementes de ciúme e do ódio entre as comunidades, províncias, e estados que estavam em Paz, e incitá-los a actos de sangue, envolvendo-os em guerras uns com os outros para criar revoluções e guerras civis em países que eram independentes e prósperos, cultivando as artes e as ciências e desfrutando das bênçãos da paz. Tomar partido com os combatentes e agir em segredo com o seu irmão jesuíta, que pode estar no outro lado, mas abertamente oposto àquilo com o qual você pode estar associado, para que só a Igreja possa ser a beneficiária final, nas Condições estabelecidas nos tratados de Paz em que os fins justificam os meios “.

“Você foi ensinado no seu dever como um espião, para reunir todas as estatísticas, factos e informações em seu poder de todas as fontes; Para congratular-se com a confiança do círculo familiar de protestantes e hereges de todas as classes e características, bem como dos comerciantes, dos banqueiros, dos advogados, entre as escolas e universidades, nos parlamentos e legislaturas, nos judiciários e conselhos de estado, e de ser todas as coisas para todos os homens, pelo Papa, cujos servos somos até a morte.”

“Você recebeu todas as suas instruções até agora como um iniciado, um neófito, e tem sido co-adjurador, confessor e sacerdote, mas você ainda não foi investido com tudo o que é necessário para comandar no Exército de Loyola ao serviço do Papa. Você deve servir o tempo apropriado como o instrumento e executor dirigido pelos seus superiores; Pois ninguém pode comandar aqui que não tenha consagrado o seu trabalho com o sangue do herege; Pois “sem o derramamento de sangue, nenhum homem pode ser salvo”. Portanto, para se adaptar ao seu trabalho e tornar a sua própria salvação segura você, para além do seu antigo juramento de obediência à sua ordem e lealdade ao Papa, vai repetir depois de mim:-“

O seguinte material está nos Registos do Congresso, Lei 1523, Caso da eleição contestada por Eugene C. Bonniwell, contra Thos S. Butler, a 15 de Fevereiro de 1913, páginas 3215 e 3216. O juramento aparece em sua totalidade, no livro, A VERDADE SUPRIMIDA SOBRE O ASSASSINATO DE ABRAHAM LINCOLN, por Burke McCarty, páginas 14-16.

O Juramento Extremo dos Jesuítas

“Eu… na presença do Deus Todo-Poderoso, da Santíssima Virgem Maria, do bem-aventurado Arcanjo Miguel, do bendito São João Batista, dos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo e de todos os Santos e sagrados anfitriões do céu, e a vós, o meu pai imaterial, o Superior Geral da Companhia de Jesus, fundado por S. Inácio de Loyola no Pontificado de Paulo III, e continuado até o presente pelo ventre da Virgem, a Matriz de Deus e pela vara de Jesus Cristo declaram e juram que a sua santidade o Papa é o vice-regente de Cristo e é o verdadeira e único líder da Igreja Católica ou Universal em toda a Terra; E que, em virtude das chaves para amarrar e soltar, dadas a Sua Santidade pelo meu Salvador, Jesus Cristo, ele tem o poder para depor reis heréticos, príncipes, estados, comunidades e governos, sendo todos eles ilegais sem a sua confirmação sagrada pelo que poderão, com segurança, serem destruídos.”

“Portanto, com toda a minha força, defenderei esta doutrina, dos direitos e dos costumes da Sua Santidade, contra todos os usurpadores da autoridade, heréticos ou protestantes, em particular os luteranos da Alemanha, Holanda, Dinamarca, Suécia, Noruega e a agora pretensa autoridade e igrejas da Inglaterra e da Escócia, e ramos dos mesmos agora estabelecidos na Irlanda e no Continente da América e em outros lugares; E todos os simpatizantes no sentido de serem usurpados e hereges, opondo-se à sagrada Mãe da Igreja de Roma. Eu renuncio e desobedeço agora a qualquer lealdade como devido a qualquer herético rei, príncipe, protestantes ou liberais, ou obediência a qualquer das leis, magistrados ou oficiais.

