A Magia Cerimonial e a Feitiçaria: como uma Arte Antiga foi Aperfeiçoada pela “Elite Global”

magic-759x500

“A realidade psíquica primária subjacente é tão inconcebivelmente complexa que só pode ser compreendida pelo mais distante alcance da intuição, mas muito vagamente. É por isso que ela precisa de símbolos. “- Carl Jung

O que é a magia cerimonial? As obras de vários estudiosos, de Platão a Manly P. Hall e outros na mesma linha, sugerem que é essencialmente o uso de rituais e técnicas para invocar e controlar “espíritos” ou formas de vida que possam existir noutras dimensões ou mundos. Por exemplo, de acordo com Hall, “um mago, envolto em vestimentas santificadas e carregando uma varinha inscrita com figuras hieroglíficas, poderia pelo poder investido por certas palavras e símbolos controlar os habitantes invisíveis dos elementos e do mundo astral. Enquanto a elaborada magia cerimonial da antiguidade não era necessariamente negativa, surgiram da sua perversão várias escolas falsas de feitiçaria ou magia negra” (1)

Contudo, se examinarmos as obras de Platão, vemos que ele condena especificamente, tanto nas obras Leis como na República, a ideia de que os “deuses” podem ser influenciados pela realização de certos rituais – chamados de “necromancia” ou “ataques de magia”. Ele acreditava que aqueles que tentam controlar o mundo espiritual devem ser penalizados (2).

Sócrates, sobre quem Platão escreveu muito, também falou de uma entidade que o guiou. Nunca lhe foi dado um nome, mas as referências a ele variaram de “daemon” a “daimon”. Sócrates acreditava que essa entidade era um dom e que se manifestava na forma de uma voz interior, algo que todos nós possuímos. A sua comunicação com esta entidade foi realmente usada como uma das acusações contra ele quando ele foi morto. Sócrates acreditava que isso era um elo entre o homem mortal e Deus (3).

Sócrates parece ser uma exceção quando se trata de usar esses conceitos para propósitos  perversos e, como salienta Hall, ele provou que “o status intelectual e moral do mágico tem muito a ver com o tipo de elementar que ele é capaz de invocar. Mas mesmo o “daemon” de Sócrates abandonou o filósofo quando a sentença de morte foi dada” (1).

Ele foi condenado à morte por “corromper a juventude” e espalhar informações “falsas” entre as pessoas mas, olhando para trás, parece ser uma figura mais parecida com os nossos revolucionários modernos do que uma influência malévola, condenada à morte por expor os segredos da aristocracia e encorajar as pessoas a questionarem a verdadeira natureza da realidade, a questionar a doutrina que tinha sido fornecida às massas por aqueles no poder.

Existem também registos nativos que contêm abundantes provas de que as civilizações da América Central e do Sul estavam intensamente envolvidas neste tipo de artes, magia negra e branca. Isso está bem documentado no Popuol Vuh.

Se tais informações forem verdadeiras, não é surpreendente. Os seres humanos sempre foram sujeitos à atração do poder, impulsionado pelo seu ego, ganância e miopia. É desconcertante imaginar esse poder de trabalhar com o mundo espiritual nas mãos daqueles que o usariam para a sua própria agenda, promovida pelo poder da magia negra.

Avançando rapidamente para os dias de hoje temos histórias como a do Dr. Johannes Faust. Através do seu estudo da magia, ele foi capaz de invocar um extradimensional que o serviu ao longo de muitos anos é de várias maneiras diferentes. Existe mesmo um trecho do “Livro do Dr. Fausto”, Wittenberg, 1524 que descreve a sua experiência (1).

Napoleão Bonaparte, o líder militar e político francês, é outro exemplo. Ele costumava falar de um “Homem Vermelho e Pequeno do Destino”, um “espírito” que apareceu no Palácio Real. Aparentemente, quando algo importante estava a acontecer, ele aparecia. Este homem, que outros agora consideram ser superstições tolas e crenças folclóricas, realmente influenciaram Napoleão e as suas acções, guiando as suas campanhas (1) (4).

De acordo com Hall, o “pequeno homem vermelho do destino” é um exemplo “dos resultados desastrosos de permitirmos que os seres elementais ditem o rumo dos procedimentos humanos.” (1)

Se fenómenos como estes apareceram em várias culturas em diferentes períodos de tempo ao longo da história humana, então o que nos faz pensar que essas práticas já não existem hoje?

Existe mesmo um modus operandi para a invocação de espíritos em vários textos, sendo um deles o Livro Completo da Ciência Mágica que, de acordo com Hall, foi publicado pela primeira vez no Museu Britânico original. Isso também é mencionado por outros estudos da filosofia ocultista, como Francis Barret no seu Magus, onde ele descreve o uso de símbolos e mais coisas relacionadas com o ocultismo.