“Declaro ainda que a doutrina das igrejas da Inglaterra e da Escócia, dos calvinistas, huguenotes e outros com o nome de Protestantes ou Liberais é condenável e eles mesmos condenaram quem não abandonar a mesma”.

“Declaro também que ajudarei, assistirei e aconselharei todos ou qualquer um dos agentes de Sua Santidade em qualquer lugar onde eu estiver, na Suíça, na Alemanha, na Holanda, na Dinamarca, na Suécia, na Noruega, na Inglaterra, na Irlanda ou na América, ou em qualquer outro reino ou território que venha a fazer, e faço todo o possível para extirpar os heréticos protestantes ou doutrinas dos liberais e para destruir todos os seus poderes pretendidos, legalmente ou de outra forma.

“Prometo mais e declaro que, apesar de me dispensar ao assumir a minha religião herética, para a propaganda do interesse da Mãe Igreja, guardo secreta e confidencialmente todos os conselhos dos seus agentes de tempos a tempos, pois eles podem confiar que não os divulgarei, directa ou indirectamente, por palavra, escrita ou outra circunstância qualquer; Mas para executar tudo o que será proposto, confiado a meu cargo ou dado a descoberto a mim, por você, meu pai imaterial, ou qualquer um desta aliança sagrada.”

“Mais prometo e declaro que não terei nenhuma opinião ou vontade própria, ou qualquer reserva mental, mesmo como um cadáver (perinde ac cadaver), mas obedecerei sem hesitação a todos e cada um dos mandamentos que eu possa receber dos meus superiores da Milícia do Papa e de Jesus Cristo”.

“Que eu possa ir a qualquer parte do mundo para onde possa ser enviado, para as regiões congeladas do Norte, as areias ardentes do deserto de África, ou para as selvas da Índia, para os centros da civilização da Europa, ou para os assombramentos selvagens dos bárbaros da América, sem murmurar ou repelir, e serei submisso a todas as coisas que me forem comunicadas”.

“Para além disso eu prometo e declaro que eu quero, quando a oportunidade surgir, fazer e conduzir uma guerra implacável, secreta ou aberta, contra todos os hereges, protestantes e liberais, como eu for instruído para fazer, para extirpar e exterminá-los da face de toda a Terra, e eu não pouparei ninguém pela sua idade, sexo ou condição, e que eu vou enforcar, descartar, ferver, esfolar, estrangular e enterrar vivo estes hereges infames, rasgar os estômagos e ventres das suas mulheres e esmagar as cabeças dos seus filhos contra as paredes, a fim de aniquilar para sempre essa raça abominável. E quando o mesmo não possa ser feito abertamente, vou secretamente usar o cálice envenenado, o cabo de estrangulamento, o aço do punhal ou a bala de chumbo, independentemente da honra, grau, dignidade ou autoridade da pessoa ou pessoas, seja qual for a sua condição na vida, pública ou privada, visto que eu, a qualquer momento, pode ser instruído a fazê-lo por qualquer agente do Papa ou Superior da Irmandade da Santa Fé, da Companhia de Jesus”.

“Em minha confirmação disso, eu dedico a minha vida, a minha alma e todos os meus poderes corporais, e com esta adaga que agora recebo, subscreverei o meu nome escrito no meu próprio sangue, em testemunho disso; E seja provada falsa ou fraca a minha determinação, os meus irmãos e companheiros soldados da Milícia do Papa cortarão as minhas mãos e os meus pés, a minha garganta de orelha a orelha, o meu ventre aberto e queimado com enxofre, com todas as punições que podem ser infligidas sobre mim na Terra e a minha alma torturada por demónios num inferno eterno para sempre!”

“Tudo o que, eu, ………., Juro pela Santíssima Trindade e sacramentos abençoados, que eu devo agora receber, para executar e a minha parte manter inviolável; E apelo a todos os celestiais e gloriosos anfitriões do Céu para testemunharem o sacramento da Eucaristia, e testemunharem o mesmo com o meu nome escrito, com a ponta deste punhal mergulhado no meu próprio sangue, e selado em face desta santa aliança.”

(Ele recebe a hóstia do Superior e escreve seu nome com a ponta de sua adaga mergulhada no seu próprio sangue tirado do seu coração).

Superior:

“Agora você vai erguer-se pelos seus pés e eu instrui-lo-ei no Catecismo necessário para se dar a conhecer a qualquer membro da Companhia de Jesus que pertença a este grau.”

“Em primeiro lugar, você, como um Irmão Jesuíta fará, mutuamente com outro, o sinal ordinário da cruz como qualquer Católico Romano comum; Então uma cruz nos seus pulsos, as palmas das mãos abertas, e a outra em resposta cruza os seus pés, uma acima da outra; O primeiro aponta com o indicador da mão direita para o centro da palma da esquerda, o outro com o dedo indicador da mão esquerda aponta para o centro da palma da direita; O primeiro então com a mão direita faz um círculo ao redor de sua cabeça, tocando-o; O outro, com o dedo indicador da mão esquerda, toca o lado esquerdo do corpo, logo abaixo do coração; A primeira, então, com a mão direita, passa pela garganta da outra, e a segunda, então, com uma adaga no estômago e no abdómen da primeira. O primeiro então diz Iustum; E o outro responde Necar; O primeiro diz Reges, o outro responde Impious [cujo significado já foi explicado]. O outro, de seguida, apresenta um pequeno pedaço de papel dobrado de uma maneira peculiar, quatro vezes, que o outro cortará longitudinalmente e ao abrir o nome de Jesus estará escrito sobre a cabeça e os braços de uma cruz, três vezes. Você dará e receberá então com ele as seguintes perguntas e respostas: – ”

Pergunta (Q): – De onde você vem?

Resposta (A): – Da Santa Fé.

Q: A quem você serve?

A: O Santo Padre em Roma, o Papa e a Igreja Católica Romana Universal por todo o mundo.

Q: Quem te ordena?

A: O Sucessor de S. Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus ou dos Soldados de Jesus Cristo.

Q: Quem o recebeu?

A: Um venerado homem de cabelos brancos.

Q: Como?

A: Com o punhal nu, ajoelhei-me na cruz sob as bandeiras do Papa e da nossa ordem sagrada.

Q: Você fez um juramento?

Eu fiz, para destruir os hereges e os seus governos e governantes, e para não poupar ninguém nem pela sua idade, sexo ou condição. Ser como um cadáver sem qualquer opinião ou vontade própria, mas obedecer implicitamente aos meus superiores em todas as coisas sem a hesitação de murmurar.

Q: Você fará isso?

A:- Eu o farei.

Q: Como é que você viaja?

A: Na barca de Pedro, o Pescador.

Q:- Para onde você viaja?

A: Para os quatro cantos do globo.

Q: Com que propósito?

A: Obedecer às ordens do meu general e dos meus Superiores, executar a vontade do Papa e cumprir fielmente as condições dos meus juramentos.

Q: Vá, então, para todo o mundo e tome posse de todas as Terras em nome do Papa. Quem não o aceitar como Vigário de Jesus e seu Vice-regente na Terra, seja anátema e exterminado”.

“Eu [Iniciado Maçónico]… aqui… Juro que eu sempre… ocultarei e nunca revelarei nenhum dos segredos… da Maçonaria Livre… a ninguém… [e se eu o consentir] a minha garganta será cortada de orelha a orelha, a milha língua arrancada pela raíz, o meu corpo enterrado nas areias do mar pouco profundas…” Juramento Maçónico da Iniciação de Primeiro Grau.   Jesus nunca diria isso!

O Juramento dos Cavaleiros de Colombo, dos Cavaleiros de Malta e dos Estudantes de Rodes baseia-se no Juramento dos Jesuítas

(Este é um extracto do registo do Congresso da casa de representantes datado de 15 de Fevereiro de 1913, onde o juramento é incorporado como pertencendo supostamente aos Cavaleiros de Colombo).