As criaturas vivas que existem num mundo que não podemos percepcionar têm sido objecto de lendas que datam de há inúmeros anos. São incorporadas nas histórias e transmitidas oralmente, e abordadas em vários textos religiosos como a Bíblia e o Alcorão. Não estou a referir-me a seres extraterrestres neste caso, mas a seres existentes em reinos indistinguíveis pelos nossos sentidos.

Magia Negra Vs Magia Branca

Uma distinção é feita no início do artigo sobre a magia negra e a magia branca. Essencialmente a magia negra é o processo de usarem entidades para se alcançar um objectivo através da magia cerimonial.

Hall escreve:

Por meio dos processos secretos da magia cerimonial é possível entrar em contacto com essas criaturas invisíveis e obter a sua ajuda para alguma empreitada humana. Os bons espíritos voluntariamente prestam sua ajuda a qualquer empreendimento digno, mas os espíritos malignos servem apenas aqueles que vivem para perverter e destruir… A forma mais perigosa de magia negra é a perversão científica do poder oculto para a gratificação do desejo pessoal. (1)

De acordo com os estudiosos de várias filosofias ocorreu, há muito tempo, uma destruição sistemática de todas as chaves da sabedoria, para que ninguém mais pudesse ter acesso ao conhecimento. Quem o fez inverteu completamente os rituais dos antigos mistérios, ao mesmo tempo que afirmava preservá-los, acreditando que o que eles estaria a fazer era o mais certo.

A magia também usa símbolos e geometria sagrada. A magia negra, por outro lado, usa o simbolismo invertido, apropriando-se dos símbolos puros e com significado nobre, pervertendo-os. O simbolismo invertido parece ser a forma de invocar espíritos para propósitos malévolos.

Eles mutilaram os rituais dos Mistérios enquanto professavam preservá-los de modo que, mesmo que o neófito tivesse passado pelos graus (Maçonaria Livre), ele não poderia assegurar o conhecimento a que ele tinha direito. A idolatria foi introduzida encorajando a adoração das imagens que no princípio o sábio erigira apenas como símbolos para estudo e meditação. Foram dadas interpretações falsas aos emblemas e figuras dos Mistérios, e elaboradas teologias foram criadas para confundir as mentes de seus devotos. (1)

Parece que existiram muitos magos de magia negra ao longo da história que se desviaram dos nobres conceitos subjacentes ao núcleo da espiritualidade e do trabalho com o mundo espiritual.

Ex-Satanista expõe os segredos ocultos:

A magia branca, por outro lado, lida com o nobre, com o moralmente puro e não pode ser usada para propósitos egoístas. O ego, a ganância e o desejo pessoal não têm lugar na magia branca.

Concordo com Sócrates quando ele afirmava que os conceitos da magia branca existem dentro de todos nós e podem ser usados como ferramentas poderosas de manifestação, desde que sejamos puros no nosso coração e na nossa intenção. É simples, e não pode ser usado como um meio para um fim, ou para cumprir um desejo pessoal específico.

E hoje em dia?

Esta revelação trouxe à Luz algo que ainda pode estar a acontecer entre alguns dos actuais membros da elite dos “um por cento”, que controlam completamente quase todos os aspectos das nossas vidas, desde a saúde às finanças, passando pela política e pela educação.

Eu acredito que políticos e outras figuras públicas estão envolvidos nesse tipos de coisas, por várias razões, mas eu também acredito que eles estão nos escalões mais baixos da hierarquia e que talvez essas cerimónias e rituais nos níveis superiores vão muito além do que qualquer um possa imaginar.

Eu também acredito que os ensinamentos puros das eras devem ser preservados por aqueles com boas intenções ao invés de malévolas. Se você está a ridicularizar a ideia da dualidade, eu também acredito que a escuridão e a Luz podem coexistir no mesmo espaço. Então eu reconheço os méritos para o argumento da dualidade, mas eu também identifico os méritos para o oposto. Eles são um e o mesmo.

Foi apenas há um par de meses atrás, quando os despejos de dados do Wikileaks sobre John Podesta, chefe da campanha presidencial de Clinton e ex-Chefe de Gabinete da Casa Branca para Bill Clinton, revelaram que Podesta foi convidado para um jantar de “Spirit Cooking [Cozinhar Espíritos]” pela artista Marina Abramovic.

Aparentemente, “as origens do “Cozinhar Espíritos” podem ser encontradas no Bolo da Luz, um sacramento da religião de Thelema que foi fundada por Aleister Crowley. Os ingredientes do bolo da Luz incluem o mel, o óleo, o sangue menstrual e o esperma. O sacramento tem a intenção de simbolizar a união entre o microcosmo, o Homem e o macrocosmo, o Divino, que é uma representação de uma das primeiras máximas do Hermetismo “Como acima, assim em baixo”. O consumo do Bolo de Luz é um Realização do círculo sagrado da conexão entre o Homem e o Divino”.