“Eu, …………, agora na presença do Deus Todo-Poderoso, da bem-aventurada Virgem Maria, do abençoado São João Batista, dos Santos Apóstolos, de São Pedro e São Paulo e de todos os santos, e para vós, meu Pai Espectral, o superior geral da Companhia de Jesus ordenado por Santo Inácio de Loyola, no pontificado de Paulo III e continuado até o presente, fazem pelo ventre da Virgem, matriz de Deus, e a vara de Jesus Cristo, declarar e jurar que a Sua Santidade o Papa, é vice-regente de Cristo e é o verdadeiro e único chefe da Igreja Católica ou Universal por toda a Terra, e que em virtude das chaves de amarrar e soltar dadas por Sua Santidade e pelo meu Salvador, Jesus Cristo, ele tem poder para depor reis hereges, príncipes, Estados, comunidades e governos e estes podem ser destruídos com segurança. Por conseguinte, eu defenderei esta doutrina e o direito e o costume de Sua Santidade contra todos os usurpadores da autoridade herética ou protestante, em particular a Igreja Luterana da Alemanha, Holanda, Dinamarca, Suécia e Noruega, e a agora pretendida autoridade e autoridade Igrejas da Inglaterra e da Escócia, e os seus ramos agora estabelecidos na Irlanda e no Continente da América e noutros lugares, e todos os seguidores no sentido de serem usurpados e heréticos, opondo-se à sagrada Mãe da Igreja de Roma”.

“Eu agora denuncio e desobedeço a qualquer lealdade devida a qualquer herético rei, príncipe ou Estado, sejam Protestantes ou Liberais, ou obediência a qualquer das suas leis, magistrados ou oficiais”.

“Eu declaro ainda que a doutrina das Igrejas da Inglaterra e da Escócia, dos calvinistas, huguenotes e outros sob o nome de protestantes ou maçons é condenável, e eles mesmos serão condenados se não abandonarem a mesma”.

“Declaro ainda que ajudarei a assistir e aconselhar todos ou qualquer um dos agentes da Sua Santidade, em qualquer lugar onde eu deveria estar, na Suíça, na Alemanha, na Holanda, na Irlanda ou na América, ou em qualquer outro reino ou território. Chegar e fazer o máximo para extirpar as doutrinas heréticas protestantes ou maçónicas e destruir todos os seus poderes pretendidos, legais ou não”.

“Prometo mais e declaro que, apesar de me dispensar ao assumir a minha religião herética, para a propaganda do interesse da Mãe Igreja, guardo secreta e confidencialmente todos os conselhos dos seus agentes de tempos a tempos, pois eles podem confiar que não os divulgarei, directa ou indirectamente, por palavra, escrita ou outra circunstância qualquer; Mas para executar tudo o que será proposto, confiado a meu cargo ou dado a descoberto a mim, por você, meu pai imaterial, ou qualquer um desta ordem sagrada.”

“Mais prometo e declaro que não terei nenhuma opinião ou vontade própria, ou qualquer reserva mental, mesmo como um cadáver (perinde ac cadaver), mas obedecerei sem hesitação a todos e cada um dos mandamentos que eu possa receber dos meus superiores da Milícia do Papa e de Jesus Cristo”.

“Que eu possa ir a qualquer parte do mundo para onde possa ser enviado, para as regiões congeladas do Norte, as areias ardentes do deserto de África, ou para as selvas da Índia, para os centros da civilização da Europa, ou para os assombramentos selvagens dos bárbaros da América, sem murmurar ou repelir, e serei submisso a todas as coisas que me forem comunicadas”.

“Para além disso eu prometo e declaro que eu quero, quando a oportunidade surgir, fazer e conduzir uma guerra implacável, secreta ou aberta, contra todos os hereges, protestantes e maçons, como eu for instruído para fazer, para extirpa-los e exterminá-los da face de toda a Terra, e eu não pouparei ninguém pela sua idade, sexo ou condição, e que eu vou enforcar, descartar, ferver, esfolar, estrangular e enterrar vivo estes hereges infames, rasgar os estômagos e ventres das suas mulheres e esmagar as cabeças dos seus filhos contra as paredes, a fim de aniquilar para sempre essa raça abominável. E quando o mesmo não possa ser feito abertamente, vou secretamente usar o cálice envenenado, o cabo de estrangulamento, o aço do punhal ou a bala de chumbo, independentemente da honra, grau, dignidade ou autoridade da pessoa ou pessoas, seja qual for a sua condição na vida, pública ou privada, visto que eu, a qualquer momento, pode ser instruído a fazê-lo por qualquer agente do Papa ou Superior da Irmandade da Santa Fé, da Companhia de Jesus”.

“Em minha confirmação disso, eu dedico a minha vida, a minha alma e todos os meus poderes corporais, e com esta adaga que agora recebo, subscreverei o meu nome escrito no meu próprio sangue, em testemunho disso; E seja provada falsa ou fraca a minha determinação, os meus irmãos e companheiros soldados da Milícia do Papa cortarão as minhas mãos e os meus pés, a minha garganta de orelha a orelha, o meu ventre aberto e queimado com enxofre, com todas as punições que podem ser infligidas sobre mim na Terra e a minha alma torturada por demónios num inferno eterno para sempre!”

“Que eu, na votação, votarei sempre em K. de C, em detrimento de um protestante, em particular um Maçon, e que deixarei o meu partido para o fazer; Se, dois católicos estiverem para ser eleitos, eu ficarei satisfeito, visto ser o que melhor suporta a Igreja Mãe, e votar-se-á em conformidade”.

“Que eu não vou tratar ou empregar um protestante se estiver no meu poder para lidar com ou empregar um católico. Eu colocarei meninas católicas em famílias protestantes para que se faça um relato semanal dos movimentos internos dos hereges”.

“Que eu encontrarei as armas e as munições para que eu possa estar pronto quando a palavra for aprovada, ou se me for ordenado defender a igreja como um indivíduo ou com a milícia do Papa”.

“Tudo isso eu, …………, juro pela Santíssima Trindade e bendito sacramento que agora devo receber para executar e em parte para manter este, o meu juramento.”

“Em testemunho disso, tomo este Santíssimo e abençoado Sacramento da Eucaristia e testemunho o mesmo com o meu nome escrito com a ponta deste punhal mergulhado no meu próprio sangue e selado diante deste santo sacramento”.

O Juramento Administrado aos Illuminati baseia-se no juramento dos jesuítas

Antes que o juramento seja administrado é dito que uma espada é apontada ao peito:

“Se você se tornar um traidor ou perjuro, deixe esta espada lembrá-lo de cada um e todos os membros em armas contra ti. Não espero encontrar segurança; Por onde quer que voce possa voar, vergonha e remorso, assim como a vingança de teus irmãos desconhecidos irão torturar-te e perseguir-te”.

Então no juramento que segue ele jura:

“…Silêncio eterno, fidelidade e eterna obediência a todos os superiores e regulamentos da Ordem. Renuncio também às minhas próprias opiniões e opiniões pessoais, bem como a todo o controlo dos meus poderes e capacidades. Prometo também considerar o bem-estar da Ordem como meu, e estou pronto, enquanto for membro, a servi-lo com os meus bens, a minha honra e a minha vida… Se eu agir contra as regras e o bem-estar da Sociedade, vou submeter-me às penas a que meus superiores possam condenar-me… ”

“Em nome do filho crucificado, ou seja, o Pentagrama, o homem iluminado, juro quebrar os laços que ainda te ligam ao teu pai, à tua mãe, aos irmãos, às irmãs, à mulher, aos parentes, aos amigos, às amantes, aos reis, aos chefes; E todas as pessoas a quem você possa ter prometido fé, obediência e serviço. Nomeie e amaldiçoe o lugar onde você nasceu, para que você possa habitar outra esfera, a qual você alcançará somente depois de ter renunciado a este globo pestilento, refugo vil dos céus! A partir deste momento, você está livre do chamado juramento ao país e às leis: jure revelar ao novo chefe, reconhecido por si, o que você pode ter visto ou feito, interceptado, lido ou ouvido, aprendido ou suposto e também procurar espiar o que seus olhos não podem discernir. Honre e respeite o Aqua Tofana (isto é, um veneno imperceptível e lento) como um meio seguro, rápido e necessário de purgar o globo pela morte daqueles que procuram vilipendiar a verdade e tirá-la de nossas mãos. Voe da Espanha, de Nápoles e de toda a terra amaldiçoada; Finalmente voe da tentação de revelar o que você pode ouvir, pois o trovão é mais rápido que faca, e espera por si em qualquer lugar onde possa estar. Viva em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”[A Trindade do Iluminismo – Cabalística e Gnóstica, o Pai – o fogo Criador, o Espírito Santo – a Grande Mãe Natureza, que reproduz todas as coisas e o Filho – a manifestação, o fluido vital, a luz astral do Iluminismo].