Revelações como estas, e as cerimónias que foram captadas em vídeo, fazem as pessoas questionar. Se seguirmos aws tradições ao longo dos tempos, vemos que relatos desse tipo de actividade na literatura e noutros relatos pessoais. A elite global sempre existiu, seja a aristocracia da Grécia e Roma antigas, a igreja na Idade Média e além, ou a política de hoje. Talvez essas famílias tenham, de facto, continuado a preservar seu domínio sobre a raça humana, inundando-nos com desinformação, controlando a nossa percepção do mundo e ditando que tipo de vida que desejamos. Somos como robôs, encorajados a encaixar no molde e a fazer as mesmas coisas. Existe um controle total sobre a raça humana e, pensar que a Magia Negra pode ser usada para controlar as massas, como salienta Hall, é perturbador.

Se a história é um indício, então isso ainda está a acontecer nos dias de hoje. E sempre que aqueles que se acredita participarem neste tipo de coisas são questionados, isto e isto são geralmente o resultado.

Porque é que é tão difícil de acreditar? Talvez porque nossa compreensão dos limites da realidade é controlada pelas mesmas pessoas acusadas dessas práticas.

As massas, privadas dos seus direitos inatos de compreensão e rastejando na ignorância, acabaram por se tornar nos escravos abjetos dos impostores espirituais. A superstição prevaleceu universalmente e os magos negros dominaram completamente os assuntos nacionais e, em resultado disso, a Humanidade ainda sofre com os sofismas dos sacerdotes da Atlântida e do Egipto.

Olhando para vários temas, desde os MK ultra a outras formas de controlo mental, até a informação proveniente de denunciantes e informadores, o uso da magia cerimonial por razões perversas pela elite não é realmente algo tão exagerado. Embora assustador de contemplar, isso acontece. Aqueles que consideramos serem nossos líderes, aqueles em posições de grande poder, aqueles por detrás da corporocracia global que vemos hoje e da propaganda a que todos estamos sujeitos, poderão estar a ser guiados por espíritos de lugares que ainda temos de descobrir. E, em resultado, a manipulação massiva da Humanidade poderá ser guiada por essas entidades “demoníacas”.

Como escreve Edward Bernays:

A manipulação consciente e inteligente dos hábitos e opiniões organizadas das massas é um elemento importante na sociedade democrática. Aqueles que manipulam este mecanismo invisível da sociedade constituem um governo invisível que é o verdadeiro poder governante do nosso país. Somos governados, as nossas mentes são moldadas, os nossos gostos formados, as nossas ideias sugeridas, em grande parte por homens de quem nunca ouvimos falar.

Ted Gunderson, ex-agente especial do FBI e chefe do departamento de L.A., trabalhou para descobrir e expor esses horrores antes de morrer. Ele foi um dos muitos que fizeram uma grande quantidade de trabalho nesta área, e que também corrobora algumas das informações acima.

Quem são essas pessoas hoje?

Bem, John C. Calhoun, que foi o sétimo vice-presidente dos Estados Unidos, entre 1825-1832, foi uma das dezenas de dezenas de pessoas que tentaram dizer ao mundo que

“um poder ascendeu no governo e é maior do que o próprio povo”, e consiste de muitos diversos e poderosos interesses, reunidos numa só massa e mantidos unidos pelo poder coesivo do vasto excedente nos bancos”. (Fonte)

Você pode ler mais citações como a acima aqui.

E daí? O que podemos fazer quanto a isso?

Se essas pessoas estão realmente envolvidas no uso da magia cerimonial e feitiçaria para influenciar a suas decisões e a orientação da espécie humana, então obviamente isso precisa de ser exposto e essas pessoas precisam de ser removidas.

Dito isto, apenas destaco que o que aconteceu este ano na política ocidental somente foi o suficiente para ver o quanto todo este sistema é uma piada. Não podemos estar continuamente à espera dos outros para resolvermos os nossos problemas. Nós mesmos devemos resolvê-los.

A política parece ser uma ferramenta de distração, e a decisões poderosas dentro da política são sempre feitas por um indivíduo que claramente não possui as qualidades de liderança. Isso vale tanto para Trump como para Clinton.

O principal ponto de partida deste artigo deve ser o de que a nossa conexão com o espírito é forte, e existem aqueles que residem noutros mundos que podem nos ajudar, mas não para os nossos próprios desejos materiais que decorrem da ganância, ego e ignorância humanas. Se o seu coração é puro e as intenções são boas, e se você quiser usar a manifestação para o bem comum, então você não precisa de ter receio de falar e de reconhecer esse reino.

Referências:

(1) Manly P. HallsOs Ensinamentos Secretos de Todas as Eras

(2) O antigo conceito de progresso e outros ensaios sobre a literatura e as crenças gregas

(3) citation.allacademic.com/meta/p_mla_apa_research_citation/2/7/6/3/3/p276331_index.html?phpsessid=8317684f9518c456117d48fef826677a

(4) Bradshaw’s Journal

(5) http://www.infowars.com/

Fonte: http://www.collective-evolution.com/2016/12/15/ceremonial-magic-sorcery-how-an-ancient-art-became-perverted-by-the-global-elite/

Deixe um comentário

Top