Os membros dessas várias sociedades secretas que procuram a “Iluminação” e “divinação”, desconhecem que os seus mestres são o Judeu cabalístico, o criador do misticismo gnóstico. (Veja nos links seguintes):

Ir para Superiores Gerais da Companhia de Jesus

Ir para História dos Jesuítas

Ir para a Lista de Membros Iniciais dos Cavaleiros de Malta

“As três formas de iniciação – individuais, grupais ou universais – conduzem a um controle consciente ou inconsciente por parte de um poder central, que de alguma forma misteriosa faz sentir a sua influência; Muitas vezes clarividentemente e claramente visto e ouvido, mas nunca fisicamente presente ou visível. O sistema em todos os três é o mesmo – o cabalístico. Secretamente aqui e ali as pessoas estão preparadas; Estes novamente formam grupos ou centros dos quais as influências se espalham até formarem uma rede que cobre todo o mundo. Como raios de um sol ocultos estes grupos são aparentemente divergentes e desligados, mas na realidade todos irradiam do mesmo corpo central. O sistema é visto como uma disseminação insidiosa e secreta de ideias, orientando e derrubando todas as barreiras da família, religião, moralidade, nacionalidade e todo pensamento de auto-iniciativa, sempre sob o manto de uma nova e mais moderna religião, um novo pensamento, uma nova moralidade, um novo céu e uma nova Terra; Até evoluir para um robô gigantesco meramente respondendo à vontade e aos comandos de uma Mente Mestra secreta. Eles sonham que são indivíduos livres, originais e autodeterminados; Eles são apenas a lua negativa refletindo e reproduzindo a luz do mesmo Sol escondido e cabalístico. É apelidado de regeneração pelos Illuminati; É na verdade a morte e desintegração individual, seguida por uma ressurreição como os “portadores da luz” negativos deste Sol escuro cabalístico cujo “Grande Plano” luciferiano é a dominação do mundo. “(Anónimo, Portadores de Luz das Trevas, do livro The Christian Book Club of America, p105).

A Enciclopédia Judaica destaca que o Gnosticismo “era de carácter judáico muito antes de se tornar cristão”, e cita a opinião de “um movimento intimamente ligado ao misticismo judaico”. O Ragon da Maçonaria Livre diz: “A Cabala é a chave das ciências ocultas. Os gnósticos nasceram dos cabalistas”.

O rabino Benamozegh afirma:

“Aqueles que se darão ao trabalho de examinar com cuidado a conexão entre o judaísmo e a maçonaria filosófica, a teosofia e os mistérios em geral… Deixará de sorrir com tristeza pela sugestão de que a teologia cabalística pode ter um papel a desempenhar nas transformações religiosas do futuro… Contém a chave para o problema religioso moderno” (Anónimo, Portadores de Luz das Trevas, do livro The Christian Book Club of America, pág 11).

“O pensamento caldeano agiu poderosamente sobre o judaísmo ortodoxo e determinou o crescimento de uma seita no seu interior que deveria transformar Israel… Esta seita era a dos fariseus… O que eles pediram emprestado (dos caldeus) de facto… Foi a essência da doutrina panteísta… Foi então que foi criado a partir dessas interpretações da Cabala dos fariseus, e que foi durante muito tempo transmitido oralmente de Mestre para discípulo, e foi, 800 anos mais tarde, usado para inspirar a compilação do Talmud, e encontrou a sua expressão mais completa no Sepher ha Zohar… Essa religião do “Homem Divinizado”, com a qual foram impregnados na Babilónia, foi concebida apenas para benefício dos judeus, seres superiores e predestinado…” (M. Flavien Bernier, Les Juifs et le Talmud, 1913).

O escritor judeu Bernard Lazare disse:

“É certo que existiam judeus mesmo no berço da Maçonaria – judeus cabalísticos, como é provado por certos rituais existentes… O judeu também é um construtor: orgulhoso, ambicioso, dominador, e ele tenta tirar tudo para si mesmo. Ele não está satisfeito com a descristianização, ele Judaísa; Ele destrói a fé católica ou protestante, provoca a indiferença, mas impõe a sua ideia ao mundo, da moral e da vida sobre cuja fé ele arruína; Ele trabalha na sua antiga tarefa – a aniquilação da religião de Cristo!”

A Sra Nesta Webster em Sociedades Secretas e Movimentos Subversivos [Secret Societies and Subversive Movements], escreve:

“Os Protocolos dos Sábios de Sião estavam maravilhosamente correctos como profecia, prenunciando tudo isso de forma notável, qualquer que seja sua primeira origem, antes que Maurice Joly usasse parte deles em 1864”.

“O Dr. Ranking, que dedicou muitos anos de estudo à questão… Num artigo muito interessante publicado na revista maçónica Ars Quatuor Coronatorum, destaca: “Desde o início do cristianismo, tem sido transmitido através dos séculos um corpo de doutrina incompatível com o cristianismo nas várias Igrejas oficiais. O que os corpos que ensinam nestas doutrinas professam fazer é sob a autoridade de São João, a quem, como alegaram, os verdadeiros segredos tinham sido cometidos pelo Fundador do Cristianismo, e que durante a Idade Média, o principal apoio dos corpos gnósticos e o principal repositório desse conhecimento (Joanismo) era a Sociedade dos Templários. E ele disse ainda,”O registro dos Templários na Palestina é um longo conto de intrigas e traição por parte da Ordem “.

Na sua História da Magia, Eliphas Levi informa-nos:

“Os Templários tinham duas doutrinas: uma era oculta e reservada aos líderes, sendo a do Joanismo; A outra era pública, sendo a doutrina católica romana… O Joanismo dos seguidores foi a Cabala dos Gnósticos, mas degenerou rapidamente num panteísmo místico levado até à idolatria da Natureza e ódio de todo dogma revelado… Eles fomentaram o arrependimento de cada culto caído e as esperanças de cada novo culto, prometendo a todos a liberdade de Consciência e uma nova ortodoxia que deveria ser a síntese de todas as crenças perseguidas. Eles chegaram mesmo a reconhecer o simbolismo panteísta dos grandes mestres da Magia Negra… Eles prestaram honras divinas ao ídolo monstruoso Baphomet”.

As afiliações místicas sob as Pirâmides do Egipto, a seita esotérica de Pitágoras, os astrólogos ou matemáticos de Roma no tempo de Domiciano, a Casa da Sabedoria no Cairo, os Ismaelitas ou Assassinos, os Companheiros do Velho da Montanha, os Templários , Os Rose-Croix (Rosacruzes), os Carbonari, os jesuítas, os Maçons, os B’nai B’rith, os Cavaleiros de Colombo, os Souffrants, os Chercheurs, as Lojas de São João, os Melquisedeques, os Sacerdotes Reais, os Mestres dos Sábios , Os Brethren asiáticos… Todos parecem formar uma cadeia ininterrupta dessas afiliações superiores… Sob o nome “Illuminati”, sob o Poder Director dos Invisíveis – Seres Terrenos – Mestres que trabalham no Astral, cujo papel auto-nomeado era o de serem os árbitros e os Mestres do Mundo.

Fonte: https://tabublog.com/2017/04/29/jesuit-vows-of-their-secret-societies/

3 comentários sobre “Os Juramentos Jesuítas usados nas suas Sociedades Secretas

  1. Qual a razão porque colocam o juramento aqui?
    Não é boa coisa entrarmos nessa vibração, e vocês sabem disso.
    Ao lermos estamos inadvertidamente a entrar na vibração do mesmo , o que é grave.
    Vocês têm noção disso????

Deixar uma resposta

Top
%d bloggers like this: